Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/869
Título: Ruptura do ligamento cruzado cranial em canídeos: avanço da tuberosidade tibial: estudo do ângulo do plateau tibial em canídeos
Outros títulos: Rupture of the cranial cruciate ligament in dogs: tibial tuberosity advancement: study of the tibial plateau angle in dogs
Autor: Dias, Filipe Alexandre Coelho
Orientador: Armés, Henrique Mário da Silva
Pomba, Maria Constança Matias Ferreira
Palavras-chave: Ruptura
Ligamento cruzado cranial
Avanço tuberosidade tibial
Articulação fémuro-tíbio-patelar
Ângulo do plateau tibial
Canídeos
Cranial cruciate ligament
Tibial tuberosity advancement
Stifle
Tibial plateau angle
Dogs
Data de Defesa: 17-Jul-2008
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Resumo: A ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCC) é uma das lesões mais comuns em canídeos e a maior causa de doença degenerativa articular da articulação Fémuro-Tíbio-Patelar. Para melhor entendimento da RLCC é necessário que se conheça a biomecânica da complexa AFTP. Se a inclinação do plateau tibial não for perpendicular ao ligamento patelar, como acontece em canídeos com deficiência do ligamento cruzado cranial (LCC), nasce uma nova força de deslocamento cranial da tíbia (FDCT) que origina o movimento de gaveta cranial. O diagnóstico de ruptura é realizado através de uma boa história clínica e avaliação ortopédica específica do paciente. Nestes pacientes, existe cerca de 30 % a 40 % de probabilidade de ocorrência de RLCC na AFTP contra-lateral. A patogénese da ruptura permanece todavia desconhecida. Na maioria das veies a origem da ruptura não é traumática, mas sim relacionada com alterações degenerativas da própria idade ou desuso. As alterações experimentadas pelo ligamento desenvolvem-se mais frequentemente em canídeos jovens de raças gigantes, quando comparadas com raças miniatura.
ABSTRACT - Rupture of the cranial cruciate ligament (RCCL) is one of the most common injuries in dogs and the major cause of the degenerative joint disease of the stifle. To clearly understand the RCCL is necessary to know the biomechanics of the complex femoral-tibio-patelar joint. If the tibial plateau is not perpendicular to the patelar ligament, a cranial tibial thrust force (CTIF) moves the tibia cranially, creating a typical drawer movement. The diagnosis of the cranial cruciate ligament (CCL) rupture is made by a good clinical history and a specific orthopaedic examination of the patient. In these patients, there is a 30% to 40% risk of RCCL occurrence in the contralateral stifle.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/869
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ruptura do Ligamento Cruzado Cranial - Avanço da Tuberosidade Tibial - Estudo do Ângulo do Platea.pdfDissertação de Mestrado Integrado4,4 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.