Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/880
Título: Parasitoses caninas transmitidas por ixodídeos
Outros títulos: Canine tick-borne parasitic diseases
Autor: Ferreira, Marisa da Fonseca
Orientador: Sampaio, Isabel Maria Soares Pereira da Fonseca de
Carneiro, Joana Filipa Paiva de Ferreira Gomes
Palavras-chave: Rickettsia
Babesia
Ehrlichia
Anaplasma
Cão
Ixodídeo
Dog
Tick
Data de Defesa: 20-Jun-2008
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Resumo: A presente dissertação refere-se ao período de Setembro de 2007 a Janeiro de 2008, durante o qual foi desenvolvida a componente prática do Estágio do Curso de Mestrado Integrado, no Hospital Escolar da Faculdade de Medicina Veterinária. Foi possível acompanhar uma casuística variada na área da Clínica de Animais de Companhia, dentro da qual foi escolhido o tema “Parasitoses caninas transmitidas por ixodídeos” para desenvolvimento. Existem várias parasitoses, sensu lato, transmitidas por ixodídeos, que afectam a espécie canina, focando-se aquelas cujos agentes etiológicos incluem as espécies dos géneros: Rickettsia, Babesia, Ehrlichia, Anaplasma e Theileria. Tipicamente, estas são caracterizadas por sinais clínicos não específicos como febre, letargia e anorexia. Podem também verificarse, entre outros, perda de peso, mucosas pálidas, linfadenomegália, claudicação, icterícia, hepatoesplenomegália, edema subcutâneo, discoloração da urina, tendências hemorrágicas, manifestações oculares e neurológicas. A alteração laboratorial mais consistente é a trombocitopénia, sendo também frequente a anemia, hipoalbuminémia e hiperglobulinémia. O diagnóstico baseia-se em métodos serológicos, moleculares e/ou de microscopia óptica. O tratamento etiológico de eleição nas riquetsioses, erliquioses e anaplasmoses é realizado com doxiciclina ou minociclina. Nas babesioses e teilerioses utiliza-se imidocarb ou diminazeno. A forma primária de prevenção destas parasitoses assenta no controlo dos vectores, existindo imunoprofilaxia apenas contra B. canis. Adicionalmente, algumas espécies que infectam canídeos têm também potencial zoonótico. No âmbito do tema escolhido, foi realizado um estudo, relativo a 28 cães, que evidenciaram contacto prévio com Rickettsia spp. (23/26), B. canis (14/24), Ehrlichia sp. (10/24) e A. platys (1/1), determinado através de imunofluorescência indirecta, reacção em cadeia da polimerase, ou microscopia óptica. A descrição geral da população, os aspectos epidemiológicos e clínicos e, a dificuldade de diagnóstico destas parasitoses, aquando da presença de doenças concomitantes, foram abordados.
ABSTRACT This thesis concerns the period between September 2007 and January 2008, during which took place the curricular training of the Integrated Master degree in Veterinary Medicine, at the Faculty of Veterinary Medicine Teaching Hospital. In this training, it was possible to follow a diverse caseload in the Small Animal’s Medicine field, including cases regarding the selected subject “Canine tick-borne parasitic diseases”. There are many tick-borne parasitic diseases, sensu latu, which can affect dogs. The ones caused by species of the genera Rickettsia, Babesia, Ehrlichia, Anaplasma and Theileria, are reviewed and discussed. Typically, these diseases are characterized by non-specific clinical signs like fever, lethargy and anorexia. Other signs may be apparent, including weight loss, pale mucous membranes, lymphadenomegaly, lameness, icterus, hepatosplenomegaly, subcutaneous oedema, urine discoloration, bleeding tendencies, ocular and neurological signs. The most consistent laboratory abnormality is thrombocytopenia, but anemia, hypoalbuminemia and hyperglobulinemia are also common. The diagnosis is based on serologic, molecular and/or optical microscopy methods. Specific treatment of choice includes doxycycline and minocycline, for rickettsiosis, ehrlichiosis and anaplasmosis. Imidocarb and diminazene are indicated for babesiosis and theileriosis. Vector control represents the primary mean of prevention for these diseases. At present, vaccination is available against B. canis only. In addition, it is important to highlight that some of these canine diseases also have a zoonotic feature. On the subject of the selected theme, it was carried out a study involving 28 dogs, showing previous exposure to Rickettsia spp. (23/26), B. canis (14/24), Ehrlichia sp. (10/24) and A. platys (1/1), determined by indirect immunofluorescence, polimerase chain reaction or optical microscopy. The general description of the population, the epidemiological and clinical aspects and, the challenge in diagnosing canine tick-born parasitosis when concurrent diseases are present, were discussed.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/880
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Parasitoses Caninas Transmitidas por Ixodídeos.pdf1,24 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.