UTL Repository >
Faculdade de Medicina Veterinária >
Biblioteca >
BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/2600

Title: Ocorrência de Malassezia spp. no canal auditivo externo no cão e gato, no concelho de Guimarães
Authors: Leite, Joana Jorge Lima Vieira
Advisor: Brito, Guida Maria Franco Martins Vieira e
Brito, Maria Teresa da Costa Mendes Vítor Villa de
Keywords: Otite Externa
Malassezia spp.
Cães
Gatos
Conduto auditivo externo
Externa Otitis
Dogs
Cats
External auditory canal
Issue Date: 19-Nov-2010
Publisher: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citation: LEITE, J. J. L. V. (2010). Ocorrência de Malassezia spp. no canal auditivo externo no cão e gato, no concelho de Guimarães. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Abstract: Malassezia spp. são leveduras comensais da pele do Homem e de todos os animais de sangue quente, que ocasionalmente actua como agente patogénico. Esta espécie encontra-se com frequência na pele, conduto auditivo externo e algumas áreas mucocutâneas de cães e gatos. O objectivo deste trabalho foi avaliar a ocorrência e factores de risco da Malassezia spp. no canal auditivo externo no cão e no gato, com e sem otite, numa clínica veterinária, no concelho de Guimarães. Entre o mês de Fevereiro e Março de 2010, 231 pacientes, 171 canídeos e 60 felinos foram examinados clínica e laboratorialmente. Estes animais foram agrupados em distintos grupos: o primeiro grupo, animais em doença, constituído por 189 animais (137 canídeos e 52 felinos); e o segundo grupo era constituído por 42 animais (34 cães e 8 felinos) com otite externa ou sintomatologia, como prurido auricular, sacudir a cabeça ou coçar o pavilhão auricular com os membros. A todos os animais, felinos e canídeos, após um exame físico, foi lhe retirada uma amostra do conteúdo do canal auditivo externo, de ambos os ouvidos com um cotonete estéril, sendo posteriormente analisadas todas ao microscópico. As amostras foram classificadas da seguinte forma: (-) exame negativo, (+) 1 a 5 leveduras por campo, (++) 6-10 leveduras por campo exame e (+++) mais de 10 leveduras por campo. Aproximadamente 42,86% dos animais (47,37% canídeos; 30,00% felinos) foram caracterizados pelo Exame +, o que significa que em quase em metade dos animais foi encontrada a presença de Malassezia spp., confirmando que esta levedura é um agente comensal do canal auditivo externo dos cães e gatos. Das amostras analisadas cerca de 7,60% canídeos e 10,00% felinos, foram caracterizadas pelo exame ++, e 8,19% canídeos e 3,33% felinos, pelo exame +++, demonstrando a relevância deste microrganismo em doenças otológicas em cães e em gatos. Foi evidenciado ainda que existe uma elevada incidência de infecção em canídeos com orelhas pendulares, cerca de 85,19%, enquanto em canídeos com orelhas erécteis apenas 14,81%. A maior frequência e tamanho da população de Malassezia spp. foram reportados nos animais com otite externa (cães e gatos), comparativamente os animais saudáveis, indicando que esta levedura cresce nos locais de infecção e tem um papel activo na patogenia da otite externa. Das espécies que fizeram parte deste estudo os Labrador Retriever e o Cocker foram as raças mais afectadas pela doença otológica, podendo sugerir que poderá existir predisposição racial para o aparecimento de otite externa em canídeos.
ABSTRACT - Malassezia spp. are commensal yeast of man and all warm-blooded animals’ skin, which sometimes acts as pathogen agent. This species is often in the skin, external auditory canal and some mucocutaneous areas of dogs and cats. The purpose of this study was to evaluate the occurrence and risk factors of Malassezia spp. on the external auditory canal in dogs and cats with and without otitis. The study was taken place on a veterinary clinic, in Guimarães, between the months of February and March 2010, where 231 patients, 171 dogs and 60 cats were examined clinically and laboratory. These animals were grouped into two distinct groups: the first group, animals without disease, consisted of 189 animals (137 dogs and 52 cats). The second group consisted of 42 animals (34 dogs and 8 cats) with external otitis symptoms such as itching, headset, shake his head or scratch his ears with his paws. In all the dogs a sample was taken after an examination of the external auditory canal of both ears with a cotton swab barren, then all the samples were analyzed under a microscope. The samples were classified as follows: (-) negative test, (+) 1-5 yeasts per field, (+ +) 6-10 yeast per field, (+++) more than 10 yeasts per field. About 42.86% of the animals (47.37% of dogs and 30.00% of cats) were characterized (+) meaning that in almost half of the animals the presence of Malassezia spp. was found, showing that this yeast is a commensal agent of the external ear canal of dogs and cats. Approximately 7.60% dogs and 10.00% cats were characterized (+ +), and 8.19% dogs and 3.33% cats were characterized (+ + +), demonstrating the relevance of this microorganism in ear disease in dogs and cats. It was shown that there is still a high incidence of infection about 85.19% in dogs with pendulous ears, while in dogs with upright ears only 14.81%. Increased frequency and population size of Malassezia spp. have been reported in dogs and cats with external otitis, compared to healthy animals, indicating that this yeast grows at sites of infection and has an active role in the pathogenesis of external otitis. Of the breeds that were part of this study, the Labrador Retriever and Cocker were more affected by ear disease, suggesting that there may be a racial predisposition to the onset of external otitis in these dogs.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/2600
Appears in Collections:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Files in This Item:

File Description SizeFormat
OCORRENCIA DE Malassezia spp. NO CANAL AUDITIVO EXTERNO NO CAO E GATO, NO CONCELHO DE GUIMARAES.pdf2.18 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE