Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/8791
Título: Parasitoses gastrointestinais e cardiopulmonares em cães : estudo epidemiológico em canis de Portugal Continental
Autor: Félix, Liliana Isabel Branco
Orientador: Cruz, Luís Miguel do Amaral
Carvalho, Luís Manuel Madeira de
Palavras-chave: Parasitas
Gastrointestinais
Cardiopulmonares
Canis
Cães
Prevalência
Portugal
Parasites
Gastrointestinal
Cardiopulmonary
Shelters
Dogs
Prevalence
Data de Defesa: 27-Mai-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Félix, L.I.B. (2015). Parasitoses gastrointestinais e cardiopulmonares em cães : estudo epidemiológico em canis de Portugal Continental. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa
Resumo: As parasitoses gastrointestinais e cardiopulmonares de canídeos assumem um importante papel na medida em que apresentam distribuição mundial e impacto em Saúde Pública e animal. Dados sobre a situação epidemiológica em Portugal são escassos e pontuais, motivo pelo qual se procedeu ao estudo de larga escala de norte a sul de Portugal. Entre Maio e Setembro de 2014 procedeu-se à colheita de 200 amostras fecais e 265 amostras de sangue em canis de Portugal com elevada densidade de animais. Para observação e caracterização de parasitas nas amostras fecais utilizaram-se técnicas coprológicas qualitativas, nomeadamente Flutuação de Willis, Sedimentação natural e Baermann. Para pesquisa de infeção por Dirofilaria immitis, foi utilizado o kit rápido de antigénio Witness®Dirofilaria (Synbiotics Corporation) e a Técnica de Knott modificada para identificação e diferenciação de microfilárias. Das amostras fecais analisadas, 25% apresentavam parasitas gastrointestinais e registou-se co-infecção em 16% das amostras. Entre as classes com maior frequência, destacam-se os nemátodes (68%), seguido dos protozoários (34%) e por fim céstodes (14%). Ancylostomatidae foi o parasita mais frequente (11%), seguido por Cystoisospora spp. (8%), Toxocara spp. (5%), Taeniidae (3,5%) e Toxascaris spp. e Trichuris spp. (1.5%). Castelo Branco apresentou maior prevalência de amostras parasitadas (36%), seguido pela Guarda (33.3%), Portalegre (33%), Beja (27,6%), Bragança (26.9%), Évora (25%), Lisboa (10.3%) e por fim Faro (8.7%). Observou-se uma prevalência global de 2,8% (7/264) de infecção por D. immitis, sendo Beja o distrito com maior prevalência (8.9%), seguido da Guarda (6,7%), Faro (2,7%) e Castelo Branco (2,5%). Não se registaram casos positivos em Bragança, Portalegre, Lisboa e Évora. Não se observou presença de Dirofilaria repens ou Angiostrongylus. vasorum. Os resultados observados indicam um elevado grau de parasitismo nos animais dos canis de Portugal. Considerando ao potencial zoonótico de muitos destes agentes, estes dados alertam para a necessidade da sensibilização da comunidade em geral, principalmente de médicos veterinários, funcionários, voluntários e visitantes dos canis em geral, bem como a necessidade de reforçar as medidas profiláticas nestes animais.
ABSTRACT - GASTROINTESTINAL AND CARDIOPULMONARY PARASITOSIS IN DOGS. EPIDEMIOLOGICAL STUDY ON SHELTERS OF PORTUGAL CONTINENTAL. - Dog gastrointestinal and cardiopulmonary parasites have an important role since they have world distribution and higt impact on Aninal and Public Health. Data on the epidemiological situation in Portugal is scarce and focal, reason why it was held a large-scale study from north to south of Portugal. Between May and September 2014 proceeded to a collection of 200 fecal samples and 265 blood samples, in shelters with high density of animals, in Portugal. For observation and characterization of parasites in fecal samples coprological qualitative techniques were performed, including Flotation Willis, Natural Sedimentation and Baermann. For the search of Dirofilaria immitis infection commercial kits for the detection of antigen Witness®Dirofilaria (Synbiotics Corporation) and the modified Knott technique were used for microfilariae identification and differentiation. Of the analysed faecal samples, 25% had gastrointestinal parasites and was registered co-infection in 16% of the samples. Among the classes with most frequency, nematodes (68%) were the most important, followed by protozoa (34%) and finally cestodes (14%). Ancylostomatidae were the most common parasites (11%), followed by Cystoisospora spp. (8%), Toxocara spp. (5%), Taeniidae (3.5%) and Toxascaris spp. and Trichuris spp. (1.5%). The district of Castelo Branco showed higher prevalence of infected animals (36%), followed by Guarda (33.3%), Portalegre (33%), Beja (27.6%), Bragança (26.9%), Évora (25%), Lisbon (10.3%) and finally Faro (8.7%). We observed an overall prevalence of 2.8% (7/264) of D. immitis infection, were Beja district had the highest prevalence (8.9%), followed by the Guarda (6.7%), Faro (2.7 %) and Castelo Branco (2.5%). There were no positive cases in Bragança, Portalegre, Évora and Lisbon. The presence of Dirofilaria repens or Angiostrongylus vasorum was not observed. The observed results indicate a high degree of parasitism in shelters animals in Portugal. Considering the zoonotic potential of many of these agents, these data highlight the need of awareness in the general community, mainly veterinarians, staff, volunteers and visitors to the shelters in general, as well the need for the reforcement of prophylactic measures in these animals.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/8791
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.