UTL Repository >
Faculdade de Medicina Veterinária >
Biblioteca >
BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/895

Title: Complexo hiperplasia quística do endométrio-piómetra na cadela
Authors: Fidalgo, Liliana Patrícia Ferreira
Advisor: Fonseca, Maria João Dinis da
Mateus, Luísa Maria Freire Leal
Keywords: Cadela
Hiperplasia quística do endométrio
Piómetra
Estrogénios
Progesterona
Bactérias
Estudo estatístico retrospectivo
Bitch
Cystic endometrial hyperplasia
Progestins
Pyometra
Estrogens
Bacteria
Retrospective statistical study
Issue Date: 2008
Publisher: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Abstract: A piómetra é uma doença que resulta da colonização bacteriana com posterior estabelecimento de infecção, num útero que está sob a acção da progesterona. Esta doença pode ou não estar associada a hiperplasia quística do endométrio. Vários factores de risco inerentes ao complexo HQE-piómetra estão descritos como a raça, a idade, a paridade e o tratamento com estrogénios ou progestagénios para supressão ou indução do estro, contracepção ou como abortivo. A HQE é uma alteração glandular dependente da acção hormonal e ocorre após ciclos éstricos sucessivos. As hormonas implicadas na génese da HQE são os estrogénios e a progesterona, tendo esta um maior efeito a nível uterino. A progressão de HQE-piómetra em cadelas inclui: (1) desenvolvimento de HQE após vários ciclos éstricos; (2) contaminação do útero pela flora bacteriana vaginal normal durante o pró-estro e estro; (3) encerramento funcional do cérvix, diminuição da contracção do miométrio e aumento da actividade secretora das glândulas uterinas durante a fase lútea, que é dominada pela progesterona; (4) colonização e crescimento de bactérias coliformes ou outros microorganismos associados na maioria dos casos a endotoxemia secundária (em infecções por coliformes) e a doença renal. O diagnóstico de piómetra pode ser realizado através da história pregressa com a evidência dos diferentes factores de risco, dos sinais clínicos, do exame físico e dos exames laboratoriais. Contudo, o meio complementar de diagnóstico mais eficiente é a ecografia. Sempre que possível o tratamento de eleição para a resolução da piómetra deve ser a ovariohisterectomia. No entanto, existe também como opção a terapêutica médica. O prognóstico desta doença é relativo quando se utiliza a terapêutica médica como opção de tratamento. A melhor prevenção para a HQE-piómetra é a ovariohisterectomia. A piómetra do coto está associada há persistência de um remanescente de tecido ovárico após a OVH, sendo uma situação pouco frequente. Os casos clínicos apresentados demonstram duas apresentações diferentes desta doença. No caso clínico 1 o animal estava em choque séptico, última complicação da piómetra, culminando com a sua morte. No caso clínico 2 o animal apresentava os sinais característicos de piómetra. Em ambas as situações a OVH foi preconizada. O estudo estatístico retrospectivo revelou que foi na “raça indeterminada” e na raça caniche que ocorreram mais casos de piómetra. De uma maneira geral, foi nas raças de menor porte que foram observados um maior número de casos. A idade média de ocorrência foi aos 8,1 anos de idade, tendo a maioria das cadelas mais de dez anos de idade. Na maioria dos casos a piómetra foi diagnosticada um mês após o último cio e 50% das fêmeas estudadas apresentavam HQE, tendo outras alterações também sido detectadas. A maioria dos animais apresentou piómetra aberta. A distribuição anual de piómetra demonstrou dois intervalos de ocorrência de piómetra durante o ano. Nesta população (n=242), 12% das fêmeas com piómetra não sobreviveram, tendo estas na sua maioria idade superior a dez anos de idade e pertencentes às raças “indeterminada” e caniche.
ABSTRACT Pyometra occurs when bacteria colonize the uterus that it is under the progesterone dominance and it may or not associated with cystic hiperplasia of the endometrium (CEH). Some risk factors of cystic endometrial hyperplasiapyometra complex are breed, age, parity and treatment with estrogenic or progestogenic drugs for estrus suppression or induction, contraception and abortion. CEH is a hormone-dependent change that develops after repeated estrous cycles. The hormones implied in the origin of CEH are estrogens and progesterone, having the later an higher effect. The progression of CEHpyometra in dogs includes: (1) development of CHE over repeated estrous cycles; (2) contamination of the uterus by the normal vaginal bacterial flora during proestrus and estrus; (3) functional closure of the cervix, decreased myometrial contractility and increased secretory activity of the uterine glands during the progesterone-dominated luteal phase; (4) colonization and overgrowth of coliform bacteria or other organisms is associated in the majority of the cases with secondary endotoxemia (in infections by coliformes) and renal disease. The diagnosis of pyometra can be carried out based on anamnesis, clinical signals, physical examination and laboratory findings. However, ultrasonography is the preferred imaging technique for diagnosis of CEHpyometra. Ovariohysterectomy (OHE) is the treatment of choice for CEHpyometra in the bitch, regardless of cervical patency. However, in some cases medical therapy can be an option. The prognostic of this disease is relative when the medical therapy is used as an option. The best prevention for the CEH-pyometra complex is OHE. Uterine stump pyometra is associated with persistence of remnant ovarian tissue after an incomplete OHE. Uterine stump pyometra is very rare. The two clinical cases shows two different presentations of this disease. In the clinical case 1 the animal was in septic shock, last complication of pyometra, culminating with its death. In clinical case 2 the animal presented the characteristic signals of pyometra. In both situations the OHE was performed. The retrospective statistical study showed that the breeds with a higher number of cases are the "indetermined breed" and the caniche breed. The average age at which diagnosis was established was 8.1 years, but the majority of the bitches had more than ten years of age. In the majority of the cases, pyometra was diagnosed one month after the last estrus and was associated with CEH in half of the females studied. The majority of the animals presented open pyometra. The annual distribution of pyometra demonstrated two intervals of occurrence during the year. In this population (n=242), 12% of the females with pyometra did not survive, with the majority of the animals having more than ten years and belonging to the breed “indeterminated” and caniche.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/895
Appears in Collections:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DMI_LFidalgo(doc definitivo).pdf743.89 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE