Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6229
Título: Evolução da resistência aos antibióticos em Staphylococcus spp. : 1999 a 2006
Autor: Monchique, Cláudia Raquel Oliveira
Orientador: Pomba, Maria Constança Matias Ferreira
Félix, Nuno Manuel Mira Flor Santos
Palavras-chave: Staphylococcus
resistências
antibióticos
resistances
antibiotic
Data de Defesa: 29-Nov-2013
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Monchique, C.R.O. (2013). Evolução da resistência aos antibióticos em Staphylococcus spp. : 1999 a 2006. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: O género Staphylococcus tem importância a nível clínico e económico, sendo que a emergência de estirpes meticilina resistente e multirresistentes tornam-no num assunto atual em Medicina Humana e Veterinária. As 383 amostras de infeções clínicas analisadas foram recebidas pelo Laboratório de Análises Clínicas da FMV-UL ao longo de um período de 8 anos (1999-2006). O teste de susceptibilidade aos antibióticos foi realizado por difusão de disco usando 37 antibióticos. As espécies de estafilococos foram identificadas por amplificação por PCR dos respetivos genes nuc. Os genes mecA e mecC foram pesquisados por PCR. No total, 293 isolados foram resistentes a pelo menos um antibiótico (76,50%), com as maiores frequências de resistência à penicilina e ampicilina (53%). A maior percentagem de resistência a um antibiótico verificou-se em S. pseudintermedius (80,84%), seguido dos S. aureus (75%), estafilococos coagulase-negativo (ECN) (68,18%) e S. schleiferi (63,44%). Globalmente, 132 isolados foram multirresistentes (34,36%) e apenas 23,50% dos isolados foram suscetíveis a todos os antibióticos testados. A resistência aumentou com o tempo, sendo 2004 o ano com maior percentagem de isolados resistentes de estafilococos (85%). Dez isolados eram resistentes à oxacilina, mas só oito eram mecA positivo (sete ECN e um S. aureus) e nenhum foi positivo para o mecC. Os nossos resultados confirmam a elevada resistência aos antibióticos em estafilococos e ressaltam a importância de uma monitorização contínua dos padrões de resistência para ajustamento da estratégia antimicrobiana.
ABSTRACT - Evolution in antibiotics resistance in Staphylococcus spp. – 1999 a 2006 - The genus Staphylococcus has importance at clinical and economic level, with the emergence of methicillin-resistant and multiresistant strains making it a current issue in Human and Veterinary Medicine. The 383 clinical samples analyzed were received by the Laboratory of Clinical Analysis of the FMV-UL over a period of 8 years (1999-2006). The antimicrobial susceptibility testing was performed by disk diffusion using 37 antibiotics. Staphylococcal species were identified by PCR amplification of the respective nuc gene. The mecA and mecC genes were screened by PCR. In total, 293 isolates were resistant to at least one antibiotic (76,50%), with higher frequencies of resistance to penicillin and ampicillin (53%). The highest resistance to one antibiotic was found in S. pseudintermedius (80,84%) followed by S. aureus (75%), coagulase-negative staphylococci (CNS) (68,18%) and S. schleiferi (63,44%). Overall, 132 isolates were multidrug resistant (34,46%) and only 23,50% of the isolates were susceptible to all the antibiotics tested. Resistance increased over time, with the highest level observed in 2004 (85%). Ten isolates were resistant to oxacilin, but only 8 were mecA-positive (seven CNS and one S. aureus) and none was mecC-positive. Our results confirmed that antimicrobial resistance is very frequent in staphylococci, and highlights the importance of a continuous monitoring of the resistance patterns for adjustment of antimicrobial strategy.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6229
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Evolução da resistência aos antibióticos em Staphylococcus spp. 1999 a 2006.pdf1,16 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.