Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6741
Título: Empresas em contra-ciclo em tempos de crise : quais os factores de sucesso?
Autor: Diniz, Miguel João Hankusz
Orientador: Fontainha, Elsa
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Diniz, Miguel João Hankusz. 2013. "Empresas em contra-ciclo em tempos de crise : quais os factores de sucesso?". Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: A presente investigação pretende identificar os factores que contribuíram para o elevado sucesso de algumas empresas em Portugal, que levou a que estas empresas tenham verificado comportamentos contra cíclicos, ou seja, elevado crescimento em situação de crise económica e financeira. A amostra, construída a partir dos dados do Sistema de Contas Integradas das Empresas (SCIE), microbase de dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), é composta por 11.123empresas não financeiras, para um período de 8 anos (2004-2011). Verificou-se que 2009 e 2011 foram anos onde ocorreram grandes oscilações negativas em alguns indicadores macroeconómicos, e por isso, estes dois anos mereceram especial análise neste presente estudo. Escolheu-se a estimação Probit para realizar os testes econométricos sendo a variável dependente ser ou não empresa contra cíclica avaliada de duas formas: pelo crescimento do pessoal ao serviço, e pelo crescimento do volume de negócios. Como factores explicativos desse comportamento por parte das empresas, foram analisados: o sector, a região, a dimensão, a produtividade, a inovação, a gestão e a orientação de mercado. Os resultados empíricos destacam o efeito significativo que a região e o sector têm, assumindo-se como dois factores importantes na probabilidade de as empresas serem contra cíclicas. Existe forte evidência que as pequenas empresas têm mais probabilidade de serem contra cíclicas que as restantes, probabilidade que aumenta também com a taxa de investimento. Por sua vez a inovação e a orientação de mercado de um modo geral não pareceram ser relevantes na explicação do comportamento deste grupo de empresas.
This research aims to identify the factors that contributed to the high success of some firms in Portugal, firms which have a behavior against cyclical behavior, i.e. they have high growth during crisis. The sample is constructed from accounting data, Integrated System of Business Accounts, Micro database data from the National Institute of Statistics (INE), the sample has 11.123 non-financial companies, for a period of eight years (2004-2011). It was found that 2009 and 2011 were years where there were large negative decreases in some macroeconomic indicators, and therefore these two years deserve special analysis. Probit econometric models was chosen to perform the estimation with the dependent variable being whether or not the company is counter cyclical . The counter cyclical status is evaluated in two ways: by employees and turnover growth. As explanatory factors this were analyzed: sector, region, size, productivity, innovation, management and market orientation. The empirical results highlight the significant effect that the region and the sector have. There is strong evidence that small firms are more likely to be countercyclical and the probability also increases with the rate of investment. Innovation and market orientation, in general, did not seem to be relevant in explaining the counter/cyclical behavior.
Descrição: Mestrado em Finanças
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6741
Aparece nas colecções:BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM-MJHD-2013.pdf1,01 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.