Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6756
Título: Comparison of lipid profile and some physico-chemical properties of beef from Spain and Netherlands with beef from national production with different genetic background (dairy and crossbred beef)
Autor: Trevisan, Fabio
Orientador: Quaresma, Mário Alexandre Gonçalves
Palavras-chave: Beef
Fatty acids
Vitamin E
Cholesterol
pH
Color
Carne de bovino
Vitelão
Ácidos gordos
Vitamina E
Colesterol
Cor
Data de Defesa: 6-Jun-2013
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Trevisan, F. (2013). Comparison of lipid profile and some physico-chemical properties of beef from Spain and Netherlands with beef from national production with different genetic background (dairy and crossbred beef). Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Some physic-chemical properties and lipid profile of beef from two origins (Holland and Spain) were compared with beef from national production of both dairy and crossbred beef backgrounds. In comparison, we can find four different groups: two groups of animals from Spain and Holland; n=10 animals per group) and two groups from national production (dairy and beef production systems; n=10 for animals per origin). Animals used in the study were all males of 8-12 months old. In study we can find two different genetics, the Holstein breed (Holland, Spain and Portugal) and crossbred beef genetics (Portugal). Beef samples were obtained from sirloin (longissimus lumborum) in all groups. The fatty acid profile was determinated by GC. Total cholesterol, -carotene and tocochromanols were quantified by HPLC. The results of comparison showed that beef from crossbred beef bulls was leaner and displayed a distinct fatty acid profile with lower SFA, MUFA contents and higher PUFA and n-3 PUFA contents than beef from Holstein bulls. Beef from the crossbred beef bulls was the only group in total agreement with P/S and n6/n3 ratios. Relatively to beef color parameters, Portuguese beef presented the highest L* and lowest a* values and intermediary b* values. Beef from Holstein bulls raised in Portugal was on the limit of DFD while beef from the Spanish Holstein bulls was a well-established DFD. It is however important to highlight that the study was done with a restrict number of samples, and for this reason it is not possible to conclude that beef from national production has a superior quality than beef from abroad.
RESUMO - Comparação do perfil lipídico e algumas características físico-químicas de carne de bovino proveniente da Espanha e Holanda com carne de bovino nacional proveniente de animais com genética diferente (leite e cruzados de carne) - Este estudo procurou comparar o perfil lipídico e algumas propriedades físico-químicas da carne de bovino holandesa e espanhola com carne de bovino da produção nacional proveniente de animais com genética diferente (leite e cruzados de carne). Em comparação podemos encontrar quatro grupos diferentes. Se tivermos em consideração a genética dos animais, podemos encontrar 2 grupos: 1) animais de genética Holstein (acabados em Portugal, Espanha e Holanda) e 2) cruzados de carne de produção nacional. Se tivermos em consideração a origem, podemos também encontrar 2 grupos: 1) do exterior (Espanha e Holanda) e produção nacional (Holstein e cruzados de carne). O estudo contemplou apenas a utilização de touros do sexo masculino e com uma idade ao abate entre os 8 e os 12 meses de idade (vitelão), tendo-se usado 10 animais por grupo. As amostras de carne usadas no estudo foram obtidas da vazia (longissimus lumborum). O perfil de ácidos gordos foi analisado por GC, enquanto a quantificação dos teores de colesterol total, -caroteno e tococromanóis foi realizado por HPLC. Os resultados do estudo revelaram que a carne proveniente de bovinos cruzados de carne era mais magra e apresentava um perfil lipídico com menor teor de SFA e MUFA e um teor superior de PUFA e n-3 PUFA comparativamente com os bovinos de raça Holstein. A carne proveniente de bovinos cruzados de carne foi a única a apresentar os rácios P/S e n6/n3 em total concordância com as recomendações internacionais. Relativamente aos parâmetros de cor estudados, podemos afirmar que a carne produzida em Portugal apresentou valores de L* mais elevados, e os valores de a* mais baixos do que a carne espanhola e holandesa, tendo apresentado valores de b*intermédios aos obtidos na carne do exterior. O pH da carne de touros criados em Portugal estava no limite da carne DFD, enquanto o pH da carne proveniente de Espanha se podia considerar uma carne DFD. Apesar dos resultados aqui apresentados, é importante realçar que o estudo foi realizado com um número restrito de amostras e que por essa razão não é possível concluir que a carne de bovino produzida em Portugal seja superior à carne de bovino produzida no exterior.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Segurança Alimentar
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6756
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado
DPASA - Teses de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.