Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/8790
Título: Contribuição para o estudo da paraoxonase sérica tipo 1 em oncologia canina
Autor: Inácio, Filipa Lima
Orientador: São Braz, Berta Maria Fernandes Ferreira
Vicente, Gonçalo Eduardo Vítor
Palavras-chave: Stress oxidativo
Paraoxonase sérica tipo 1
Prognóstico
Linfoma
Mastocitoma
Oxidative stress
Paraoxonase 1
Prognosis
Lymphoma
mast cell tumour
Data de Defesa: 27-Mai-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Inácio, F.L. (2015). Contribuição para o estudo da paraoxonase sérica tipo 1 em oncologia canina. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: A iniciação e a progressão neoplásica têm sido relacionadas com o stress oxidativo, o qual atua como agente de lesão genética, aumentando as mutações e levando à indução de lesão do ADN (ácido desoxirribonucleico), à instabilidade do genoma, à proliferação celular, ao aumento da sobrevivência e da migração celular. A existência de neoplasia está também associada a baixas concentrações de antioxidantes no sangue. A paraoxonase sérica tipo 1 (PON1) pertence à família das proteínas de fase aguda rápida negativa com propriedades antioxidantes e por isso relacionada com doenças que envolvem o stress oxidativo e, consequentemente, com doenças neoplásicas. O presente estudo teve como objetivo a determinação do valor prognóstico da variação da atividade da PON1 em oncologia canina. Assim, foi avaliado o valor da atividade da PON1 em 48 cães, metade pertencente ao grupo controlo e os restantes ao grupo de doentes oncológicos. Entre estes foram estudados oito cães com linfoma e dezasseis com mastocitoma. Foi realizada a comparação do valor da atividade da PON1 entre os diferentes grupos de animais estudados, foram avaliadas as variações de PON1 de acordo com a idade, género e algumas alterações encontradas nos parâmetros de estado geral dos doentes oncológicos e foi estudada a função de sobrevivência. Os resultados revelaram uma diminuição dos valores da atividade da PON1 nos doentes oncológicos, variação esta mais acentuada nos animais com linfoma. Não se observaram diferenças estatisticamente significativas entre géneros e entre os animais com menos e com 10 anos ou mais. Já os animais com sinais gastrointestinais e com alterações no hemograma revelaram diferenças significativas nos valores de atividade da PON1. Foram observadas diferenças estatisticamente significativas na atividade da PON1 na sobrevida dos animais com doença oncologica. Face aos resultados obtidos pode concluir-se que, embora existam diversos fatores de prognóstico, a análise da atividade da PON1 é vantajosa nos animais que apresentam linfoma e por este facto constituir uma ajuda valiosa para os clínicos na decisão da terapêutica a aplicar e para os proprietários quanto à abordagem ao seu animal.
ABSTRACT - Neoplasic initiation and progression has been related with oxidative stress, since it acts as a genetic lesion agent, increasing mutations and leading to DNA (deoxyribonucleic acid) damage, genome instability, cellular proliferation, increased survival and cell migration. Low concentrations of essential antioxidants are observed in the bloodstream, associated with the oncologic disease. Paraoxonase 1 (PON1) is a fast negative acute phase protein with antioxidant properties, thereby it is related to several diseases involving oxidative stress, and therefore with neoplastic diseases. The present study aimed to determinate the prognosis value of the PON1 activity variation in canine oncology. The sample studied consisted in 48 dogs, half of which belonged to the control group and the remaining were oncologic patients: eight with lymphoma and sixteen with mast cell tumour, in which the value of PON1 activity was measured. In theis study the value of PON1 activity of the different groups was compared, as well as the PON1 activity variations according with age, gender and some changes in the general health parameters of the oncologic patients and the survival function was studied. The results revealed a decrease in PON1 value in the oncologic patients, which was more pronounced in the lymphoma patients. No significant differences were found regarding gender and age. Only the dogs with gastrointestinal signs and with blood cell count changes revealed some statistical differences. Significant differences were observed in survival between animals with “Higher” and “Lower” PON1 activity values. Considering our results, and although there are several prognostic factors in these tumours, it can be concluded that PON1 activity analysis maybe usefull and can help the owners with their decisions concerning the therapeutic approach of their pet.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/8790
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Contribuição para o estudo da paraoxonase sérica tipo 1 em oncologia canina.pdf1,41 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.