Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/8442
Título: Colonização nasal por staphylococci meticilina-resistente em portadores humanos saudáveis em contacto diário profissional com animais : frequência e estudo de seguimento
Autor: Rodrigues, Ana Catarina de Jesus Lopes
Orientador: Cruz, Luís Miguel do Amaral
Pomba, Maria Constança Matias Ferreira
Palavras-chave: Colonização
Persistência
Profissionais veterinários
Disseminação
MRS
Portugal
Colonization
Persistence
Veterinary professionals
Dissemination
Data de Defesa: 18-Mar-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Rodrigues, A.C.J.L. (2015). Colonização nasal por staphylococci meticilina-resistente em portadores humanos saudáveis em contacto diário profissional com animais : frequência e estudo de seguimento. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Os staphylococci meticilina-resistente (MRS) são agentes oportunistas de grande importância em Medicina Humana e Veterinária. Os objetivos deste estudo consistiram em investigar co-lonização nasal e persistência de MRS em pessoas em contacto diário profissional com ani-mais e identificar possíveis fatores de risco associados a colonização. Assim, foram obtidas zaragatoas nasais de 71 médicos veterinários, 34 estudantes de Medicina Veterinária e Enfer-magem Veterinária, 14 auxiliares e 10 enfermeiros veterinários. A pesquisa de MRS foi reali-zada em agar manitol com sal e em agar Brilliance MRSA2. A identificação das espécies foi obtida por PCR espécie-específicos. A resistência à meticilina foi confirmada por PCR com amplificação dos genes mecA e mecC. As estirpes foram caracterizadas por tipagem SCCmec, spa, MLST e PFGE. As pessoas colonizadas por MRS foram contactadas para par-ticiparem no estudo de seguimento. Foram detetadas 79 (61%) pessoas colonizadas por, pelo menos, uma espécie de MRS [S. epidermidis (MRSE, n=68), S. aureus (MRSA, n=19), S. haemolyticus (MRSH, n=7), S. pseudintermedius (MRSP, n=2) e outros staphylococci coagu-lase-negativo (n=4)]. Entre as estirpes MRSA (n=7) foram identificadas 3 linhagens: ST22-t032-IV (n=3), principal clone nosocomial humano em Portugal, ST398-t108-V (n=3), MRSA associado a animais de produção, e ST105-t002-II (n=1), clone relacionado ao Nova Ior-que/Japão. As estirpes MRSP pertenciam ao clone Europeu ST71-II-III. As estirpes MRSE (n=5) foram identificadas como ST5 (n=2) e ST35 (n=3), ambas pertencentes ao CC5, o qual é o predominante no Homem e nos animais de companhia em Portugal. Foram identificados como fatores de risco: i) ser profissional veterinário (médico veterinário, enfermeiro e auxiliar veterinário) (P <0.0001, odds ratio [OR]=6.369, [2.683-15.122]), comparativamente a ser estudante; e ii) ter contactado com um animal positivo para MRSA ou MRSP (P=0.0361, OR=2.742, [1.067-7.045]). O estudo de seguimento, realizado em 54 pessoas, permitiu verifi-car que a maioria (85%) continuava colonizada, ao fim de 1 a 4 meses, por uma das espécies de MRS iniciais, devendo-se esta persistência à presença da mesma estirpe (MRSA e MRSP) ou à aquisição sucessiva de estirpes (MRSE). Este estudo confirma a presença de MRS na prática clínica veterinária em Portugal, sendo necessário implementar medidas de prevenção e controlo de infeção para minimizar a disseminação dos mesmos.
ABSTRACT - Nasal colonization by methicillin-resistant staphylococci in healthy people in profession-al daily contact with animals: frequency and a follow-up study - Methicillin-resistant staphylococci (MRS) are opportunistic agents of great importance in Human and Veterinary Medicine. The objectives of this study were to assess the frequency of nasal colonization and persistence of MRS in people with professional daily contact with ani-mals and to identify possible risk factors associated with colonization. Therefore, nasal swabs were collected from 71 veterinarians, 34 veterinary and nursing students, 14 technicians and 10 veterinary nurses. MRS were screened on Mannitol Salt Agar and Brilliance MRSA2 agar. Species identification was obtained by species-specific PCR. Methicillin-resistance was confirmed by PCR amplification of the mecA and mecC genes. Strains were characterized by SCCmec, spa, MLST and PFGE typing. People colonized by MRS were contacted to partici-pate in the follow-up study. Seventy-nine (61%) people were found to be colonized by, at least, one MRS specie [S. epidermidis (MRSE, n=68), S. aureus (MRSA, n=19), S. haemolyti-cus (MRSH, n=7), S. pseudintermedius (MRSP, n=2) and other coagulase-negative staphylo-cocci (n=4)]. Among the MRSA strains (n=7) 3 lineages were identified: ST22-t032-IV (n=3), the major human healthcare clone in Portugal, ST398-t108-V (N=3), the livestock-associated MRSA, and ST105-t002-II (n=1), the New York/Japan related clone. MRSP strains belonged to the European clone ST71-II-III. MRSE strains (n=5) were identified as ST5 (n=2) and ST35 (n=3), both belonging to CC5, which is prevalent in Humans and companion animals in Portugal. Were identified as risk factors: i) being a veterinary professional (veterinarian, vet-erinary technician and nurse) (P<0.0001, odds ratio [OR]=6.369, [2.683-15.122]), versus be-ing a student; and ii) have contacted with one MRSA- or MRSP-positive animal (P=0.0361, OR=2.742, [1.067-7.045]). The follow-up study, carried out in 54 people, showed that the majority (85%) remain colonized, after 1 to 4 months, by one of the initial MRS species, with this persistence being due to the presence of the same strain (MRSA and MRSP) or succes-sive strains acquisition (MRSE). This study confirms the presence of MRS in veterinary clini-cal practice in Portugal, being necessary to implement infection control and preventive measures to minimize their spread.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/8442
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.