UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
SOCIUS - C.I. em Sociologia Económica e das Organizações / SOCIUS - R.C. of Econ. Sociology and Sociology of the Organisations >
SOCIUS - Documentos de Trabalho / SOCIUS - Working Papers >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/996

Title: A divisória economia-sociologia : o custo de Parsons enquanto empresário social académico
Authors: Graça, João Carlos
Issue Date: 2006
Publisher: ISEG. SOCIUS
Citation: Graça, João Carlos. 2006. “A divisória economia-sociologia : o custo de Parsons enquanto empresário social". SOCIUS Working papers, 7:31 p.
Series/Report no.: SOCIUS working papers;7
Abstract: Em face das discussões recorrentes acerca da problemática das relações interdisciplinares, bem como dos debates suscitados mais recentemente pela emergência académica da chamada “nova sociologia económica”, torna-se importante começar por sublinhar que, bem ao contrário do sugerido em epígrafe, a definição de limites rigorosos identificando âmbitos de actuação distintos para a sociologia e para a economia académicas é um elemento fundamental daquilo a que podemos chamar projecto parsoniano. Presente desde estágios relativamente iniciais da sua elaboração teórica, este objectivo viria a manter-se ao longo de toda a trajectória intelectual de Talcott Parsons (1902-1979), reaparecendo já numa fase relativamente tardia sob a forma duma reflexão em torno do significado e do quadro de actuação da sociologia económica. Esta preocupação duradoura com a divisória economia-sociologia torna-se mais interessante ainda uma vez colocada em contexto, sendo desde logo digno de nota quanto a isso que: a) Parsons adquiriu o fundamental da sua formação académica avançada como economista; b) dois dos quatro autores aos quais ele reporta mais insistentemente as suas próprias ideias são economistas famosos e canónicos: Alfred Marshall e Vilfredo Pareto. Como veremos, quer no seu tratamento destes dois autores, quer no que dispensou a um certo número de outros, nomeadamente a figura cimeira dos “institucionalistas” norteamericanos, Thorstein Veblen, quer ainda numa certo número de omissões significativas no seu naipe de referências, como terá acontecido com Gustav Schmoller e Werner Sombart, Parsons nunca abandona este objectivo duplo de, por um lado, apontar as que seriam no seu entender simultaneamente potencialidades e limitações da ciência económica oficial, de raiz marginalista, por outro lado proclamar a necessidade de reconhecimento duma outra ciência, que não a economia, como seu complemento lógico: a sociologia, ou pelo menos a sua variante parsoniana.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/996
Appears in Collections:DCS - Documentos de trabalho / Working Papers
SOCIUS - Documentos de Trabalho / SOCIUS - Working Papers

Files in This Item:

File Description SizeFormat
wp200607.pdf274 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE