Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/7887
Título: Corporate governance nos bancos portugueses
Autor: Galvão, Maria Azul Rodrigues
Orientador: Cardoso, Fernando
Palavras-chave: Corporate Governance
Bancos
Teoria de Agência
Risco
Banks
Agency Theory
Risk
Data de Defesa: 2014
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Galvão, Maria Azul Rodrigues (2014). "Corporate governance nos bancos portugueses". Dissertação de Mestrado, Universidade de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: Na Europa, a preocupação com as questões do Corporate Governance teve origem no Reino Unido em 1992, com a publicação do Relatório Cadbury, como reação a escândalos societários britânicos (BCCI, Mirror Group) com impacto em diversos países. Em Portugal a preocupação com o Corporate Governance só ganhou relevância em 1999 com aprovação pela CMVM de recomendações relativas a regras de conduta a observar no exercício do Corporate Governance das empresas admitidas à negociação. Essas regras de conduta para as empresas cotadas incluem empresas financeiras e não-financeiras. Vários têm sido os estudos desenvolvidos para as empresas não financeiras. Neste trabalho pretende-se estudar o Governance nas empresas financeiras e saber qual o nível de concretização das recomendações sobre o assunto em instituições financeiras portuguesas. Analisamos, por isso, algumas instituições financeiras portuguesas dentro do domínio global do Corporate Governance. Para concretizar este objetivo, desenvolvemos o estudo para os quatro maiores grupos financeiros que atuando em Portugal, reportam as suas contas consolidadas em Portugal. São elas: a Caixa Geral de Depósitos (CGD), o Banco Comercial Português (BCP), o Banco Espírito Santo (BES) e o Banco BPI (BPI). Pode-se confirmar que nas Instituições Financeiras analisadas, todas optaram por um modelo One Tier, tendo como base o Modelo Anglo-Saxónico aplicado em países como EUA e Reino Unido e todas elas seguem as recomendações da CMVM e EU.
Europe's concern with issues of began in the UK in 1992 with the publication of the Cadbury Report, in response to British corporate scandals (BCCI Mirror Group) whit impact in many countries. In Portugal, concerns about Corporate Governance has gained prominence only in 1999 with the approval of the CMVM recommendations regarding rules of conduct to be observed in exercising Corporate Governance of companies admitted to trading. These rules of conduct for listed companies include financial and non-financial companies. Several studies have been developed for non-financial companies. This paper aims to study the governance in financial companies and what level of recommendations’s implementation on the subject at Portuguese financial institutions. This study analyzes the Portuguese banks within the overall domain of Corporate Governance. From this analysis, a comparative study between four banking groups which consolidated accounts in Portugal developed, namely: Caixa Geral de Depósitos (CGD), Banco Comercial Português (BCP), Banco Espírito Santo (BES) and Banco Português de Investimento (BPI). It is possible to confirm that the financial institutions analyzed, all opted for a Tier One model, based on the model applied in Anglo-Saxon countries like USA and UK and they all follow the recommendations of the CMVM and EU.
Descrição: Mestrado em Finanças
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/7887
Aparece nas colecções:DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM-MARG-2014.pdf2,02 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.