Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/956
Título: Diabetes Mellitus felina : proposta de protocolo de monitorização da glicemia em ambulatório
Autor: Morouço, Paulo Jorge Frade
Orientador: Gonçalves, Rui Manuel de Sacramento
Moreira, Anabela de Sousa Santos da Silva
Palavras-chave: Diabetes Mellitus
Hiperglicemia
Glicosúria
Insulina
Curvas seriadas de glicose sanguínea
Ambulatório
Hyperglycemia
Glycosuria
Insulin
Ambulatory
Serial blood glucose curves
Data de Defesa: 28-Out-2008
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Morouço, P.J.F. (2008). Diabetes Mellitus Felina : Proposta de protocolo de monitorização da glicemia em ambulatório. Dissertação de Mestrado, Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: A Diabetes Mellitus (DM) é definida como um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia, que resultam de defeitos na secreção de insulina, acção da insulina, ou ambos. É uma das endocrinopatias mais comuns no gato, e a sua prevalência tem vindo a aumentar ao longo dos tempos. A classificação actual divide a DM em Tipo 1, Tipo 2 e Outros Tipos Específicos. O gato é uma das poucas espécies que desenvolve uma forma de DM que é clínica e histologicamente análoga à DM Tipo 2 Humana, verificando-se essa analogia em 80-95% dos casos. Com base na necessidade de terapia com insulina para controlar a glicemia, evitar cetoacidose e sobreviver, podemos classificar a diabetes em DM Dependente de Insulina (DMDI) e DM Não Dependente de Insulina (DMNDI). Para o seu diagnóstico podemos recorrer à história pregressa do animal, exame físico e alguns exames complementares, como o painel bioquímico sérico e a urianálise. Uma redução da hiperglicemia e da hiperlipidemia maximiza as hipóteses de preservação da função das células β pancreáticas, e obtenção da remissão diabética. As principais terapias para gatos com DM não complicada são a administração de insulina e/ou hipoglicemiantes orais, e modificação da dieta. O objectivo principal da terapia é alcançar um controlo adequado da glicemia, para eliminar a poliúria e polidipsia, não.sendo pretendido alcançar a euglicemia. As ferramentas mais importantes que os veterinários possuem para monitorizar diabéticos na clínica incluem sinais clínicos, concentração sanguínea de glicose ou curvas de glicose sanguínea, a concentração de fructosamina sérica, concentração de hemoglobina glicosilada sérica, e glicosúria quantitativa. Boa capacidade de observação do dono, e boa comunicação entre o dono e o veterinário são essenciais, particularmente durante os primeiros meses de terapia. As curvas seriadas de glicose sanguínea podem ser realizadas em ambiente hospitalar ou no próprio domicílio do dono, e executadas pelo mesmo. A propósito do controle ambulatório, julga-se importante fazer o controlo e verificar que realmente o "stress hospitalar" é um factor hiperglicemiante, no entanto o próprio procedimento mesmo que realizado em ambulatório, também pode comportar risco de desenvolvimento de stress. Na fase final do trabalho proponho as grandes linhas para realização de um protocolo experimental, que permita responder a algumas das questões surgidas durante a execução deste trabalho.
ABSTRACT - The Diabetes Mellitus (DM) is defined as a group of metabolic diseases characterized by hyperglycemia, which may result from defects in insulin secretion, insulin action, or both. It is one of the commonest endocrine diseases in cats, and its prevalence has been increasing over time. The current classification divides the DM in Type 1, Type 2 and Other Types of Diabetes. The cat is one of the few species that develops a form of DM that is clinically and histologically similar to Human Type 2 DM, this analogy is found in 80-95% of cases. Based on the need for therapy with insulin to control blood glucose, avoid ketoacidosis and survive, can be classified as Insulin-Dependent DM (IDDM) and Non-Insulin Dependent DM (NIDDM). For its diagnosis, we can use the animal's history, physical examination and some additional tests, as the serum biochemical panel and urianalysis. A reduction of hyperglycemia and hyperlipidemia maximizes the chances of preserving the function of pancreatic β-cells, and the remission of diabetic condition. The main therapies for cats with non complicated DM are administration of insulin and/or oral hypoglycemic agents, and modifying the diet. The main objective of therapy is to achieve adequate control of blood glucose, to eliminate polyuria and polydipsia, but is not aimed to achieve euglicemia. The most important tools for veterinarians to monitor patients include clinical signs, blood concentration of glucose or blood glucose curves, the serum concentration of fructosamine, concentration of serum glycosylated hemoglobin, and quantitative glycosuria. Good observation capacity of the owner, and good communication between the owner and veterinarian are essential, particularly during the first months of therapy. The performance of blood glucose serial curves can be performed in the hospital or in the owner’s home, performed by him. About the ambulatory control, I think it’s important to control and check if stress that results from the hospital environment is a hyperglycaemic factor. However, the ambulatory procedure also carries a certain amount of stress. In the final part of this work, I present a experimental protocol that could answer some of the questions that emerged during the elaboration of this paper.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/956
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Diabetes Mellitus Felina.pdf690,21 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.