Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/7959
Título: Epidemiologia e controlo de helmintes intestinais em éguas e poldros Puro Sangue Lusitano em regime de maneio extensivo no Ribatejo e no Baixo Alentejo
Autor: Cabaço, Bernardo Maria de Melo Franco Gaspar
Orientador: Carvalho, Luís Manuel Madeira de
Palavras-chave: Epidemiologia
Controlo parasitário
Helmintes intestinais
Coudelarias
Equinos
Puro Sangue Lusitano
Epidemiology
Parasite control
Intestinal helminths
Stud farms
Equine
Pure Bred Lusitano
Data de Defesa: 2-Fev-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Melo-Franco, B. (2015). Epidemiologia e controlo de helmintes intestinais em éguas e poldros Puro Sangue Lusitano em regime de maneio extensivo no Ribatejo e no Baixo Alentejo. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Os equinos apresentam-se, por norma, infectados por inúmeras espécies de helmintes numa complexa fauna parasitológica, muitos deles com elevada patogenicidade. Assim, recomenda-se o delineamento de programas de controlo parasitário capazes de manter baixos níveis de carga parasitária compatíveis com um estado hígido. Pretendendo avaliar a epidemiologia e as formas de controlo de helmintes intestinais aplicadas em equinos criados em regime extensivo no Ribatejo e Baixo Alentejo colheram-se, mensalmente, amostras fecais entre Dezembro de 2012 e Janeiro de 2014, de 60 equinos (20 éguas, seus poldros de mama e respectivos poldros de ano) distribuídos equitativamente por duas coudelarias: concelho de Serpa (CS) e da Azambuja (CA). As amostras foram analisadas segundo técnicas coprológicas quantitativas e qualitativas. Realizou-se ainda a técnica da fita adesiva para pesquisa de ovos/adultos de Oxyuris equi. A análise da informação supracitada permitiu propor um esquema integrado e sustentável para o controlo das parasitoses identificadas. Nas duas coudelarias, identificaram-se animais positivos aos seguintes helmintes intestinais: O. equi (CS-70%; CA-67%), estrongilídeos intestinais [EI] (CS-100%; CA-93%), Parascaris spp. (CS-59%; CA-52%), Strongyloides westeri (CS-10%; CA-4%) e Anoplocephala spp. (CS e CA-3%). O perfil de eliminação de ovos de EI nas éguas foi subtil, verificando-se apenas alguma sazonalidade nos poldros, com picos na Primavera, no Verão e no Outono. O género Cyathostomum, sensu latum foi o mais prevalente (85%) e abundante (99,7%). A eliminação de ovos de EI parece variar também em função da idade dos animais. As éguas eliminam, geralmente, valores mais baixos de ovos por grama de fezes (OPG) que os poldros, tendendo este valor a aumentar com a idade dos poldros. A imunidade tem um papel crucial na eliminação de ovos de ascarídeos, ocorrendo valores de OPG muito elevados nos poldros lactentes e nulos nas éguas. Identificou-se O. equi em poldros de 2 e 3 meses de idade sugerindo um encurtamento do período pré-patente em cerca de 50%, mas também em éguas adultas. A Doramectina revelou-se pouco eficaz no controlo destes helmintes, em especial, de O. equi, enquanto o Febendazol e a Ivermectina/Praziquantel são mais eficazes. Cerca de 94% das éguas foram desparasitadas sem justificação válida (OPG≤500).
ABSTRACT - Melo-Franco, B. (2014). Epidemiology and Control of Intestinal Helminths in Pure Bred Lusitano Mares and their Foals Raised in Extensive System in Ribatejo and Baixo Alentejo. - Horses are usually infected with several different helminths species in a complex parasitological fauna, most of them very pathogenic. Thus, the implementation of anthelminthic control programs should be considered to keep the parasite burden at minor levels, therefore compatible with an adequate animal health status. Intending to evaluate the intestinal helminths epidemiology and their ways of control in horses raised in extensive system in Ribatejo and Baixo Alentejo, faecal samples have been collected monthly from December 2012 to January 2014, from 60 horses (20 mares, their foals and respective yearlings) equitably distributed per two stud farms: municipalities of Serpa (MS) and Azambuja (MA). These samples were analyzed using quantitative and qualitative coprological techniques. Scotch tape technique was also performed to search for eggs and adults of Oxyuris equi. Finally, based on the data analysis, it was possible to propose an integrated and sustainable scheme for the control of the identified parasitosis. The following intestinal helminths were found: O. equi (MS-70%; MA-67%), equine strongyles [ES] (MS-100%; MA-93%), Parascaris spp. (MS-59%; MA-52%) Strongyloides westeri (MS-10%; MA-4%) and Anoplocephala spp. (MS and MA-3%). Mares’s ES egg shedding is subtle, whereas a seasonal pattern on foals can be achieved with rises in spring, summer and autumn. The genus Cyathostomum, sensu latum was the most prevalent (85%) and abundant (99.7%). The ES egg shedding seems to be influenced by age. The mares generally shed lower values of eggs per gram of faeces (EPG) than the foals, which tends to increase with the age of the latest. The immune system plays a crucial role in roundworm egg shedding, occurring very high EPG values in suckling foals and null in mares. Pinworms were identified in foals with two and three months old, suggesting a prepatent period shortening of about 50%, and were also found in adult mares. Doramectin proved to be not very efficacious in controlling these helminths, particularly O. equi, while Febendazole and Ivermectin/Praziquantel proved to be more efficacious. About 94% of the mares were dewormed without valid justification (OPG≤500).
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/7959
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.