UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
Biblioteca Francisco Pereira de Moura / Francisco Pereira de Moura Library >
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/3753

Title: Recovery Rate in Credit Derivative Markets
Authors: Fonseca, Ana Cristina Castanheira Carvalho da
Advisor: Gaspar, Raquel M.
Keywords: credit risk
recovery rate
default probability
credit default swaps
credit risk models
risco de crédito
taxa de recuperação
probabilidade de incumprimento
modelos de risco de crédito
Issue Date: Sep-2008
Publisher: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citation: Fonseca, Ana Cristina Castanheira Carvalho da. 2008. "Recovery Rate in Credit Derivative Markets". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Abstract: The first studies regarding credit derivatives used credit risk models which assume independence between the default probability (DP) and the recovery rate (RR). Since the RR is hard to determine, the earliest studies focused on the DP. Therefore most theoretical studies assumed the RR as either a constant or a stochastic variable independent from the DP. The main problem in the credit risk literature has been to find models that provide closed-form solutions to credit spreads including realistic assumptions about RR and its relationship with DP. Indeed, it is difficult to extract implied recovery values from market data as recovery credit derivatives (CD) are mostly traded over-the-counter. Nevertheless, the most traded CD products, credit default swaps (CDS), depend on both DP and RR leading to a well-known identification problem in credit spreads. The aim of this dissertation is firstly to help gaining the correct insights into the financial as well as mathematical foundation of credit risk models and markets, critically analysing the existing models with a special focus on recovery issues. Secondly, we try to empirically understand whether different recovery assumptions and models could produce significantly different DP and RR term structures. For these we adapt a calibration procedure by Das and Hanouna (2007) to extract implied default and recovery rates for different combination of recovery assumptions. We use CDS and equity market data, in particular Dow Jones EURO STOXX 50 Index constituents firms, to extract RR and DP term structures for each firm. Our empirical analysis goes in line with our expectations as it shows that one need to be particularly careful when choosing a credit risk model, needless to say this is fundamental to manage credit risk portfolios.
Os primeiros estudos sobre derivados de crédito usavam modelos que assumiam independência entre a probabilidade de incumprimento (PI) e a taxa de recuperação (TR). Como a TR é difícil de medir c calcular as primeiras investigações teóricas focaram-se na PI. Deste modo, muitos dos estudos assumiam que a TR era uma variável constante ou, em alguns casos, estocástica mas independente da PI. Contudo continua a ser difícil responder ao principal problema sobre o risco de crédito que é encontrar um modelo que consiga dar uma boa solução para modelar os spreads de crédito assumindo hipóteses reais sobre a TR e a sua relação com a PI. Uma vez que os derivados de crédito são transaccionados principalmente em mercado balcão - over-the-counter, é ainda mais difícil de extrair valores implícitos de recuperação neste tipo de produtos já que os dados nem sempre são de livre acesso. A isto acresce o facto de os produtos derivados de crédito mais transaccionados, os credit defauli swaps (CDS), dependerem simultaneamente da PI e da TR o que conduz a um problema de identificação quando a análise tem que ser feita apenas com recurso a dados sobre spreads de CDSs. O objectivo desta dissertação é em primeiro lugar mostrar os correctos fundamentos financeiros e matemáticos dos modelos de risco de crédito, criticando e analisando os modelos existentes, principalmente do ponlo de vista das taxas de recuperação em caso de incumprimento. Em segundo lugar, exploramos empiricamente diferentes modelos de recuperação de crédito, com diferentes definições e hipóteses sobre a TR e a sua relação com a PI. e que nos mostram diferentes estruturas temporais sobre a TR e PI. Para tal adaptámos o processo de calibração de Das and Hanouna (2007) para extrair as taxas de recuperação e incumprimento implícitas do mercado, assumindo um conjunto de diferentes definições e hipóteses sobre a recuperação. Para extrair as estruturas temporais da TR e da PI, usámos os spreinis de mercado dos CDS e um conjunto de informação que conseguimos do mercado accionista, em particular das empresas constituintes do Dow Jones EURO STOXX 50 Index. Os resultados do nosso estudo empírico mos iram que em função das diferentes hipóteses que se assumem sobre a TR e a PI conduzem a estruturas temporais de TR e PI diferentes. Deste modo, mostra-se bem a importância que tem a escolha de um determinado modelo de risco de crédito, que é fundamental na gestão de carteiras com derivados de crédito.
Description: Mestrado em Finanças
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3753
Appears in Collections:DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DM-ACCCF-2008.pdf22.64 MBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE