Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6839
Título: Musculoskeletal injuries in young footballers and associated risk factors
Autor: Dias, Ricardo Jorge Afonso
Orientador: Oliveira, Raul Alexandre Nunes da Silva
Palavras-chave: Association football
Epidemiology
Football injuries
Injury incidence
Injury-reporting system
Medical attention injuries
Musculoskeletal injuries
Time-loss injuries
Epidemiologia
Incidência de lesão
Lesão atenção médica
Lesão tempo de paragem
Lesões músculo-esqueléticas
Lesões no futebol
Sistemas de registo de lesões
Data de Defesa: 2014
Citação: Dias, Ricardo (2014) - Musculoskeletal injuries in young footballers and associated risk factors. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Resumo: Background: Association Football is associated with high incidence of injuries that could affect both players and clubs in terms of cost for health and performance. Aims: Analyse injury characteristics, prevalence, incidence, and identify associated Risk Factors for musculoskeletal injuries in a youth Football Academy during one season, using both Medical Attention (MAI) and Time-loss injury (TLI) definitions. Methods: Descriptive epidemiological study with a prospective, cohort design that followed the recommendations of the F-MARC’s Consensus Statement on Injury Definitions and Data Collection Procedures in Studies of Football (Soccer) Injuries. Sample formed by 19 young footballers (17.05±0.52 years). Results: MAI prevalence was 94.74% (8.16 Injuries/Player) and TLI prevalence was 63.16% (1.58 Injuries/Player). MAI Total II was 44.54 Injuries/1000EH. Match II was more than six times higher than training’s. For TLI, Total II was 8.62 Injuries/1000EH. II was up to almost seven times higher in matches than training. Three quarters of injuries occurred in the lower limbs. MAI were most seen in the Lower Leg / Achilles Tendon, Knee and Thigh. TLI mainly affected the Thigh and Ankle. Haematoma / Contusion (MAI: 44.50%; TLI: 26.67%), Muscle (MAI: 22.60%; TLI: 23.33%) and Joint injuries (MAI: 12.90%; TLI: 16.67%) were the most common diagnosis. More than two thirds of injuries were traumatic and around 20% were due to Foul Play. Rate of recurrence was 10.97% (MAI) and 23.33% (TLI). Total Injury Burden was 211.77 Days of absence/1000EH, and was more than five times higher for matches than for training. Match injuries were more and more severe. Conclusions: Risk of injury was high throughout the season, with 18 out of 19 players sustaining at least one injury. High exposure to the physical and mental demands of football may predispose players to injury. Development of fair play and injury prevention strategies should be emphasized by coaching and medical staffs.
RESUMO: Enquadramento: O Futebol é associado a elevada incidência de lesões, que podem implicar custos para a saúde e performance de atletas e clubes. Objetivos: Analisar as características da lesão, prevalência, incidência, e identificar Fatores de Risco para lesões músculo-esqueléticas numa Academia de jovens futebolistas durante uma época, usando as definições de lesão “Medical Attention” (MAI) e “Time-loss” (TLI). Metodologia: Estudo epidemiológico descritivo, de desenho prospetivo em coorte que seguiu as recomendações do Consensus Statement on Injury Definitions and Data Collection Procedures in Studies of Football (Soccer) Injuries da F-MARC. Amostra constituída por 19 jovens futebolistas (17,05±0,52 anos). Resultados: A prevalência das MAI foi 94,74% (8,16 Lesões/Jogador) e das TLI foi 63,16% (1,58 Lesões/Jogador). A Incidência de Lesão Total (ILT) das MAI foi 44,54 Lesões/1000HE. A Incidência de Lesão em Jogos (ILJ) foi seis vezes maior que em treino (ILTr). Para as TLI, a ILT foi 8,62 Lesões/1000HE. A ILJ foi até sete vezes maior que a ILTr. Três quartos das lesões ocorreram nos membros inferiores. As MAI afetaram a Perna / Tendão de Aquiles, Joelho e Coxa. As TLI afetaram principalmente a Coxa e o Tornozelo. Hematoma / Contusão (MAI: 44,50%; TLI: 26,67%), lesão Muscular (MAI: 22,60%; TLI: 23,33%) e lesão Articular (MAI: 12,90%; TLI: 16,67%) foram os diagnósticos mais comuns. Mais de dois terços das lesões foram traumáticas e cerca de 20% deveram-se a Foul Play. A Taxa de Recidiva foi de 10,97% (MAI) e 23,33% (TLI). O Injury Burden Total foi 211,77 Dias de Ausência/1000HE, e foi pelo menos cinco vezes mais elevado em jogos que em treino. Lesões em jogo foram mais numerosas e mais graves. Conclusões: O risco de lesão foi elevado durante a época, com 18 em 19 jogadores a sofrer pelo menos uma lesão. Elevada exposição às exigências físicas e mentais do futebol podem predispor o jogador para lesão. Estratégias de fair play e prevenção de lesões devem ser enfatizadas pelas equipas técnica e médica.
Descrição: Mestrado em Ciências da Fisioterapia
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6839
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE_DEFINITIVA_RD.pdf6,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.