UTL Repository >
ISA - Instituto Superior de Agronomia >
DPPF - Departamento de Protecção das Plantas e Fitoecologia >
DPPF - SFH - Secção de Fitoecologia e Herbologia >
SFH - Comunicações em Actas de Conferências >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/1030

Title: Diversidade floristica das formações de Quercus suber em Portugal
Authors: Espírito Santo, M.D.
Rego, Francisco
Lousã, Mário
Ribeiro, Sofia
Antunes, João Castro
Costa, José Carlos
Neto, Carlos
Capelo, Jorge
Keywords: Quercus suber
diversidade floristica
Issue Date: May-2005
Publisher: SPCF
Citation: Congresso Florestal Nacional, 5º, Viseu, 2005
Abstract: Foram analisados 130 inventários efectuados em sobreirais de Poterio agrimonioidis-Querco suberis S., Asparago aphylli-Querco suberis S., Oleo sylvestris-Querco suberis S. e Teucrio baetici-Querco suberis S. Com o objectivo de estabelecer a relação entre estes bosques e o seu grau de conservação e diversidade, foi efectuada uma análise canónica de correspondências (CCA) e foram efectuados os cálculos relativos à diversidade florística (recorrendo ao índice de Shannon) e à diversidade em espécies com interesse para conservação. Efectuou-se ainda uma análise de regressão múltipla em que a riqueza em espécies endémicas ou com estatuto de protecção foi considerada a variável dependente. Individualizaram-se algumas espécies indicadoras dos bosques analisados: Stauracanthus genistoides, Thymus capitellatus, Lavandula lusitanica e Quercus lusitanica associadas aos bosques de Oleo sylvestris-Quercetum suberis; Cistus populifolius, Erica australis e Cytisus grandiflorus associadas aos bosques de Poterio agrimonioidis-Quercetum suberis. No total, registam-se 17 taxa com estatuto vulnerável, 10 taxa em perigo de extinção, 15 taxa incluídos no Anexo II da Directiva 92/43/CE, um dos quais prioritário, 4 taxa do Anexo IV e 4 do Anexo V da mesma Directiva. Destacam-se, ainda, 26 endemismos lusitanos, 4 dos quais em perigo de extinção e 8 com estatuto vulnerável. Da CCA verificou-se que grande parte dos táxones com interesse para conservação estão concentrados nas áreas onde a vegetação potencial diz respeito a sobreirais de Oleo-Querco suberis S., cuja riqueza florística e fitocenótica já foi descrita por COSTA et al (1998) e NETO (1999). Isto acontece apesar do uso florestal destes espaços e de estarem localizados no Superdistrito Sadense onde predominam os solos aluvionares ou derivados das areias podzolizadas. Quanto à diversidade específica, os valores mais elevados obtiveram-se nos inventários das séries Asparago-Querco suberis S. e Poterio-Querco suberis S. Da análise de regressão múltipla obteve-se a equação: Riq.= - 0.4083Subst. Litológico - 0.2547Altitude - 0.243Declive - 0.2253Posicão Topográfica, com P<1%. Os resultados traduzidos pela equação da qualidade da riqueza específica são concordantes com a CCA, verificando-se mais uma vez que a riqueza em taxa endémicos ou com estatuto de protecção estão positivamente correlacionados com substratos arenosos ou negativamente correlacionados com substratos dos quais resultam solos com elevada percentagem de argila. Assim, conclui-se que a diversidade em espécies com interesse para conservação é mais elevada em territórios com solos arenosos, de baixa altitude, de que é exemplo o Superdistrito Sadense.
Description: Congresso Florestal Nacional: a floresta e as gentes - Actas das Comunicações
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1030
Appears in Collections:SFH - Comunicações em Actas de Conferências

Files in This Item:

File Description SizeFormat
congress.5-dalilaeoutr..pdf255.08 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

 
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE