Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/7888
Título: Mapeamento cognitivo do espaço-tempo
Autor: Henriques, Diogo Pereira
Orientador: Agostinho, Francisco José Almeida Santos
Palavras-chave: Arquitetura
Mapas cognitivos
Pesquisa em design
GPS
Visualização
Architecture
Design research
Visualization
Data de Defesa: Fev-2014
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Arquitetura
Citação: HENRIQUES, Diogo Pereira - Mapeamento cognitivo do espaço-tempo. - Lisboa : FA, 2014. Tese de Mestrado.
Resumo: Com raízes na filosofia da Grécia antiga e na tradição intelectual do Ocidente, o estudo da representação do conhecimento na mente humana é um empreendimento intelectual e cultural sobre a sua própria natureza. As ciências cognitivas desempenharam um papel neste empreendimento, desenvolvendo formas de analisar os processos do pensamento, e um aspecto central proposto é a existência de um nível analítico de representação. Por outro lado, temos assistido ao desenvolvimento de tecnologias de recolha de imagens da actividade do cérebro e de informação que confirmam as bases neurológicas destas entidades de representação interna (e.g. imagens, mapas, esquemas). Através do estabelecimento de ligações entre campos de conhecimento das ciência cognitivas, e exemplos inovadores de visualização espacio-temporal (e.g. mapas, diagramas e outras visualizações), podemos aprofundar a compreensão das ligações entre os processos cognitivos e o espaço-tempo? Pode esta compreensão possibilitar novos avanços no domínio da arquitectura, nomeadamente na sua representação e concretização? Nesta dissertação, enquadramos o mapeamento cognitivo na área mais vasta da cognição espacial, definindo estruturas e processos, analisando funções e aplicações, em particular as que exploram as tecnologias digitais e de informação (e.g. GPS). Definimos mapa cognitivo, e analisamos cronologicamente o trabalho de investigadores que contribuíram nos séculos XX-XXI para a compreensão do mapeamento cognitivo do espaço-tempo, clarificando que estas concepções subjectivas do ambiente envolvente não correspondem directamente à realidade objectiva. Assim, afirmamos a definição de mapeamento cognitivo, indicamos métodos quantitativos e qualitativos de outras áreas do conhecimento que podem ser aplicados para a investigação do espaço-tempo em arquitectura, e salientamos a importância do desenho de esquiço como método de investigação. Apontamos o potencial de relacionar navegação do espaço-tempo e visualização de informação, e esboçamos tópicos de trabalho futuro através de pesquisa em design.
ABSTRACT: With roots in the philosophy of ancient Greece and in the intelectual tradition of the West, the study of the representation of knowledge in the human mind is an intelectual and cultural project on its nature. The cognitive sciences have played a role in this endeavor, developing forms to analyse the processes of thought, and one central aspect that was proposed is the existence of an analitic level of representation. On the other side, we have seen the development of technologies to collect images from the brain’s activivity and information that confirm the neural bases of this internal entities of representation (e.g. images, maps, schemes). Through the establishment of connections between fields of knowledge of the cognitive sciences, and innovative examples of spatiotemporal visualization (e.g. maps, diagrams and other visualizations), can we deepen the understanding of the connections of cognitive processes and space-time? Can this understanding enable new advances in the field of architecture, in particularly in its representation and implementation? In this dissertation, we frame cognitive mapping in the broader area of spatial cognition, defining structures and processes, analysing functions and applications, in particularly those exploring digital and information technologies (e.g. GPS). We define cognitive map, and we analyse chronologically the work of researchers that contributed in XX-XXI centuries for the understanding of cognitive mapping of space-time, making clear that these subjective conceptions of the surrounding environment doesn’t correspond directly to objective reality. Thus, we state the definition of cognitive mapping, we indicate quantitative and qualitative methods in other areas of knowledge that can be applied to the research of the space-time in architecture, and we emphasize the importance of sketch drawing as research method. We point out the potential to relate space-time navigation and information visualization, and outline topics for future work through design research.
Descrição: Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Arquitetura, apresentada na Universidade de Lisboa - Faculdade de Arquitetura
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/7888
Aparece nas colecções:BFA - Teses de Mestrado / Master Thesis
DPAUD - Tese de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
henriques_diogo_pereira2014miarq_faul01.pdf106,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.