Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/8485
Título: Deteção da infeção por Leishmania spp., em gatos da Área Metropolitana de Lisboa, através de técnicas de diagnóstico serológico (IFI e ELISA) e de uma técnica molecular (qPCR) aplicada a células conjuntivais e a sangue
Autor: Gomes, Patrícia Inês Santos
Orientador: Chambel, Luís Miguel Caeiro
Sampaio, Isabel Maria Soares Pereira de Fonseca de
Palavras-chave: Leishmania infantum
Gato
Área Metropolitana de Lisboa
ELISA
IFI
qPCR
Células conjuntivais
Sangue
Cat
Lisbon Metropolitan Area
IFAT
Conjunctival cells
Blood
Data de Defesa: 8-Abr-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Gomes, P.I.S. (2015). Deteção da infeção por Leishmania spp., em gatos da Área Metropolitana de Lisboa, através de técnicas de diagnóstico serológico (IFI e ELISA) e de uma técnica molecular (qPCR) aplicada a células conjuntivais e a sangue. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: A leishmaniose visceral zoonótica é uma doença endémica em Portugal e é causada pelo protozoário Leishmania infantum. O cão é o principal hospedeiro reservatório natural, contudo o gato (Felis catus domesticus) tem revelado uma importância crescente na epidemiologia da doença. Nesta dissertação foi realizado um rastreio epidemiológico da infeção por Leishmania spp. em 47 animais, 32 deles com dono e 15 provenientes de um gatil, na Área Metropolitana de Lisboa (AML), utilizando duas técnicas serológicas, para pesquisa de anticorpos anti-Leishmania - Ensaio Imunoenzimático (ELISA) e Imunoflorescência Indireta (IFI) -, ambas com limiar de positividade de 1:80, e uma técnica molecular para deteção de ADN do parasita - Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real (qPCR), utilizando sangue, colhido por venipuntura, e células conjuntivais (CC), obtidas por zaragatoa conjuntival, como amostras biológicas. Foram ainda avaliados possíveis fatores de risco através da recolha de informação proveniente de um questionário por animal. Por ambos os métodos serológicos, nenhum animal apresentou anticorpos anti-Leishmania, pelo que não foi possível determinar qual a técnica mais adequada para detetar o protozoário nos gatos. Pela técnica de qPCR, 31,9% (15/47) das amostras de CC e 25,0% (8/32) das de sangue evidenciaram ADN de Leishmania spp. (com carga parasitária entre 140 e 1187 cópias da sequência alvo nas amostras de CC e entre 880 e 3186 cópias da sequência alvo no sangue). Através da análise estatística, concluiu-se que não existiu, neste estudo, nenhuma associação estatisticamente significativa (p < 0,05) entre os vários fatores de risco e os resultados das técnicas utilizadas. Os médicos veterinários e proprietários devem ser alertados para o crescente número de casos da infeção por L. infantum e de leishmaniose felina em Portugal, devendo esta parasitose fazer parte do painel de diagnósticos diferenciais no gato.
ABSTRACT - DETECTION OF LEISHMANIA SPP. INFECTION, IN CATS OF LISBON METROPOLITAN AREA, BY SEROLOGIC TECHNIQUES (IFAT AND ELISA) AND A MOLECULAR TECHNIQUE (qPCR) APPLIED TO CONJUNTIVAL CELLS AND BLOOD SAMPLES - Zoonotic visceral leishmaniosis is an endemic disease in Portugal caused by Leishmania infantum. Dog is the main natural reservoir host, however cat (Felis catus domesticus) has shown an increasing importance in the disease’s epidemiology. In this study, an epidemiological survey of Leishmania spp. infection was carried out in 47 animals, 32 with owners and 15 from a shelter, in Lisbon Metropolitan Area, using two serological - Enzyme-Linked Immunosorbent Assay (ELISA) and Immunofluorescence Antibody Test (IFAT) – with a 1:80 cut-off for detection of anti-Leishmania antibodies, and a molecular technique – Real-Time Polymerase Chain Reaction (qPCR) - for detection of Leishmania DNA in blood samples collected by venipuncture and conjunctival cells (CC) samples collected by conjunctival swab. A written questionnaire was used to collect data in order to evaluate the possible risk factors for Leishmania spp. infection in cats. All the serum samples were negative by both serological methods. By qPCR, 31,9% (15/47) of the CC samples and 25,0% (8/32) of blood samples showed Leishmania spp. DNA (parasitic load varied between 140 and 1187 copies of the target sequence in the CC samples and between 880 and 3186 copies in blood samples). In the present work, there was not statistically significant association (p < 0.05) between risk factors and diagnostic results. Veterinarians and owners should be aware of the growing number of cases of L. infantum infection and feline leishmaniosis in Portugal, in order to consider this parasitic disease in the cat differential diagnosis panel.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/8485
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.