UTL Repository >
Faculdade de Medicina Veterinária >
Biblioteca >
BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/3508

Title: Factores de risco para lesões costais em vacas leiteiras mantidas em regime intensivo
Authors: Azevedo, João Monjardino de Brito de
Advisor: Neves, José António Ferreira das
Stilwell, George Thomas
Keywords: Lesões costais
Vaca leiteira
Dor
Bem-estar
Prevalência
Factores de risco
Cubículos
Claudicações
Rib lesions
Dairy cow
Pain
Welfare
Prevalence
Risk factors
Cubicles
Lameness
Issue Date: 25-Jul-2011
Publisher: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citation: AZEVEDO, J. M. B. (2011). Factores de risco para lesões costais em vacas leiteiras mantidas em regime intensivo. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Abstract: Fazendo uma analogia com as lesões costais em humanos, é-nos compreensível que estas lesões devem ser dolorosas e limitam o bem-estar e a saúde das vacas, originando como consequência quebras na produtividade e no retorno económico da exploração. Este parece ser mais um problema de bem-estar animal identificado em vacarias com regime de produção intensivo, e como tal urge sabermos de que forma afectam os animais e o que pode ser feito para evitarmos estas situações. A presente dissertação tem como objectivo determinar a prevalência de lesões costais em vacas de leite mantidas em regime intensivo e tentar identificar quais os factores de risco para as mesmas, quer associados às vacarias, quer associado aos animais com lesões. Para o efeito foram estudadas 22 vacarias e 1.319 animais da Região da Beira Litoral de Portugal. A prevalência de lesões costais em todo o efectivo estudado foi de 2,3%. Relativamente às lesões das 7ª, 8ª e 9ª costelas uni ou bilateral, registámos intervalos de prevalência por exploração que vão desde os 0% (n=12) a 6,08% (n=1). Da amostra total de animais com lesões em estudo (n=31), resultou a seguinte prevalência de lesões costais de acordo com as costelas afectadas: lesão bilateral da 8ª costela – 26%; lesão bilateral da 9ª costela – 3%; lesão unilateral da 7ª costela – 3%; lesão unilateral da 8ª costela – 23%; lesão unilateral da 9ª costela – 11%; lesão unilateral da 10ª costela – 3%; lesão unilateral da 11ª costela – 5%; lesão unilateral da 12ª costela – 6% e lesão unilateral da 13ª costela – 20%. Conclui-se do estudo que os factores de risco para as lesões associados às infraestruturas das vacarias são: maus cubículos, espaço insuficiente na manjedoura para todos os animais e a presença de bordo posterior dos cubículos não protegido. Relativamente à análise descritiva dos animais com lesões, concluiu-se que 81,48% dos animais em estudo apresentaram história de patologia podal crónica e uma média de 3,70 lactações. À data do estudo 51,61% dos animais apresentavam claudicações, com uma pontuação média de 2,5. A patologia podal crónica foi um factor tranversal aos animais em estudo, indiciando a implicação das claudicações na génese das lesões costais.
ABSTRACT - Risk factors of rib lesions in dairy cattle kept in intensive management - Making an analogy with rib lesions in humans, it is understandable to us that these lesions must be painful and limit the well-being and health of cows, and are also responsible for productivity and economic losses. This seems to be another issue of animal welfare identified in dairy farms with intensive management, which makes it urgent to understand how they affect animals and what can be done to avoid these situations. The objective of this thesis is to determinate the prevalence of costal lesions in dairy cows kept in intensive system and to identify the risk factors, either associated with the farm or with the animals. For this purpose, 22 dairy farms and 1319 animals from the Beira Litoral region (Portugal) were included in this study. The rib lesions had a total prevalence of 2.3%. When considering uni or bilateral lesions of the 7th, 8th e 9th ribs, prevalence ranges from 0% (n=12) to 6.08% (n=1) per farm. From the total sample of animals with lesions (n=31) the following prevalence of injuries were obtained: bilateral lesion of the 8th rib – 26%; bilateral lesion of the 9th rib – 3%; unilateral lesion of the 7th rib – 3%; unilateral lesion of the 8th rib – 23%; unilateral lesion of the 9th rib – 11%; unilateral lesion of the 10th rib – 3%; unilateral lesion of the 11th rib – 5%; unilateral lesion of the 12th rib – 6% and unilateral lesion of the 13th rib – 20%. It is concluded that risk factors for rib lesions related with farms are: bad cubicles, insufficient feeding area and presence of unprotected posterior edge of cubicles. In the analysis of the animals with injuries, 81.48% had history of chronic lameness and an average of 3.70 lactations. At the time of the study 51.6% of the animals showed lameness, with an average score of 2.5. The chronic foot lesions was a common factor to the animals studied, suggesting the involvement of lameness in the genesis of costal lesions.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3508
Appears in Collections:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Factores de risco para lesoes costais em vacas leiteiras mantidas em regime intensivo.pdf1.53 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE