Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/8486
Título: Trombose da veia porta em animais de companhia : a importância do exame ecográfico no diagnóstico
Autor: Silva, Inês Alexandra Pinto da
Orientador: Ferreira, Rui Domingos da Mata Lemos
Niza, Maria Manuela Grave Rodeia Espada
Palavras-chave: Trombose
Veia porta
Exame ecográfico
Thrombosis
Portal vein
Ultrasound
Data de Defesa: 13-Abr-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Silva, I.A.P. (2015). Trombose da veia porta em animais de companhia : a importância do exame ecográfico no diagnóstico. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: A trombose da veia porta consiste na obstrução parcial ou total do fluxo sanguíneo, causada pela existência de um trombo no sistema venoso portal. No cão, a trombose da veia porta está associada a entidades clínicas como sépsis, pancreatite aguda necrotizante, nefropatia com perda de proteína, anemia hemolítica imuno-mediada, neoplasia, hepatite crónica, hiperadrenocorticismo e terapêutica com corticosteróides. No gato, a presença de doença hepatobiliar é considerada um fator de risco, assim como anomalias vasculares no sistema portal, carcinoma metastático, pancreatite e peritonite. O estudo retrospetivo aqui desenvolvido inclui 4 casos clínicos de trombose da veia porta em cães e gatos. O seu objetivo prendeu-se, essencialmente, com a determinação da etiologia, bem como com os achados ecográficos que permitiram o diagnóstico. A amostra foi constituída por 2 felídeos e 2 canídeos. Os primeiros, um macho e uma fêmea, tinham idades compreendidas entre os 12 e os 19 anos, ambos doméstico de pelo curto. Os canídeos, também de géneros diferentes, tinham idades compreendidas entre os 5 meses e os 14 anos, um de raça labrador retriever e outro de raça indeterminada. Os sinais clínicos apresentados revelaram-se demasiado ambíguos, não sendo suficientes para estabelecer um diagnóstico, o que direcionou os clínicos responsáveis para a realização de exames complementares, nomeadamente, ecografia abdominal. Em todos os casos apresentados, foi possível identificar a presença de um trombo hipoecogénico no lúmen da veia porta, com alterações de fluxo na avaliação Doppler cor do segmento vascular afetado e dilatação venosa marcada a montante, compatíveis com trombose da veia porta. O recurso ao exame ecográfico permitiu ainda determinar a origem etiológica. Em ambos os gatos, foi identificada a presença de neoplasia pancreática (2/4), uma das quais infiltrativa, com observação do respetivo trombo tumoral. Nos restantes casos, foi identificada uma anomalia vascular congénita, mais concretamente, fístula arterioportal (1/4) e cirrose e pancreatite concomitantes (1/4). A trombose da veia porta é uma entidade clínica subestimada, quer na literatura científica, quer na prática clínica, tornando-se imperativo sensibilizar os clínicos para a sua existência.
ABSTRACT - Portal vein thrombosis in small animals: the importance of ultrasound to the diagnosis - The portal vein thrombosis is the partial or total obstruction to the blood flow caused by a thrombus in the portal venous system. In the dog the portal vein thrombosis is mainly associated with sepsis, acute necrotizing pancreatitis, protein losing nephropathy, immune mediated hemolytic anemia, neoplasia, chronic hepatitis, hyperadrenocorticism and corticosteroid therapy. In the cat the hepatobiliary disease, vascular anomalies in the portal venous system, metastatic carcinoma, pancreatitis and peritonitis are the risk factors for portal vein thrombosis. A retrospective study was made to evaluate 4 clinical cases about portal vein thrombosis in dogs and cats. Its main propose was the determination of the etiology and the sonographic findings that contributed to the diagnosis. The sample had 2 cats and 2 dogs. The cats, a female and a male, were 12 and 19 years old, respectively, booth domestic shorthair. The dogs were also of different genders and aged 5 months to 14 years, one retriever labrador and the other indeterminate breed. The presented clinical signs were too ambiguous to make a diagnosis, so the clinicians had to do diagnostic procedures, such as an abdominal ultrasound. In all cases shown, it was possible to identify the presence of a hypoechoic thrombus in the vein lumen, with changes in flow seen in color Doppler and marked vascular dilatation upstream, all compatible with portal vein thrombosis. The ultrasound allowed the determination of the etiological origin. In booth cats it was identified a pancreatic neoplasia (2/4), one of which infiltrative. In the other cases the etiology was congenital vascular anomalies, such as arterioportal fistula (1/4) and concomitant cirrhosis and pancreatitis (1/4). The portal vein thrombosis is an underestimated medical condition, either in the scientific literature or in clinical practice. So, it is very important that veterinarians make aware of this issue.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/8486
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Trombose da veia porta em animais de companhia - a importância do exame ecográfico no diagnóstico.pdf1,86 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.