Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6433
Título: Percepção de risco de pais de crianças com idades compreendidas entre os 12 e os 72 meses
Autor: Ladeira, Isabel da Mata
Orientador: Barreiros, João Manuel Pardal
Palavras-chave: Crianças
Epidemiologia
Factores demográficos
Grupos etários
Lesões
Pais
Percepção
PSAPQ
Risco
Supervisão
Data de Defesa: 2013
Citação: Ladeira, Isabel (2013) - Percepção de risco de pais de crianças com idades compreendidas entre os 12 e os 72 meses. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Resumo: Objectivos: As lesões são uma importante causa de morte e de incapacidade durante a infância. O objectivo deste estudo é identificar características demográficas, quer parentais, quer dos seus filhos, que se relacionam com o risco de lesão da criança, examinar o padrão de lesões na infância em diferentes faixas etárias e procurar relações ente a percepção de risco parental e o risco de lesão da criança. Material e métodos: A amostra consistia de 125 cuidadores (mães e pais) de crianças (12-72 meses) que frequentavam estabelecimentos de ensino nas valências de creche e pré-escolar em Loulé. Mães e pais preencheram dois questionários de medida: a) Ficha de recolha de dados para adultos cuidadores e b) Parent Supervision Attributes Profile Questionnaire (PSAPQ). O primeiro caracteriza o contexto familiar e o historial de lesões das crianças. O segundo define o perfil de supervisão parental. Resultados: A maioria das categorias de lesão ocorridas é comum às 5 faixas etárias. Com excepção do estrangulamento ou asfixia registado apenas uma vez na faixa etária entre os 24 e os 36 meses e das ocorrências de esmagamento ocorridas na faixa etária dos 36 aos 48 meses, as restantes lesões, nomeadamente as nódoas negras, quedas, raspagens e colisões não foram associadas a nenhum grupo etário específico. As variáveis demográficas que revelaram exercer influência na percepção de risco de pais e mães foram o nível de escolaridade parental e a idade da criança. O género e a idade parental e a posição dos filhos na fratria não foram significativos. Conclusões: Os resultados deste estudo, embora necessitem de ractificação futura com amostras mais amplas e representativas são relevantes para justificar a necessidade de dar continuidade a este tipo de estudos, no sentido de promover um maior e melhor controlo sobre factores de risco para a criança.
Descrição: Mestrado em Desenvolvimento da Criança na variante de Desenvolvimento Motor
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6433
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Capa.pdfCapa92,83 kBAdobe PDFVer/Abrir
Índices.pdfÍndices71,4 kBAdobe PDFVer/Abrir
Fund. Hipóteses e Resultados.pdfDocumento principal1,35 MBAdobe PDFVer/Abrir
Anexos.pdfAnexos332,35 kBAdobe PDFVer/Abrir
Base de Dados 12-72m.savEstatística 130,02 kBSAVVer/Abrir
Outputs.spvEstatística 2252,36 kBSPVVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.