UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
Biblioteca Francisco Pereira de Moura / Francisco Pereira de Moura Library >
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/3368

Title: A Importância da Formação Experiencial de Acolhimento : Estudo de Caso
Authors: Alves, Sara Maria Parracho Trindade Lima
Advisor: Henriques, Paulo Lopes
Keywords: Formação;
Formação Experiencial
Acolhimento
Socialização
Satisfação
Carreiras
Motivação
Training
Experiential Training
Socialization
Work Socialization
Satisfaction
Careers
Motivation
Issue Date: Apr-2011
Publisher: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citation: Alves, Sara Maria Parracho Trindade Lima. 2011. "A Importância da Formação Experiencial de Acolhimento : Estudo de Caso". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão
Abstract: Este estudo procura analisar a Importância da Formação Experiencial de Acolhimento, medida através da motivação e do desenvolvimento de carreira dos novos colaboradores do Banco X. No presente trabalho recorreu-se a um questionário para recolher dados junto de uma amostra de 432 trabalhadores do Banco X, recrutados e seleccionados entre 2004 e 2009, rejeitando, no geral, as hipóteses: 1) A formação afecta positivamente a evolução na função; 2) Os colaboradores que frequentaram a Formação Experiencial de Acolhimento, tiveram um percurso de carreira diferente dos colaboradores admitidos até 2005; 3) Os colaboradores admitidos a partir de 2005 estão mais motivados que os colaboradores admitidos em 2004. Confirmamos parcialmente a Hip.1 e rejeitamos as Hip. 2 e 3. De um modo geral a formação revela ser importante para o desempenho das funções da área comercial no entanto, existem acções de formação que não acrescentam valor aos formandos e apenas consumem recursos. Constatamos também que os pressupostos e ideias que prevalecem junto dos responsáveis da formação do Banco X, não são válidos, ou seja, a frequência da formação experiencial de acolhimento não proporciona aos formandos uma carreira diferente e/ou mais rápida, nem significa maiores níveis de motivação entre os colaboradores do Banco X.
This essay seeks to investigate the importance of New Employee's Experiential Training, measured by motivation and career development of Bank X new employees. In this study we used a questionnaire to collect data from a sample of 432 employees of the Bank X, recruited and selected between 2004 and 2009, rejecting, in general, the following hypothesis: 1) Training has a positive effect on career development; 2) New employees who attended the Experiential Training, had a different career path than those hired before 2005; 3) Employees hired after 2005 have more motivation than those selected in 2004. We partially confirm the Hyp. 1 and reject both the Hyp. 2 and the Hyp. 3. In general, training proves to be important for the job performance in sales, however, there are training courses that add no value to trainees and are merely a way to spend resources. Also, we conclude that the assumptions and ideas that prevail amongst training leaders in Bank X, are not valid, i.e., the attendance of New Employee's Experiential Training neither offers the trainees a different career and / or a faster progression, nor it means higher levels of motivation amongst Bank X employees.
Description: Mestrado em Gestão de Recursos Humanos
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3368
Appears in Collections:DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tesesaraalves1304.pdf1.03 MBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE