Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6514
Título: Unidades de saúde familiar: impacto sócio económico
Autor: Fernandes, Luís Miguel Massa
Orientador: Rodrigues, Eduardo Lopes
Palavras-chave: Unidades de saúde familiar
Agrupamento de centros de saúde
Reorganização
Objectivos
Equipa e despesa pública
Family health units
Group health centre
Reorganization
Objectives
Team and public expenditure
Data de Defesa: 18-Out-2013
Editora: Instituto Superior de Ciências Sociais e políticas
Resumo: A síntese aqui apresentada revela-nos o Sistema Nacional de Saúde numa das suas componentes principais para o cidadão, resultante da última reforma feita em 2006 (Decreto-Lei n.º 212/2006, de 27 de Outubro) e que se prende com a reforma relativa aos Cuidados de Saúde Primários com a criação das Unidades de Saúde Familiar, que foi o caso estudado. Contudo damo-nos conta que não se trata apenas de saúde, mas de todo um conjunto de premissas que nos irão ajudar a compreender o que está por detrás deste modelo de saúde, tendo em conta o período tão conturbado com que a União Europeia e Portugal em particular se está a confrontar. Assim sendo, este é sem dúvida um tema que merece toda a atenção por que estão envolvidos cidadãos/ utentes e algo básico a cada um destes – Saúde – não apenas no que significa em termos de custos, mas sobretudo em termos de capacidade para o exercício de uma cidadania com qualidade, eficácia e eficiência. Algumas das determinantes na saúde passam por factores externos, como a/e conjuntura da União Económica e Monetária na Europa, os mercados financeiros, os preços das matérias-primas e os parceiros de comércio. Ao nível Interno o ambiente sociopolítico, o comércio externo e interno, bem como as contas públicas com respeito à saúde, as opções políticas, os recursos disponíveis, a continuidade das reformas, a tecnologia e a demografia, além de toda a problemática no mercado interno e suas repercussões no Orçamento de Estado. Por fim, constata-se que as Unidades de Saúde Familiar foram criadas também com vista à redução da despesa pública, uma vez que sendo compostas por equipas multidisciplinares visando a prossecução de objectivos definidos no contrato programa, a remuneração é variável e consequentemente, o custo final advém mais reduzido. Mas em termos gerais, pode-se concluir que as Unidades de Saúde Familiar conduziram a uma melhoria substancial em termos de prestação de Cuidados de Saúde Primários, os utentes são sempre consultados, mesmo na eventualidade do seu médico assistente não se encontrar, os serviços apresentam-se totalmente informatizados. Com a criação da USF assiste-se a um aumernto da proximidade por parte da prestação dos cuidados de saúde primários, para além de terem tido um papel de contágio e dinamizador no aumento e melhoria em como os cuidados são prestados. Constata-se que a obrigatoriedade no cumprimento de objectivos leva a um maior desgaste clinico em que o doente por vezes é remetido para segundo plano – contrariedade? Não, por vezes é dificil ter o melhor de dois de mundos e há que renegar a um para ter o outro. Nas entrevistas realizadas existiram alguns constragimentos na realização das mesmas e mesmo na análise de dados, as entrevistas poderiam ter sido realizadas por forma a que os dados obtidos não permitissem divagar e serem mais concisos/ objectivos. Pelo que a matéria aqui apresentada poderia ser mais aprofundada, levando a conclusões mais concretas.
The synthesis presented here reveals the National Health System one of its major components for the citizen, resulting from the last reform made in 2006 (Decree-Law no. 212/2006 of 27 October), which relates to the reform on the Primary Health Care with the creation of Family Health Units, which was the case studied. However we realize that it's not just health, but a whole set of assumptions that will help us understand what is behind this model of health, and at a time so troubled with the European Union and Portugal in particular going on. Therefore, this is undoubtedly an issue that deserves attention by those involved citizens / users and something basic to each of these - health - not just what it means in terms of cost, but rather in terms of exercise capacity of citizenship in quality, effectiveness and efficiency. Some determinants of health go through External factors, such as the conjuncture of economic and monetary union in Europe, financial markets, the prices of raw materials and trading partners. Regarding the internal socio-political environment, the foreign and domestic trade. The public accounts with respect to health, policy options, available resources, continuity of reforms, technology and demographics, plus all the problems in the domestic market and its repercussions in the state budget. Finally, it appears that the Family Health Units were created to reduce public expenditure, are composed of multidisciplinary teams aimed at achieving the objectives outlined in the contract program, so that remuneration is variable. The Family Health Units have led to a substantial improvement in terms of provision of Primary Health Care, users are always consulted, even in the event that your doctor is not the services are presented fully computerized and is the responsibility of the group Health Centers to their assigned location. With the creation of USF assists to a aumernto proximity by the provision of primary health care, as well as having played a role of contagion and facilitator in increasing and improving how care is delivered. It appears that the obligation to fulfill the objectives leads to higher wear clinical in which the patient is sometimes referred to the background - setback? No, it is sometimes hard to have the best of both worlds and no denying that the one to have the other. In the interviews there were some constrains in their realization and even in data analysis, the interviews could have been made so that the data do not allow rambling and be more concise / objectives. For that matter could be presented here further, leading to more concrete conclusions.
Descrição: Tese de Mestrado em Gestão e Políticas Públicas
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6514
Aparece nas colecções:BISCSP – Teses de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação USF`S .docx1,1 MBMicrosoft Word XMLVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.