UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
Biblioteca Francisco Pereira de Moura / Francisco Pereira de Moura Library >
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/3695

Title: A adesão dos países do Visegrado à União Europeia : principais consequências macroeconómicas para a União Europeia
Authors: Neves, Ana Cristina Ferreira Amoroso das
Advisor: Romão, António
Keywords: União Europeia
Europa Central e Oriental
Relações Económicas
Economia em Transição
Integração Económica
Adesão
Issue Date: Apr-1998
Publisher: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citation: Neves, Ana Cristina Ferreira Amoroso das. 1998. "A adesão dos países do Visegrado à União Europeia : principais consequências macroeconómicas para a União Europeia". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Abstract: Em conformidade com o preceituado no art° O do Tratado da União Europeia - que especifica os procedimentos em matéria de alargamento - entre 31 de Março de 1994 e 17 de Janeiro de 1996, a Hungria, a Polónia, a República Eslovaca e a República Checa, quatro países da Europa Central e Oriental, apresentaram ao Conselho o seu pedido formal de adesão à União Europeia (UE). Após os conturbados anos do final da década de 80 e princípios dos anos 90, assiste-se, a partir de 1994, a um período de consolidação da democracia e de estabilização económica. A situação varia, no entanto, consideravelmente, de país para país. Face à magnitude e complexidade dos problemas que se têm vindo a equacionar, foi concebida uma estratégia de preparação para a adesão dos Países da Europa Central e Oriental (PECO) à UE. Aquela estratégia foi definida no Conselho Europeu de Essen (Dezembro de 1994) e alicerça-se em quatro pontos: Acordos Europeus, Ajudas de pré-adesão, Adaptação Legislativa e Diálogo Estruturado. O Conselho Europeu do Luxemburgo (Dezembro de 1997) lançou o processo de alargamento que consubstancia o prolongamento do modelo de integração europeia à escala do continente. O presente trabalho analisa as principais consequências económicas para a União Europeia de incorporação de um grupo dos PECO, os chamados países do Visegrado (PV)- Repúblicas Checa e Eslovaca, Hungria e Polónia - visando uma reflexão, com base nos dados actualmente disponíveis, sobre os seus custos económicos. Perante o actual quadro de desenvolvimento económico da UE e do ponto de vista económico, a entrada dos PV na UE poderá acarretar uma acrescida pressão na captação de fundos comunitários e gerar situações de conflito concorrenciais - que atingirão mais significativamente países como Portugal - sobretudo em matérias de Política Regional, Fundos comunitários, Política de Coesão, Política Comercial, bem como em matéria de Política Agrícola Comum. As relações económicas entre a UE e os PV são analisadas desde 1989, bem como a situação económica dos PV, levando a uma reflexão dos possíveis impactos da integração dos PV na UE.
Description: Mestrado em Economia Internacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3695
Appears in Collections:DE - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DM-ACFAN-1998.pdf8.15 MBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE