Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/7685
Título: Compreender as mastites bovinas : relação entre a contagem de células somáticas e a incidência de mastites clínicas
Autor: Benevides, Nelson Filipe Silva
Orientador: Lima, Miguel Luís Mendes Saraiva
Palavras-chave: Mastites bovinas
Contagem de células somáticas
Mastite clinica
Micro-organismos
Mastite subclínica
Bovine mastitis
Somatic cell counts
Clinical mastitis
Microorganisms
Subclinical mastitis
Data de Defesa: 20-Nov-2014
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Benevides, N.F.S. (2014). Compreender as mastites bovinas : relação entre a contagem de células somáticas e a incidência de mastites clínicas. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: As mastites bovinas constituem uma das doenças mais frequentes e com maior impacto económico nas explorações leiteiras. O presente trabalho procurou descrever a relação entre a contagem de células somáticas (CCS) e a incidência de mastites clínicas, e foi realizado numa exploração de bovinos leiteiros da região do Ribatejo, com cerca de 400 vacas em lactação da raça Holstein Friesian. A exploração foi caracterizada para um conjunto de fatores que podem influenciar a dinâmica de infeções intramamárias: animal, ambiente e/ou maneio, nutrição, ordenha e micro-organismos. A contagem de células somáticas de leite de tanque anual do efetivo aumentou de 2007 para 2008. Com base no limiar das 200 000 células somáticas/ml de leite de vacas individuais determinou-se a percentagem de animais infetados e não infetados; com infeções crónicas, com infeções recentes, com auto-cura de infeções recentes e sem infeção; e a eficácia da terapêutica de secagem. De uma forma geral, tendo em conta estes parâmetros, constatou-se que a situação do efetivo piorou de 2007 para 2008. Em termos de mastites clínicas, as taxas de mastites e de recorrência foram mais elevadas em 2008 do que em 2007. As incidências médias de mastites clínicas por mês foram iguais em 2007 e em 2008. A incidência de mastites clínicas (IMC) por lactação, tanto em 2007 como em 2008, aumentou com o aumento do número de lactações, à exceção da transição da 3.ª para 4.ª lactação. Em 2008, a IMC por períodos de lactação de 60 dias, foi mais elevada nos primeiros 60 dias pós-parto, e, posteriormente foi diminuindo com o decorrer da lactação. Os micro-organismos mais frequentemente isolados, tanto de casos de mastite clínica como de mastite subclínica, foram Streptococcus uberis e Staphylococcus coagulase negativos. De casos de mastite clínica de grau II isolaram-se sobretudo bactérias de Gram positivo, enquanto nas de grau III foram, predominantemente, bactérias de Gram negativo. Relativamente ao estudo caso-controlo: relação entre a CCS de casos (animais diagnosticados com mastite clínica) e controlos (animais sem sinais visíveis de mastite clínica), verificou-se que a média de CCS dos casos foi mais elevada do que a dos controlos. No entanto, as diferenças registadas apenas foram estatisticamente significativas para a última e penúltima CCS antes do diagnóstico de mastite clínica.
ABSTRACT - UNDERSTANDING BOVINE MASTITIS: RELATIONSHIP BETWEEN SOMATIC CELL COUNTS AND CLINICAL MASTITIS INCIDENCE - Bovine mastitis remains one of the most frequent diseases and with the greatest economic impact in commercial dairy farms. The present work describes the relationship between somatic cell count (SCC) and clinical mastitis incidence, and was conducted in a dairy herd in the Ribatejo region, with around 400 lactating Holstein Friesian cows. The farm was characterized for a group of factors that can influence the dynamics of intramammary infections: animal, environment and/or management, nutrition, milking and microorganisms. The annual bulk milk somatic cell count of the herd increased from 2007 to 2008. Based on the threshold of 200,000 cells/ml we determined the proportion of animals that were infected and not infected; with chronic infections, recent infections self-cure of recent infections and without infections; and the efficacy of dry cow therapy. In general, these parameters showed that the situation of the herd worsened from 2007 to 2008. Regarding clinical mastitis, the rate of mastitis and the recurrence rate were higher in 2008 than in 2007. The mean incidences of clinical mastitis per month were the same in 2007 and 2008. In 2007 and 2008, the clinical mastitis incidence (CMI) per lactation number, increased with increasing number of lactation, except in the transition from 3rd to 4th lactation. In 2008, CMI per lactation period of 60 days was higher during the first 60 days post-partum, and subsequently decreased over the course of lactation. The most frequently isolated microrganisms, both from clinical and subclinical mastitis cases were Streptococcus uberis and coagulase-negative Staphylococcus. Gram-positive bacteria were isolated mainly from grade II clinical mastitis cases, while Gram-negative bacteria were predominantly isolated from grade III clinical mastitis cases. For the case-control study: relationship between SCC of cases (animals diagnosed with clinical mastitis) and controls (animals without visible signs of clinical mastitis), we found that the average SCC of the cases was higher than that of controls; the difference observed was statistically significant for the last and penultimate SCC before the diagnosis of clinical mastitis.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/7685
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.