Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6604
Título: Políticas de cooperação territorial: O Centro de Estudos Ibéricos e a cooperação transfronteiriça na Raia Central Ibérica
Autor: Isidro, Alexandra Isabel Santos Correia
Orientador: Ferreira, Marcos Farias
Palavras-chave: Geopolítica
Políticas de coesão
Cooperação transfronteiriça
Programa INTERREG IIIA
Desenvolvimento local
Geopolitics
Cohesion policies
Cross border cooperation
INTERREG IIIA program
Local development
Data de Defesa: 15-Nov-2013
Editora: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Resumo: A fronteira terrestre entre Portugal e Espanha é uma das mais extensas, antigas e de maior estabilidade da Europa que se constituiu, durante séculos, como um obstáculo quase intransponível. O efeito persistente da história e da geografia remeteram a raia ibérica para uma progressiva marginalização e as suas gentes para a diáspora. A integração de Portugal e Espanha no espaço económico e político europeu significou a abertura de um campo de oportunidades no âmbito da cooperação entre os territórios fronteiriços. A Política Regional e de Coesão da União Europeia têm promovido o desenvolvimento das regiões mais desfavorecidas diminuindo as assimetrias regionais. Foi o estímulo europeu que permitiu a criação de um novo quadro de relacionamento entre os dois lados da fronteira, através da troca de experiências e da concretização de projectos comuns. Tendo por mote o desafio do filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço para que a “mais lusitana das fronteiras” se convertesse “na mais ibérica e dialogante das terras” (Lourenço: 1999, p.58), o Centro de Estudos Ibéricos constituiu-se em 2001, na Guarda, como associação transfronteiriça. Uma parceria que envolve as Universidades de Coimbra e de Salamanca, a Câmara Municipal da Guarda e o Instituto Politécnico da Guarda, tem dinamizado a cooperação entre territórios, instituições e agentes, de um lado e de outro da fronteira, promovendo iniciativas de desenvolvimento do território raiano.
The borderland between Portugal and Spain is one of the most extensive, oldest and stable within Europe and has been consolidated, along centuries, as an almost insurmountable obstacle. History and geography lasting effects have leaded the Iberian borderland to a progressive marginalization and its people to the diaspora. The integration of Portugal and Spain in the political and economic European space meant the opening of an opportunities field for the cooperation between frontier territories. European Union regional and cohesion policy have been promoting the development of poorer regions, reducing regional asymmetries. Europe was the stimulus that led to the creation of a new framework for the relations between the two sides of the border, through the exchange of experiences and the accomplishment of common projects. Following the challenge of the philosopher and essayist Eduardo Lourenço so that the “most Lusitanian border” should become “the most conversational and Iberian land” (1999:58), the Iberian Studies Center was founded in 2001 in the city of Guarda as a cross border association. A partnership involving the Universities of Coimbra and Salamanca, the City Council of Guarda and the Polytechnic Institute of Guarda, has boosted cooperation between territories, institutions and agents from both sides of the border, carrying out initiatives that lead to the development of the border areas.
Descrição: Tese de Mestrado em Gestão e Políticas Públicas
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6604
Aparece nas colecções:BISCSP – Teses de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Politicas de cooperação territorial.pdf2,38 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.