UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
Biblioteca Francisco Pereira de Moura / Francisco Pereira de Moura Library >
BISEG - Teses de Doutoramento / Ph.D. Thesis >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/735

Title: O Mecanismo de Transmissão da Política Monetária: o papel dos preços dos activos
Authors: Pacheco, Luís Miguel da Mata Artur Dias
Advisor: Barata, José Martins
Issue Date: Oct-2006
Publisher: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citation: Pacheco, Luís Miguel da Mata Artur Dias. 2006. "O Mecanismo de Transmissão da Política Monetária: o papel dos preços dos activos". Tese de Doutoramento. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Abstract: O objectivo da tese consiste em “aferir da importância dos preços dos activos no mecanismo de transmissão da política monetária e sua influência sobre a condução da política monetária por parte do banco central, procurando-se averiguar se os preços dos activos deverão ter um papel explícito e independente na função de reacção da autoridade monetária”. Na prossecução deste objectivo utilizamos uma metodologia de abordagens sucessivas com graus de aprofundamento crescentes, que procuram responder às diversas questões colocadas. No capítulo I investiga-se o funcionamento do mecanismo de transmissão da política monetária, em particular, o papel dos preços dos activos nesse mecanismo e na estratégia de política monetária do banco central. A existência de potenciais efeitos assimétricos nas economias europeias, decorrentes de diferenças na propagação dos efeitos riqueza ou do crédito, motiva o capítulo II. Aí, numa abordagem apoiada nos modelos tradicionais do ciclo de vida mas ampliando a literatura nesta matéria, estudam-se os efeitos da evolução dos preços das acções e da habitação sobre o consumo. Dados os resultados de que as despesas de consumo são influenciadas pelos preços dos activos, aprofunda-se a investigação desenvolvendo-se, nos capítulos seguintes, modelos que permitam aferir da necessidade ou não de uma ponderação significativa dos preços dos activos nas decisões de política monetária. No capítulo III, deriva-se a regra de política monetária óptima a partir de um modelo macroeconómico ampliado com equações que descrevem o comportamento dos preços dos activos. De modo inovador face à literatura existente, mostra-se que, no contexto de uma política monetária de objectivos para a inflação, a função de reacção óptima inclui os preços dos activos. No entanto, os resultados da calibragem do modelo e da análise da sua sensibilidade a choques indicam que a regra que incorpora os preços dos activos tende a implicar uma maior volatilidade. Aproveitando alguma da intuição fornecida por este modelo, desenvolvemos no capítulo IV um modelo semelhante, do tipo “novo Keynesiano”, que inclui uma função de reacção e onde são explicados os fundamentos microeconómicos das suas equações. As diferentes funções de reacção estimadas no capítulo V parecem descrever bem o comportamento passado da taxa de juro na zona euro, no entanto, encontramos um fraco suporte para a inclusão dos preços dos activos na função de reacção da autoridade monetária. Com a calibragem do modelo, a principal conclusão retirada da análise da sua sensibilidade a choques e das suas respostas nas simulações estocásticas efectuadas é a de que, num cenário em que se verificam fracos efeitos dos preços dos activos sobre a economia, não será aconselhável a inclusão daqueles na regra de política dada a instabilidade daí resultante. Da literatura estudada, dos modelos teóricos desenvolvidos e da evidência empírica encontrada, concluímos que, apesar dos potenciais custos sobre a economia provocados por desvios significativos nos preços dos activos, prevalecerá a perspectiva de actuação em que os preços dos activos deverão ser considerados em qualquer estratégia de política monetária, na medida em que a sua evolução poderá ter implicações sobre as expectativas/ previsões da inflação, embora o seu controlo não deva constituir um objectivo explícito dessa estratégia. A estratégia actual do BCE, assente nos pilares da análise económica e monetária, insere-se nesse mesmo conjunto de competências de uma autoridade monetária preocupada fundamentalmente com a estabilidade de preços, mas atenta aos desenvolvimentos potencialmente desestabilizadores que se verificam nos mercados de activos.
With this work we intend to “assess the importance of asset prices in the monetary policy transmission mechanism and its influence on central bank’s monetary policy execution, trying to understand if asset prices should have an explicit and independent role in the monetary authorities’ reaction function”. In the quest for this objective we use a methodology of successive approaches with a growing degree of sophistication, trying to answer to the several questions made. In chapter I, we research the functioning of the monetary policy transmission mechanism, highlighting the role of asset prices in that mechanism and in the central bank’s monetary policy strategy. The existence of potential asymmetric effects in the European economies, due to differences in wealth or credit effects propagation, motivates chapter II. There, with an approach supported in the traditional life cycle models but extending the literature on this field, we study the stock and housing prices effects on consumption. Given the results that consumer spending is influenced by asset prices, in the following chapters we extend out research, developing models that permit to assess the need of a significant weight of asset prices in monetary policy decisions. In chapter III, we derive the optimal monetary policy rule from a macroeconomic model extended with equations describing the behavior of asset prices. In an innovative way we show that, in the context of a monetary policy oriented by inflation targets, the optimal reaction function includes the asset prices. Yet, the calibration results and the analysis of its sensitivity to shocks indicate that the rule incorporating asset prices tends to display a higher volatility. Benefiting from some intuition supplied by that model, we develop in chapter IV a similar model of the “new Keynesian” type, that includes a reaction function and where the microeconomic foundations of its equations are explained. The different reaction functions estimated in chapter V seem to describe well the past behavior of interest rate in the euro zone, nevertheless we find a weak support for the inclusion of asset prices in the monetary authorities’ reaction function. With the calibration of the model, the main conclusion taken from the analysis of its sensitivity to shocks and from its responses in the stochastic simulations undertaken is that in a set of weak asset prices effects on the economy, given the generated instability it would not be advisable to include those in the policy rule. From the literature revised, the theoretical models developed and the empirical evidence founded we conclude that, in spite of the potential costs on the economy due to significant deviations of asset prices, the perspective in which asset prices are considered in any monetary policy strategy but not as an explicit objective of that strategy, should prevail given the fact that their evolution could influence inflation expectations or forecasts. The ECB current strategy, grounded in the economic and monetary pillars, is in accordance with that same perspective for the competencies of a monetary authority mainly worried with price stability but alert to the potentially destabilizing developments that take place in asset markets.
Description: Doutoramento em Economia
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/735
Appears in Collections:DE - Teses de Doutoramento / Ph.D. Thesis
BISEG - Teses de Doutoramento / Ph.D. Thesis

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Índice.pdf97.86 kBAdobe PDFView/Open
Listas.pdf66.52 kBAdobe PDFView/Open
Introdução.pdf67.58 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo 1.pdf822.84 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo 2.pdf719.15 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo 3.pdf346.32 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo 4.pdf551.32 kBAdobe PDFView/Open
Capítulo 5.pdf429.2 kBAdobe PDFView/Open
Conclusão.pdf74.84 kBAdobe PDFView/Open
Apêndices.pdf1.1 MBAdobe PDFView/Open
Apêndice IIA.pdf79.98 kBAdobe PDFView/Open
Bibliografia.pdf295.83 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE