UTL Repository >
Faculdade de Medicina Veterinária >
Biblioteca >
BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/976

Title: Otohematoma canino: epidemiologia e terapêutica
Authors: Santos, Sara Isabel Rosário
Advisor: Niza, Maria Manuela Grave Rodeia Espada
Keywords: Otohematoma
Cão
Orelha
Epidemiologia
Tratamento médico
Cirurgia
Aural hematoma
Dog
Pinna
Epidemiology
Conservative management
Surgery
Issue Date: 2008
Publisher: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citation: SANTOS, S. I. R. (2008). Otohematoma canino: epidemiologia e terapêutica. Dissertação de Mestrado, Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Abstract: O otohematoma canino é uma entidade clínica comum em Medicina Veterinária. Este caracteriza-se como uma tumefacção flutuante, tensa e por vezes dolorosa, que varia em tamanho e posição. Embora se possa encontrar em ambas as faces da orelha, geralmente, localiza-se apenas na superfície côncava. Os principais factores predisponentes do otohematoma que têm sido investigados são o tipo de orelha, a raça, a idade, o sexo e presença de outras afecções concomitantes. A importância da otite externa, do trauma, da hipersensibilidade e das alterações imunológicas e degenerativas na patogénese desta afecção é controversa. Têm sido usados vários métodos cirúrgicos e conservativos no tratamento do otohematoma canino, com resultados variáveis. Realizou-se um estudo retrospectivo, utilizando os dados recolhidos das fichas clínicas de 24 cães com otohematoma, diagnosticado no período entre 6 de Janeiro de 2003 e 1 de Agosto de 2008, visando estabelecer um padrão epidemiológico do otohematoma canino na população estudada. O sexo masculino foi o mais afectado, com 70,8% dos casos e a faixa etária mais representada foi a dos 3 aos 9 anos de idade (69,4%). A raça Indeterminada obteve maior incidência de otohematomas (20,4%), seguindo-se a raça Serra da Estrela (16,9%) e a Labrador Retriver (12,7%). A maioria dos animais afectados apresentou um peso corporal superior a 25 Kg (58,3%). Quanto à distribuição temporal, obtiveram-se 3 picos de maior incidência de otohematomas, que corresponderam aos meses de Janeiro, Setembro e Novembro. A otite externa associada ao otohematoma foi diagnosticada em 45,8% dos animais e a dermatite atópica em 8,3%. Os resultados obtidos no presente estudo sugerem que o otohematoma canino tem como factores de risco: a idade adulta, o porte elevado do animal, orelhas do tipo pendente e existência de factores passíveis de desencadear traumas auriculares. Foram, ainda, avaliadas retrospectivamente 3 técnicas terapêuticas quanto à sua eficácia e prognóstico. Dos 4 casos tratados por aspiração com agulha e injecção local de corticóides, 3 recidivaram e o resultado estético foi bom em todos. Quanto às técnicas cirúrgicas, a que envolve a incisão, drenagem e sutura com esponja obteve 25% de recidivas, e a que recorre à incisão, drenagem e sutura com botões resultou em 16,7% de recidivas. O resultado estético só não foi positivo num dos casos resolvidos através de cirurgia com botões, em que ocorreu espessamento da orelha. Esta última técnica foi a que originou mais complicações. Nos 5 casos em que não se efectuou tratamento do otohematoma, ocorreu fibrose e espessamento da orelha.
ABSTRACT - CANINE AURAL HEMATOMA: EPIDEMIOLOGY AND TERAPHEUTIC Canine aural hematoma is a common condition in veterinary medicine. It is a floating, tense and sometimes painful swelling, which changes in size and position. Although it can be found on both aspects of the ear, usually is located only on the concave surface. Main factors that may predispose to aural hematoma are type of ear, breed, age, sex and presence of other concurrent diseases. The importance of otitis externa, trauma, hypersensitivity, immunological changes and degenerative diseases in the pathogenesis of this condition is controversial. It has been used several conservative and surgical methods in the treatment of canine aural hematoma, with different results. It was performed a retrospective study, using data collected from clinical bulletin of 24 dogs with aural hematoma diagnosed between January 6, 2003 to August 1, 2008, to establish an epidemiological pattern of canine aural hematoma in studed population. Males were more affected than females with 70.8% of cases and dogs between 3 to 9 years were the most represented (69,4%). Crossbreed dogs had highest incidence of aural hematomas (20.4%), followed by Serra da Estrela (16.9%) and Labrador Retriver (12.7%). Most affected animals had a weight exceeding 25 kg (58,3%). Temporal distribution obtained was 3 peak with highest incidence of aural hematomas, which corresponded to the months of January, September and November. Otitis externa associated with aural hematoma, was diagnosed in 45.8% of the animals and atopic dermatitis in 8.3%. The results of this study suggest that adult age, large size of the animal, pendular pinna and presence of factors that can trigger auricular trauma are risk factors of canine aural hematoma. It were also evaluated retrospectively 3 therapeutic techniques, as to its effectiveness and prognosis. Of the 4 cases corrected by needle aspiration and local injection of steroids, 3 relapsed. Surgery which involves incision, drainage and suture with sponge had 25% of recurrences, and surgery with incision, drainage and suture with buttons resulted in 16.7% of recurrences. Cosmetic result wasn´t good in one case resolved through surgery with buttons, which developed thickening of the pinna. This last technique originated more complications that the others. In 5 cases without aural hematoma treatment, fibrosis and thickening of the pinna was always present.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/976
Appears in Collections:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Otohematoma canino.pdf11.46 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE