UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
SOCIUS - C.I. em Sociologia Económica e das Organizações / SOCIUS - R.C. of Econ. Sociology and Sociology of the Organisations >
SOCIUS - Documentos de Trabalho / SOCIUS - Working Papers >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/1915

Title: Aspectos subjetivos das relações de poder contidas no assédio moral
Authors: Mata, João da
Keywords: subjetividade
corpo
poder
ética
subjectivity
body
power
ethic
Issue Date: 2008
Publisher: ISEG - SOCIUS
Citation: Mata, João da. 2008. "Aspectos subjetivos das relações de poder contidas no assédio moral". Instituto Superior de Economia e Gestão – SOCIUS Working papers nº 8/2008
Series/Report no.: SOCIUS Working papers;8/2008
Abstract: As relações humanas são atravessadas por malhas e conflitos de poder que estendem-se pelas várias esferas do cotidiano. No caso das relações ambientadas no trabalho, tais conflitos acontecem por meio de uma subtil e ampla rede de micro-poderes capazes de produzir sérias implicações à subjetividade das pessoas envolvidas na interação. Este é o caso do assédio moral em ambientes de trabalho. Uma das implicações de tal prática de poder situa-se especialmente no campo da comunicação. O paradoxo estabelecido entre a comunicação verbal e os sinais e códigos da comunicação não-verbal, tende a produzir uma relação dúbia e confusa, onde comunicador e comunicado encontram-se envolvidos num perigoso jogo, distante da sinceridade. Tal dissonância criada neste tipo de comunicação produz o que os comunicólogos chamam de dupla-vinculação, um arriscado dispositivo de poder nem sempre percebido e combatido. Outra implicação sobre a subjetividade reside notadamente nos efeitos emocionais destas relações de poder. A partir da perspectiva do psicanalista Wilhelm Reich, corpo e emoção estão intimamente relacionados, não podendo ser pensados separadamente. No caso do assédio moral o que está em jogo é o corpo e o desejo por este corpo. Portanto, é fundamental percebermos as conseqüências emocionais de uma pessoa que passa por esse tipo de embate. Por fim, devemos refletir sobre a ética em vigor, autoritária e machista, que entende o outro dentro de uma ótica instrumental de uso e apropriação. Corpo, desejo e moral misturam-se dentro da lógica perversa de uma relação ética distante do outro e a serviço apenas dos interesses o eu egocêntrico. Tais questões, que poderíamos pensar a partir de uma observação filosófica, também extrapolam para limiares políticos e ideológicos das práticas de convivência humana.
Human relationships are under conflicts of power, spreading in many areas of everyday life. In work environments, for instance, those conflicts happen through a subtle but wide web of micro-powers able to produce bad influences to everyone living in those relationships. This is the case of "moral harassment" inside work places. One of the main implications of these power's practices is linked with communication. The paradox between verbal and non-verbal communication, speech and body language giving opposite messages, creating misunderstandings and confused relationships where speaker and listener play a dangerous game, far away from honesty. This kind of misunderstanding produces what is called "double-bind" by communication researchers, a very risky game of power that sometimes keeps itself hidden and is difficult to fight against it. Another implication over subjectivity lies on the emotional consequences of this kind of harmful relationships. From psychoanalyst Wilhelm Reich's perspective, body and emotion are deeply linked and can't be thought separately. In this perspective, the "moral harassment" is actually a demand for the body itself and the desire for that body Therefore, it's extremely important to realize the emotional results produced from this type of human relationship. To sum up, we ought to think about the ethic we live today (authoritarian and sexist) which inscribes the "other self" inside a conduct of use and appropriation. Body, desire and moral are blended inside a perverse logic that puts "myself" far from the "others" and works exclusively for the interests of the egocentric "me". Those questions, which could be thought through a philosophical bias, also explore the political and ideological issues of human living attitudes.
Description: Comunicação apresentada na Conferência "O Assédio Moral no Local de Trabalho: emergência de uma nova realidade", 29 e 30 de Novembro de 2007
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1915
Publisher version: http://pascal.iseg.utl.pt/~socius/publicacoes/wp/WP.8.2008.pdf
Appears in Collections:SOCIUS - Documentos de Trabalho / SOCIUS - Working Papers

Files in This Item:

File Description SizeFormat
WP.8.2008.pdf216.08 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE