Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6525
Título: A geopolítica enquanto instrumento de afirmação mundial da Rússia
Autor: Churro, João Manuel Barroso de Matos
Orientador: Fontoura, Luís
Palavras-chave: Geopolítica
Rússia
Potência mundial
Heartland
Eurasianismo
Poder marítimo
Poder continental
Marinha
Mackinder
Mahan
Haushofer
Ratzel
Geopolitics
Russia
World power
Heartland
Eurasianism
Sea power
Land power
Navy
Mackinder
Mahan
Haushofer
Ratzel
Data de Defesa: 9-Set-2013
Editora: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Resumo: A Geopolítica surge no final do séc. XIX e apresenta-se como uma ciência multidisciplinar, proveniente da Geografia Política e que estuda as relações existentes entre a actividade humana e o meio a que esta está vinculada, ou seja, de que modo determinado espaço físico influencia ou determina o poder político que dele emana. De entre os principais autores da chamada Geopolítica Clássica, destacaram-se Ratzel (determinismo geográfico), Kjellen (Estado Organicista) e Vidal de la Blache (possibilismo) nas Teorias Restritas a um determinado espaço; e Mahan (hegemonia do poder marítimo), Mackinder (hegemonia do poder continental), Douhet (hegemonia do poder aéreo), Haushofer (espaço vital e Pan-Regiões) e Spykman (supremacia dos poderes conjugados) nas Teorias Globais das relações entre a política e o espaço. A Rússia enquanto Estado cresceu com base nas teorias geopolíticas aqui em estudo, embora o aparecimento destas fosse posterior ao do país. As condições que o espaço físico a que os primeiros povos denominados de “russos” puderam usufruir permitiu-lhes numa primeira fase criar uma entidade político-estatal (Principados de Kiev e de Moscovo) e depois alavancar esse poder para a expansão geográfica do Estado russo rumo ao Império, até este se destacar dos comuns e se estabelecer como uma grande potência mundial. Geopoliticamente falando, um dos grandes pontos fortes da Rússia enquanto potência mundial está no seu Heartland, ou seja, uma porção de território de dimensão extensa, cuja principal vantagem é a de se constituir como uma fortaleza natural que a impede de ser facilmente atacada por outras potências. Tornou-se assim numa potência continental. Mas apesar de estar segura e ser suprema nesta zona, a Rússia sempre procurou fugir ao revés que esta fortaleza lhe concedeu: o encravamento continental. Para isso empreendeu desde os tempos de Pedro I, O Grande, uma política naval intensiva de modo a conseguir chegar aos mares e oceanos quentes e navegáveis do mundo e assim rivalizar com as potências marítimas como a Grã-Bretanha e os EUA.
Geopolitics is a multidisciplinary science from the late 19th century, coming from the Political Geography and whose purpose is to study the relations between human activity and its physical environment, or in other words, the way that a specific territory influences or determines its political power. Inside of the Classic Geopolitics we must consider important authors such as Ratzel (geographical determinism), Kjellen (State as a living organism) and Vidal de la Blache (possibilism) in the Restricted Theories field; and Mahan (sea power hegemony), Mackinder (land power hegemony), Douhet (airpower hegemony), Haushofer (vital space and Pan-Regions) and Spykman (combined powers supremacy) in the Global Theories of the relations between space and politics. As a State, Russia was founded based on these geopolitical theories, although they have appeared after. The physical features of the territory first occupied by the “Russians” made it possible to create the State (Kiev Rus’ and Grand Duchy of Moscow) and then use that power to expand geographically the Russian State into the Empire, making it different from others more and turning it into a World Power. Geopolitically speaking, one of the major strengths of this Russian World Power is its Heartland: an enormous amount of land, whose main advantage is to establish it as a natural fortress against all other powers. Russia was then a Continental Power. But besides this safety condition and its undeniable supremacy in this zone, it also imprisoned Russia in a land-locked base. To fight that, since Peter The Great, Russia has been developing an intensive program of naval policies in order to reach the warm waters of the oceans and seas in the Globe, so that it could compete with all other Maritime Powers such as Great Britain and United States of America.
Descrição: Tese de Mestrado em Estratégia
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6525
Aparece nas colecções:BISCSP – Teses de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE FINAL de Mestrado_João Churro.pdf4,92 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.