UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
GHES - Gabinete de História Económica e Social / GHES - Office of Economic and Social History >
GHES - Documentos de Trabalho / GHES - Working papers >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/824

Title: A circulação do ouro do Brasil: o direito do 1%
Authors: Costa, Leonor Freire
Rocha, Maria Manuela
Sousa, Rita Martins de
Issue Date: 2002
Publisher: ISEG - GHES
Citation: Costa, Leonor Freire, Maria Manuela Rocha e Rita MArtins de Sousa. 2002. "A circulação do ouro do Brasil: o direito do 1%". Instituto Superior de Economia e Gestão – GHES Documento de Trabalho/Working Paper nº 21-2008
Series/Report no.: Documento de Trabalho/Working Paper;21
Abstract: O objectivo essencial deste artigo é a analise do direito de 1 % imposto sobre a circulação do ouro brasileiro pelo alvará de 1 de Fevereiro de 1720. O texto encontra-se dividido em três partes. Numa primeira parte, explica-se a origem da Junta do Comércio, organismo que se encontra associado ao regime de navegação por frotas comboiadas, uma vez que a sua extinção justificou a criação do direito do 1%. Numa segunda parte, mostra-se como a ambiguidade na natureza e legitimação do direito originou um processo de evolução quanto ao seu significado, transformando-o de uma comissão a um imposto incidente sobre a circulação do ouro. Por fim, são analisados os processos burocráticos ligados à cobrança do imposto, mostrando-se como os homens de negócio de Lisboa foram ganhando um ascendente naqueles processos, possível tradução do seu forte envolvimento nos fluxos do ouro do Brasil.
The main aim of this article is to analyse the 1% duty levied on the circulation of Brazilian gold through the royal decree of 1 February 1720. The text is divided into three parts. The first part explains the origin of the Junta do Comércio (Board of Trade), which was linked to the shipping system based on convoyed fleets, since it was the abolition of this body that justified the creation of the 1% duty. The second part shows how the ambiguity in both the nature and legitimisation of the duty led to a gradual evolution in regard to its actual meaning, as it was changed from a commission into a tax on the circulation of gold. Finally, an analysis is made of the bureaucratic processes involved in the levying of the tax, showing how businessmen from Lisbon began to adopt a leading role in these processes, providing a possible explanation for their heavy involvement in the flows of gold from Brazil.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/824
Appears in Collections:DCS - Documentos de trabalho / Working Papers
GHES - Documentos de Trabalho / GHES - Working papers

Files in This Item:

File Description SizeFormat
wp21.pdf1.35 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE