Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6759
Título: Influência da exposição a diferentes cargas mecânicas na mineralização e dimensão do esqueleto de crianças de 8 e 9 anos de idade.
Autor: Lopes, Raquel Maria Correia
Orientador: Baptista, Maria de Fátima Marcelina
Palavras-chave: Actividade física
CMO - Conteúdo mineral ósseo
DMO - Densidade mineral óssea
Crianças
Questionário de actividade física passada
Unidade de carga mecânica
Data de Defesa: 2009
Citação: Lopes, Raquel (2009) - Influência da exposição a diferentes cargas mecânicas na mineralização e dimensão do esqueleto de crianças de 8 e 9 anos de idade. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Resumo: Propósito: Averiguar a associação entre a exposição a diferentes cargas mecânicas, utilizando a unidade de carga mecânica, e a mineralização/dimensão do esqueleto, em crianças de 8 e 9 anos de idade. Métodos: A amostra foi constituída por 48 raparigas e 62 rapazes caucasianos, entre os 8 e 9 anos de idade. As variáveis ósseas (CMO, área e DMO) foram avaliadas através da DXA. A actividade física habitual foi categorizada através da acelerometria em unidades metabólicas, a actividade física passada foi categorizada através de questionário em unidades de carga mecânica. Para analisar as principais associações entre as variáveis foram realizadas correlações parciais ajustadas para a idade óssea, altura e peso. Resultados: Os principais resultados observados foram: (1) Nos rapazes a prática de actividade física moderada a vigorosa está associada de forma positiva a valores de exposição de carga mecânica da coluna lombar; (2) Nas raparigas, a prática de exercício aeróbio está correlacionada de forma positiva à exposição à carga mecânica, tanto na coluna lombar como no colo do fémur. (3) Os rapazes não apresentam associações entre as variáveis ósseas e os valores de exposição à carga mecânica. (4) As raparigas apresentam uma correlação positiva entre o CMO e a área dos membros inferiores, e a exposição à carga mecânica. Também a exposição à carga mecânica da coluna lombar correlacionou-se de forma positiva com a área total. A carga mecânica total da coluna lombar e da anca apresentaram-se correlacionadas com a DMO dos membros inferiores. Conclusões: Os rapazes apresentam níveis superiores às raparigas de actividade física habitual, ainda que não tenham sido encontradas diferenças quanto à exposição à carga mecânica (média e total)da actividade física passada. Nos rapazes, a actividade física habitual de intensidade pelo menos moderada correlacionou-se de forma positiva com variáveis ósseas dos membros inferiores e corpo inteiro. Quando limitada a carga mecânica média entre os 15 e os 40 ucm/ano, é observada uma associação entre a exposição à carga mecânica na coluna lombar e a área do corpo inteiro. Neste intervalo de carga mecânica observou-se uma relação positiva entre a carga mecânica média e os valores de massa e dimensões ósseas. Nas raparigas, verificaram-se associações positivas entre a carga mecânica média e total e os valores de massa e dimensões ósseas, nomeadamente no membro inferior.
Descrição: Mestrado em Exercício e Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6759
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Mestrado_Raquel_Lopes.pdf289,36 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.