UTL Repository >
FMH - Faculdade de Motricidade Humana >
BFMH - Biblioteca da Faculdade de Motricidade Humana - Noronha Feio >
BFMH - Teses de Doutoramento / Ph.D.Thesis >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/3755

Title: Influência de um programa de exercício físico na aptidão física pós-transplante hepático. O caso da polineuropatia amiloidótica familiar nas suas componentes composição corporal, capacidade funcional e função neuromuscular
Authors: Tomás, Maria Teresa Barreiros Caetano
Advisor: Rodrigues, Maria Helena Santa-Clara Pombo
Teles, Estela de Aguilar Monteiro Galvão
Keywords: Capacidade funcional
Capacidade na marcha
Composição corporal
Exercício
Exercício domiciliário
Força muscular
Índice músculo-esquelético
Polineuropatia amiloidótica familiar
Teste 6 minutos de marcha
Transplante hepático
Issue Date: 2011
Abstract: Introdução – A Polineuropatia Amiloidotica Familiar (PAF) é uma amiloidose sistémica heredo-degenerativa e autossómica dominante, e cuja manifestação predominante é a polineuropatia mista sensitiva motora e autonómica. Aos sintomas motores e sensitivos associam-se também alterações cardíacas, renais, urinárias, genitais e digestivas que se traduzirão em incapacidade funcional progressiva. Esta doença endémica de Portugal apresenta o seu inicio em média depois dos 20 anos com progressão para a morte em cerca de 10 anos. O tratamento etiopatogénico desta doença, com reconhecida eficácia, passa ainda pelo transplante hepático que apesar de tudo é efectuado já numa fase sintomática da doença e ao qual se encontra associada medicação com efeitos negativos para o metabolismo muscular e consequentemente para a capacidade de produção de força. Tanto a progressão da PAF como o próprio transplante resultam em limitações funcionais que podem ser melhoradas através do exercício físico. Do nosso conhecimento não existem estudos sobre a aptidão física destes pacientes submetidos a transplante hepático nem sobre os efeitos de um programa de exercício físico. Objectivo: Verificar o efeito de um programa de exercício físico combinado na aptidão física de indivíduos portadores de PAF submetidos a transplante hepático há menos de 12 meses. Adicionalmente, analizar de que modo algumas componentes da aptidão física (composição corporal, força muscular e capacidade funcional) seriam ou não e em que medida, diferentes da população saudável. Material e métodos: Trinta e nove pacientes PAF transplantados (4.3±3.3 meses pós transplante foram avaliados quanto à sua composição corporal (DEXA), força de preensão (dinamometro de preensão E-Link), força isométrica do quadricipete (dinamometria isocinética-Biodex) e capacidade funcional (teste 6 minutos de marcha -6MWT e capacidade para a marcha – 6MWT×peso). Os níveis de actividade física e de qualidade de vida percebida foram avaliados respectivamente através dos questionários Seven Days Physical Activity Recall (7-PAR) e Medical Outcome Study item short-form Health Survey (SF-36Ò). Os pacientes foram alocados em três grupos: grupo de controlo(GC) com 16 pacientes (13H e 3M; 33±9 anos, IMC 22.6±3.3 kg.m-2) sem programa de exercício; grupo de exercício supervisionado (GES) com 8 pacientes (5H e 3M; 34±±7 years; IMC 20.4±4.5 kg.m-2) submetidos a um programa de exercício físico combinado trissemanal com a duração de 24 semanas e um grupo de exercício físico domiciliário ou home-based (GHB) com 15 pacientes (4H e 11M; 35±5 anos; IMC 22.3±4.3 kg.m-2) que fizeram exercício físico em casa durante 24 semanas. Para comparar variáveis da aptidão física entre pacientes PAF transplantados e indivíduos aparentemente saudáveis, submetemos 48 indivíduos PAF transplantados há menos de 12 meses e 24 individuos saudáveis não activos, ao mesmo protocolo de avaliação (composição corporal, força muscular e capacidade funcional). Resultados: O programa de exercício influenciou positivamente a composição corporal (peso, IMC, massa magra total e regional, massa muscular esquelética total e T-score do fémur proximal) o risco de incapacidade física, a capacidade para a marcha e a força de preensão da mão direita, mas não influenciou a percepção de qualidade de vida dos pacientes. A distancia percorrida aumentou de forma clinicamente significativa apenas no grupo GES. Os pacientes PAF transplantados apresentaram valores inferiores aos indivíduos saudáveis na composição corporal (peso, IMC, massa óssea, massa gorda, massa magra e massa muscular) força muscular e capacidade funcional Conclusões: O programa de exercício físico melhorou a composição corporal, capacidade funcional e força muscular e aumentou o peso corporal e o IMC nos doentes PAF. Esta melhoria foi maior no grupo GES do que no grupo GHB em todas as variáveis analizadas.
Introduction: Familial amyloidotic polyneuropathy (FAP) is an autosomal neurodegenerative dominant disease that is genetically transmitted and is considered a fatal disease in 10 to 15 years after first symptoms that generally start after 20 years of age. This mutation causes altered protein to be deposited in various tissues (e.g. heart, gastrointestinal tract, kidney, genital etc) but mainly in the peripheral nervous system, which leads to polyneuropathies that include progressive motor, sensory and autonomic decrements with functional impairments and eventually leading to death. Liver transplantation is the only effective therapy known to stop the progression of Familial Amyloidotic Polyneuropathy (FAP) disease but requiring medication (immunossupression) that negatively affect bone and muscle metabolism. Both, FAP and transplantation result in functional limitations which may be ameliorated by exercise training, but the effect of exercise training in FAP patients after a liver transplant (FAPTX) is currently unknown. Purpose: To evaluate the effects of six months of exercise training (supervised or home-based) on body composition, muscle strength, walking capacity, levels of physical activity and quality of life in FAPTX patients. Additionally, analyze body composition, muscle strength and functional capacity in a cross-sectional sample of FAP patients recently transplanted (less than 12 months) and compare it with a group of apparently healthy individuals. Methods: Thirty nine (39) FAPTX patients were assessed after liver transplant (4.3±3.3 months) for body composition (Dual Energy X-ray Absorptiometry), isometric handgrip (grip dynamometer-E-Link), quadriceps muscle strength (isocinetic dynamometer - Biodex) and functional capacity (six minutes walk test – 6MWT and walking capacity – 6MWT×weight). Levels of physical activity and quality of life were assessed by Seven Days Physical Activity Recall (7D-PAR) and Medical Outcome Study item short-form Health Survey (SF-36®) questionnaires, respectively. Subjects were assigned to three groups: control (GC) (16 FAPTX patients, 13 males and 3 females, 33±9 years, BMI 22.6±3.3 kg.m-2) with no exercise intervention, supervised exercise (GES) (8 patients, 5 males and 3 females, 34±7 years, BMI 20.4±4.5 kg.m-2) and home-based exercise training (GHB) (15 patients, 4 males and 11 females, 35±5 years, BMI 22.3±4.3 kg.m-2). To compare body composition, strength and functional capacity between FAP transplanted patients (FAPTX) and apparently healthy subjects we submitted 48 FAPTX and 24 healthy and not active individuals to the assessment protocol mentioned above. FAPTX patients really have lower values on body composition (weight, BMI, bone mass, fat mass, lean mass and muscle mass), muscle strength and functional capacity than apparently healthy subjects. Results: Exercise program had positively influenced body composition variables (weight, BMI, total and regional lean mass, total body skeletal muscle mass, proximal femur T-score), physical disability risk score, walking capacity and right handgrip but not health related quality of life (HRQV). A clinically significant difference in distance walked on 6MWT was observed only for GES. Conclusions: Exercise training improved body composition, walking capacity and muscle strength and increased body weight and BMI in FAPTX patients. This improvement was greater for all variables in the supervised exercise group than in home-based group, suggesting supervised exercise training should be considered as part of the therapeutic approach in this population.
Description: Doutoramento em Motricidade Humana na especialidade de Actividade Física e Saúde
Peer Reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3755
Appears in Collections:BFMH - Teses de Doutoramento / Ph.D.Thesis

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Título, Área e Especialidade.docxCapa10.17 kBMicrosoft Word XMLView/Open
TESE TOTAL DEFINITIVA-PDF.pdfTese final2.4 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE