UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
GHES - Gabinete de História Económica e Social / GHES - Office of Economic and Social History >
GHES - Documentos de Trabalho / GHES - Working papers >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/911

Title: O contributo das florestas para o crescimento económico português: o papel do plano de povoamento florestal (1938-68)
Authors: Branco, Amélia
Issue Date: 1998
Publisher: ISEG - GHES
Citation: Branco, Amélia. 1998. "O contributo das florestas para o crescimento económico português: o papel do plano de povoamento florestal (1938-68)". Instituto Superior de Economia e Gestão – GHES Documento de Trabalho/Working Paper nº 13-1998
Series/Report no.: Documento de Trabalho/Working Paper;13
Abstract: A coincidência entre a fase de arranque do crescimento económico moderno em Portugal, na década de 50, e um grande número de medidas político-legislativas do Estado Novo aplicadas ao sub-sector florestal durante os anos 30 e 40, levanta a questão de saber até que ponto estas últimas teriam ou não objectivos estruturantes, isto é, se procurariam romper e corrigir os principais factores bloqueadores da modernização da agricultura portuguesa - como sejam a fraca mecanização, uma propriedade agrícola mal estruturada e o incorrecto aproveitamento dos solos - e, simultaneamente, criar recursos estratégicos para um processo de industrialização. Face ao exposto, pretende-se neste texto fazer uma análise preliminar de uma das medidas do Estado Novo no âmbito das florestas, por ventura a fundamental, o Plano de Povoamento Florestal (1938-68), e avaliar de que forma este contribuiu para a evolução dos rendimentos e produtividade agrícolas, abrindo caminho para o crescimento económico moderno em Portugal.
The coincidence between the take-off of the Portuguese economy in the 1950s and a great deal of political and legislative measures taken by the Estado Novo and applied on the sector of forest during the 1930s and the 1940s, brings up the question of knowing until what point those measures had or had not structural aims. That is, if this last search to break up and correct the main factors that blocked the agricultural modernization - such as weak mechanization, the inedaquate size of farms, the wrong use of the soils - and create the strategic resources for the industrialization of the country. This paper aims at making a preliminary analysis of the most important agricultural policy measures of the Estado Novo, the 'Piano de Povoamento Florestal' (1930-68), and evaluate its contribution for the evolution of productivity and product in the agricultural sector, allowing Portuguese modern economic growth.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/911
Appears in Collections:DCS - Documentos de trabalho / Working Papers
GHES - Documentos de Trabalho / GHES - Working papers

Files in This Item:

File Description SizeFormat
WP13.pdf1.88 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE