Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/8897
Título: Determinant factors on hydration status assessed by urine specific gravity : accuracy of technical procedures and effect of caffeine ingestion.
Autor: Júdice, Pedro Alexandre Barracha da Guerra
Orientador: Silva, Analiza Mónica Lopes de Almeida
Palavras-chave: Accuracy
Caffeine
Hydration
Urine specific gravity
Cafeína
Gravidade específica da urina
Validade
Data de Defesa: 2011
Citação: Júdice, Pedro (2011) - Determinant factors on hydration status assessed by urine specific gravity : accuracy of technical procedures and effect of caffeine ingestion. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Resumo: Urine Specific Gravity (USG) is a recognized technique for assessing hydration status accurately. However, a number of questions still need to be addressed when using this technique, specifically the collecting procedure and the effect of caffeine ingestion. This investigation aimed: 1) to verify whether there are differences in USG values obtained from the first stream (USG1) with the second stream of urine (reference); 2) to investigate the effect of caffeine on USG values. A total of 30 healthy men aged 20-39 (72.7 ± 8.8 Kg; 1.77 ± 0.07 m) participated in a randomized crossover double-blind trial. Body composition was assessed by dual energy X-Ray absortiometry and multi-frequency bioelectrical impedance. Physical activity was estimated using motion sensors. Daily fluid intake (DFI) was assessed by dietary record. Multiple linear regression, agreement between methods, and repeated measures ANOVA were used. No significant statistical differences were found (p = 0.712) between the two procedures. USG1 explained 71% of the reference procedure. The limits of agreement varied between -0.005 and 0.005g/cm3 and no significant trend was found (r = 0.15). Differences of the procedures were not dependent on the magnitude of co-variables (p > 0.05). Regarding the caffeine effect, there was no significant change in USG values across the trial (p = 0.580), and no interaction between the randomly assigned order of treatment condition and the time (p = 0.100). No main effects of the covariates on USG values were found (p > 0.05). In conclusion, the hydration status can be accurately assessed using the first stream of urine compared to the reference procedure. These findings indicate that a moderate dose of caffeine does not alter the hydration status in adult healthy men, independently of body composition, PA level or DFI.
RESUMO : A gravidade específica da urina (GEU) é uma técnica reconhecidamente válida para avaliar o estado de hidratação. Contudo, algumas questões relativas ao procedimento de colheita e aos efeitos da ingestão de cafeína precisam de ser esclarecidas. Com este estudo pretendeu-se: 1) Verificar se existem diferenças nos valores de GEU obtidos a partir do primeiro jato (GEU1) com o segundo jato de urina (referência), 2) Investigar o efeito da cafeína nos valores de GEU. Participaram neste estudo crossover randomizado e duplamente cego, 30 homens saudáveis entre os 20-39 anos (72,7 ± 8,8 kg; 1,77 ± 0,07 m). A composição corporal foi avaliada por densitometria radiológica de dupla energia e bioimpedância eléctrica de multifrequência. A actividade física (AF) foi avaliada por sensores de movimento. A ingestão de fluidos (IF) foi avaliada por registo alimentar. Na análise estatística utilizou-se a regressão múltipla, a análise de concordância e a ANOVA por medidas repetidas. Não existiram diferenças significativas (p = 0,712) entre os procedimentos. A GEU1 explicou 71% da variação dos valores de referência. Os limites de concordância variaram entre -0.005 e 0.005g/cm3 , não evidenciando uma tendência significativa (r = 0,15). As diferenças dos procedimentos são independentes da magnitude das co-variáveis usadas (p > 0,05). Relativamente ao efeito da cafeína, não se verificaram diferenças significativas nos valores de GEU entre momentos (p = 0,580), nem interação entre a ordem do tratamento e o tempo (p = 0,100). Nenhuma das covariáveis influenciou significativamente as diferenças apresentadas na GEU (p> 0,05). Em conclusão, através da GEU, podemos avaliar o estado de hidratação com validade utilizando o primeiro jato comparativamente com o procedimento de referência. Estes resultados indicam ainda que uma dose moderada de cafeína não altera o estado de hidratação em homens adultos saudáveis independentemente da composição corporal, nível de AF ou IF.
Descrição: Mestrado em Exercício e Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/8897
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Mestrado_Pedro_Júdice_2011.pdf610,96 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.