Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/7306
Título: Acumulação diária e pico da cadência de passos, aptidão física e índice de massa corporal de pessoas idosas independentes
Autor: Ricardo, Ana Cristóvão
Orientador: Baptista, Maria de Fátima Marcelina
Palavras-chave: Actividade física
Agilidade
Aptidão física
Cadência de passos
Capacidade aeróbica
Equilíbrio
Flexibilidade
Força muscular
Idosos
Passos por dia
Data de Defesa: 2014
Citação: Ricardo, Ana (2014) - Acumulação diária e pico da cadência de passos, aptidão física e índice de massa corporal de pessoas idosas independentes. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Resumo: A preservação ou aumento da atividade física habitual tem constituído uma estratégia de prevenção da saúde e da independência funcional nas pessoas idosas. No entanto, a atividade física pode estar mais ou menos limitada pela aptidão física. O objetivo deste trabalho foi analisar as associações entre a atividade física habitual e a aptidão física de pessoas idosas independentes. Metodologia: A amostra incluiu 472 pessoas idosas independentes (313 mulheres e 159 homens) com idades compreendidas entre os 65 aos 103 anos. O funcionamento físico foi avaliado através do Composite Physical Function (Rikli & Jones, 2013), a atividade física (passos acumulados por dia, cadência máxima de passos num minuto e em 30 minutos) através de acelerometria (ActiGraph, GT1M model, Fort Walton Beach, Florida) e a aptidão física (capacidade aeróbia, força muscular e flexibilidade dos membros superiores e inferiores e agilidade) através do Senior Fitness Test (Rikli & Jones, 1999). Resultados: Foram observadas associações negativas entre as variáveis da atividade física e a idade, tanto nos homens como nas mulheres. O IMC correlacionou-se também negativamente com a atividade física mas somente nas mulheres. Quanto melhor a capacidade aeróbia maiores são os valores das variáveis da atividade física com ou sem ajustamento para a idade e IMC. Comparativamente à capacidade aeróbia, a força e a agilidade apresentam valores inferiores de correlação com as variáveis da atividade física deixando mesmo algumas capacidades físicas de serem significativas quando ajustadas para a idade e IMC. A capacidade aeróbia foi a capacidade física que melhor explicou a atividade física nas suas diferentes variáveis, explicando ~ 31-47% da acumulação diária de passos ou cadência máxima de passos num minuto tanto nos homens como nas mulheres. Conclusões: Conclui-se que a capacidade aeróbia é a variável da aptidão física que melhor explicou a atividade física ou vice-versa uma vez que se trata de um estudo transversal. No entanto, partindo do pressuposto de que a capacidade constitui o suporte do comportamento (atividade física) julgamos que é importante promover estratégias para preservar ou aumentar a capacidade aeróbia tendo em vista a manutenção ou melhoria da atividade física ambulatória das pessoas idosas, de forma preservar a sua funcionalidade.
Descrição: Mestrado em Exercício e Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/7306
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Definitiva_AnaRICARDO.pdf801,33 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.