UTL Repository >
Faculdade de Medicina Veterinária >
Biblioteca >
BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/849

Title: Obstruções congénitas de saída ventricular em canídeos: revisão bibliográfica e estudo retrospectivo de 7 casos clínicos
Other Titles: Congenital ventricular outflow obstructions in the dog: bibliographic review and retrospective study of 7 clinical cases
Authors: Dinis, Ana Filipa Alves Cerca Seabra
Advisor: Luis, José Paulo Pacheco Sales
Keywords: Malformações cardiovasculares
Estenose aórtica
Estenose pulmonar
Canídeos
Congenital cardiovascular defects
Pulmonic stenosis
Aortic stenosis
Dog
Issue Date: 12-Oct-2008
Publisher: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Abstract: Esta Dissertação é o resultado de um estágio efectuado no IVP durante um período de 6 meses, dedicado essencialmente às várias especialidades da Clínica e Cirurgia de Animais de Companhia. A Cardiologia foi uma das especialidades com maior expressão, o que permitiu o acompanhamento de alguns casos de obstrução congénita de saída ventricular em canídeos. As obstruções congénitas de saída ventricular direita incluem a estenose pulmonar valvular, a estenose pulmonar supravalvular, a estenose pulmonar subvalvular, a estenose pulmonar por artéria coronária única tipo R2A, a estenose infundibular e o ventrículo direito duplo ou de dupla câmara, enquanto as de saída ventricular esquerda incluem a estenose aórtica valvular, a estenose aórtica supravalvular, a estenose subaórtica fixa e ainda a estenose sub-aórtica dinâmica. A estenose pulmonar valvular e a estenose sub-aórtica são frequentemente reconhecidas na prática clínica, correspondendo no seu conjunto a 34 a 56% dos casos de malformação cardiovascular em canídeos, enquanto as restantes formas de obstrução são extremamente raras. O diagnóstico destas malformações obstrutivas envolve um exame físico cardiovascular preciso e a realização de exames complementares de diagnóstico como a radiografia torácica, a electrocardiografia e a ecocardiografia, estando também indicada a angiocardiografia em casos específicos. A ecocardiografia é actualmente o método de diagnóstico mais utilizado, permitindo o diagnóstico preciso da malformação e a classificação do grau de estenose a partir das velocidades máximas de fluxo obtidas por Doppler a nível da obstrução. Os procedimentos invasivos são a única forma de redução eficaz da obstrução e actualmente estão descritos vários procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos de complexidade variável, embora uma terapêutica medicamentosa possa ser instituída nalguns casos. No período de estágio foram diagnosticados 7 casos de obstrução congénita de saída ventricular em canídeos, algumas na sua forma isolada e outras em associação com outras malformações cardiovasculares. Deste modo, foram acompanhados casos de estenose pulmonar valvular (n=3), estenose pulmonar valvular associada a displasia tricúspide (n=1), estenose pulmonar valvular associada a estenose infundibular e estenose sub-aórtica fixa (n=1) e estenose sub-aórtica fixa (n=2). A terapêutica instituída nestes casos incluiu a administração medicamentosa de -bloqueadores, IECAs, digitálicos e diuréticos. A terapêutica cirúrgica pela técnica de Patch Graft fechada foi indicada em dois casos de estenose pulmonar valvular.
ABSTRACT This thesis is the result of a six-month traineeship at IVP dedicated to several veterinary specialties in Small Animal Medicine and Surgery. Cardiology was one of the most represented specialties, allowing to follow some cases of congenital ventricular outflow obstruction in the dog. Congenital right ventricle outflow obstructions include valvular pulmonic stenosis, supravalvular pulmonic stenosis, subvalvular pulmonic stenosis, infundibular stenosis and double-chambered right ventricle, while congenital left ventricle outflow obstructions include valvular aortic stenosis, supravalvular aortic stenosis, fixed subaortic estenosis and dynamic subaortic stenosis. Valvular pulmonic stenosis and subaortic stenosis are frequently recognised, accounting for about 34 to 56% of all congenital cardiovascular disorders in the dog, while the other forms of obstruction are extremely uncommon. Diagnosing these disorders involves an accurate cardiovascular physical exam and complementary exams such as thoracic radiography, electrocardiography, echocardiography and angiocardiography in some selected cases. Echocardiography is currently the gold-standard exam, allowing to accurately identify the malformation and to access disease severity based on the peak Doppler-derived velocity across the obstruction. Invasive procedures are the only way of effectively resolving the stenosis, although in some cases medical therapy might be the useful. Various surgical and non-surgical invasive procedures such as ballon-valvuloplasty are currently available. During the traineeship, seven cases of congenital ventricular outflow obstruction were identified, some in their isolated form and some in association with other congenital cardiovascular diseases. Identified disorders were valvular pulmonic stenosis (n=3), valvular pulmonic stenosis and tricuspid dysplasia (n=1), valvular pulmonic stenosis associated with infundibular stenosis and fixed subaortic stenosis (n=1) and fixed subaortic stenosis (n=2). Therapeutic options were medical prescription of -blockers, ACE inhibitors, digitalis glycosides and diuretics. In two cases of valvular pulmonic stenosis surgical resection by Closed Patch-Graft technique was proposed.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/849
Appears in Collections:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Obstruções Congénitas de Saída Ventricular em Canídeos.pdf7.58 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE