Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6554
Título: Paretic syndrome in gulls (Laridae) in the south of Portugal
Autor: Soares, Susana Patrícia Veloso
Orientador: Lopes, Hugo Alexandre Romão de Castro
Carvalho, Luís Manuel Madeira de
Palavras-chave: Gulls
Paresis
Infectious diseases
Natural Toxins
Heavy metal intoxication
Pesticide poisoning
Thiamine deficiency
Algarve, Portugal
Gaivotas
Parésia
Doenças Infecciosas
Biotoxinas
Intoxicação por metais pesados
Envenenamento por pesticidas
Deficiência em tiamina
Data de Defesa: 31-Jan-2014
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Soares, S.P.V. (2014). Paretic syndrome in gulls (Laridae) in the south of Portugal. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: RIAS, a Portuguese wildlife rehabilitation centre located in Algarve, has been admitting a substantial high number of seagulls, since its opening in October of 2009, with consistent clinical presentations pertaining to a paretic syndrome without cues of a particular disease. This preliminary study describes the clinical signs and microbiological, parasitological, toxicological and pathologic findings of paretic gulls received between 2009 and 2012. It tries to understand if there is an association between the manifestation of this disease and the different species and age classes affected. It seeks to determine possible relations between the geographic distribution of the cases and specific potentially problematic areas or human activities. All in order to additionally determine a probable cause for this disease taking into consideration the species affected, region where the animals were rescued and diseases that could explain the findings observed like: Newcastle disease, Salmonellosis, Aspergillosis, Sarcocystosis, Botulism, Algal toxicosis, Copper/Lead/Mercury intoxication, Organophosphorus/Carbamate poisoning and Thiamine deficiency. Additionally, a treatment trial with three therapeutic protocols (activated charcoal, fluid therapy and thiamine supplementation) was attempted to evaluate their influence in the outcome of the rehabilitation process and their value as a tentative diagnostic tools. Accordingly, digital records of 780 gulls were analyzed, as well as, results of more specific diagnostic ancillary tests used in carcasses and tissue samples in the centre and submitted to the Faculty of Veterinary Medicine of the University of Lisbon. From the 780 admissions, 148 gulls (18,97%) were found to have this paretic syndrome while alive, with L.fuscus and sub-adults being probably the classes most affected (p=0,02;p=0,00005). All these gulls, upon admission, were thin and dehydrated and the most frequent clinical signs documented were: depressed mental status without loss of conscious (58,8%); diarrhoea (43,9%), flaccid cloacae (70,3%); generalized muscular weakness (48,6%), moderate muscular weakness (46,6%); posterior paresis (69,6%) and moderate paresis (71,6%). Approximately half of the 148 gulls died while in rehabilitation and gross necropsy findings of paretic gulls were also unspecific and overall inconsistent. However, a high number of these gulls including dead admissions had a thin-walled cloacae distended with diarrhoea and the intestines were also displaying compatible signs of inflammation: oedema, vascular congestion and fluid faeces (32/71). Evidences of opportunistic diseases or development of confounding ailments like probably Aspergillosis were also noted. The differences between the therapeutic protocols were irrelevant (p=0,7422) and could not diagnose this condition. No pathogenic agent (bacterial or parasitic) capable of causing this syndrome was identified in the carcasses submitted (n=9). The necropsy examination and histopathology lesions reported in the faculty were inconclusive as to the cause of the paresis. Lead and Copper levels, analyzed in 2 gulls, were below what is considered in the literature as indicative of toxic. Nevertheless, in one of the gulls submitted a liver sample was positive for the presence of an organophosphorus compound, which could be in accordance with the high association measured between the spatial distribution of the proportion of paretic cases and density of several crops per municipality (Rho>0,5;p<0,05). In this moment, the data here compiled and the results obtained are still insufficient to determine or exclude the diseases in discussion as causes of this syndrome. Inconsistent use of ancillary tests results, paucity in the knowledge of ethologic and ecologic features of these birds in this region, irregularities in the retrieval of sick birds and tourism are some of the factors that may be influencing these results and should be addressed in future investigations.
RESUMO - SÍNDROME PARÉSICO EM GAIVOTAS (LARIDAE) NO SUL DE PORTUGAL - RIAS, centro de recuperação de animais selvagens localizado no Algarve, desde a sua abertura em Outubro de 2009 tem recebido um número elevado de gaivotas com um quadro clinico consistente com paresia, sem causa conhecida. Este estudo preliminar descreve os sinais clínicos e achados microbiológicos, parasitológicos, toxicológicos e anatomo/histopatológicos de gaivotas com parésia recebidas entre 2009 e 2012. Tenta igualmente perceber se existe uma associação entre a manifestação desta doença e as diferentes classes de idade e espécies afectadas. Procura determinar relações possíveis entre a distribuição geográfica dos casos e áreas/actividades humanas especificas e potencialmente problemáticas na área em estudo. Tudo com o intuito adicional de descobrir a causa provável desta doença tendo em consideração as espécies afectadas, região onde foram resgatadas e doenças que poderiam explicar os achados reunidos: Doença de Newcastle;Salmonelose;Aspergilose;Sarcocistose;Botulismo;Fitotoxicose;Intoxicação por cobre, chumbo, mercúrio;Intoxicação por organofosforados/carbamatos e Deficiência em tiamina. Três protocolos terapêuticos (carvão activado, fluidoterapia e tiamina) foram igualmente testados para avaliar os respectivos efeitos no processo de reabilitação e o seu valor diagnóstico. Desta forma, foram analisados registos de 780 gaivotas em conjunto com resultados obtidos de métodos de diagnóstico auxiliar mais específicos de carcaças e amostras recolhidas e analisadas no centro ou enviadas para a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa. Das 780 admissões, 148 larídeos (18,97%) exibiam em vida este síndrome, sendo provavelmente as classes mais afectadas: L.fuscus e sub-adultos (p=0,02;p=0,00005). Todas as gaivotas afectadas encontravam-se magras e desidratadas, sendo os sinais clínicos mais frequentemente documentados: depressão do estado mental (58,8%); diarreia (43,9%), cloaca flácida (70,3%); fraqueza muscular generalizada (48,6%), fraqueza muscular moderada (46,6%); paresia dos posteriores (69,6%) e paresia moderada (71,6%). Aproximadamente metade destes animais morreu no decurso da reabilitação e as lesões encontradas em necrópsia foram igualmente inespecíficas e inconsistentes. Contundo, um elevado número destes animais, incluindo admissões de animais mortos, apresentavam recurrentemente cloacas com parede finas e distendidas por diarreia e os intestinos apresentavam também sinais compatíveis com inflamação (32/71). Achados de doenças oportunistas ou capazes de provocar sinais/lesões semelhantes foram também reportados (e.g. Aspergilose). As diferenças obtidas entre os diferentes protocolos foram consideradas irrelevantes (p=0,7422) e incapazes de diagnosticar esta doença. Nenhum agente patogénico (bacteriano ou parasita) capaz de causar parésia foi identificado nas carcaças enviadas (n=9) e resultados de análise anatomo-histopatologia das lesões encontradas foram inconclusivos quanto à causa deste síndrome. Níveis de chumbo e cobre, analizados em amostras de fígado de 2 animais, encontravam-se abaixo do que é considerado na literatura como indicativo de tóxico. No entanto, em uma amostra de fígado de uma das gaivotas enviadas foram detectados resíduos de um organofosforado,o que poderá ser concordante com a elevada associação medida entre a distribuição espacial da proporção de casos com parésia e a densidade de diversas culturas por município (Rho>0,5;p<0,05). Neste momento, toda a informação aqui compilada é ainda insuficiente para determinar ou excluir as doenças em discussão enquanto causas. O inconsistente uso de métodos de diagnóstico auxiliar, a escassez de informação relativa à etologia e ecologia destes animais nesta região, irregularidades na recolha de animais doentes e o turismo são alguns dos factores que podem estar a influenciar estes resultados e deverão ser tidos em conta no futuro.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6554
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PARETIC SYNDROME IN GULLS (LARIDAE) IN THE SOUTH OF PORTUGAL.pdf4,54 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.