Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/6165
Título: Estudo comparativo de dois protocolos de sincronização de ovulação em vacas da raça Frísia Holstein - Ovsynch e Doublesynch
Autor: Raposo, Marlene Almeida
Orientador: Silva, João Nestor das Chagas e
Palavras-chave: Protocolos de sincronização
Inseminação artificial a tempo fixo
Doublesynch
Ovsynch
Synchronization protocols
Timed artificial insemination
Data de Defesa: 12-Nov-2013
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Raposo, M.A. (2013). Estudo comparativo de dois protocolos de sincronização de ovulação em vacas da raça Frísia Holstein - Ovsynch e Doublesynch. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Os protocolos de sincronização do estro e/ou ovulação em bovinos de leite surgiram como uma ferramenta para auxiliar o controlo do progressivo declínio da fertilidade neste sector. Estes programas baseiam-se na utilização de hormonas como prostaglandina F2 alfa, hormona libertadora de gonadotrofina e progesterona. Uma vez que a utilização de estrogéneos está proibida na União Europeia desde 14 de Outubro de 2006, estas substâncias não fazem parte dos programas europeus de controlo farmacológico do ciclo éstrico. Existem protocolos de sincronização da ovulação desenhados para permitir a inseminação em tempo fixo (IATF) sem necessidade de detecção do cio, já que esta última é um dos principais factores de insucesso da inseminação artificial (IA) nas explorações de leite. Neste trabalho procurou avaliar-se o resultado da introdução de um novo protocolo Ovsynch modificado (Doublesynch) numa exploração de bovinos da raça Frísia Holstein, do concelho da Moita, através do estudo das percentagens de animais com diagnóstico de gestação (DG) positivo, estabelecendo a comparação entre este tratamento (Doublesynch) (n=15), o protocolo Ovsynch (n=15), um grupo controlo negativo (cio espontâneo) (n=13) e um grupo controlo positivo (PGF2α) (n=15). O protocolo Doublesynch difere do Ovsynch tradicional pelo facto de associar uma dose adicional de PGF2α, administrada dois dias antes da primeira administração de GnRH do protocolo Ovsynch tradicional. No grupo Doublesynch obteve-se uma percentagem superior de animais com DG positivo comparativamente ao grupo Ovsynch (20,0% vs 13,3%, respectivamente). No entanto, estes animais submetidos a um protocolo de IATF tiveram uma percentagem de DG positivo inferior aos animais dos grupos controlo negativo (30,8%) e positivo (40,0%). Contudo, os dados não evidenciaram diferenças estatisticamente significativas (p=0,377), pelo teste exacto de Fisher bilateral, muito possivelmente devido ao reduzido número da amostra em cada grupo (n=13/15). Deste modo, pouco se poderá efectivamente concluir, com base no tratamento estatístico, a cerca dos eventuais benefícios da aplicação do protocolo Doublesynch, relativamente ao Ovsynch. Estudos futuros deverão ser realizados com uma amostra populacional maior e com um desenho experimental mais completo, para avaliação de eventuais diferenças entre os dois protocolos de IATF.
ABSTRACT - COMPARATIVE STUDY OF TWO OVULATION SYNCHRONIZATION PROTOCOLS IN HOLSTEIN-FRIESIAN COWS - OVSYNCH AND DOUBLESYNCH - Ovulation and/or estrus synchronization protocols in dairy cattle emerged as a tool to reverse the decline of fertility in this sector. These programs are hormone based such as, PGF2α, gonadotropin releasing hormone and progesterone. Estrogen use is forbidden in the European Union since October 14th, 2006. There are some synchronization protocols designed to allow timed artificial insemination (TAI), without the need for heat detection, since this issue is one of the most important factors of dairy cattle artificial insemination (AI) failure. The present work analyzed the introduction of a new modified Ovsynch protocol (Doublesynch) in a Holstein-Friesian dairy farm, located in Moita (Portugal), comparing the positive pregnancy diagnose (PD) from Doublesynch treated cows (n=15), Ovsynch (n=15), negative control (spontaneous heat) (n=13) and positive control (PGF2α) (n=15). Doublesynch protocol differs from traditional Ovsynch by the use of an additional PGF2α administration, two days before first GnRH injection. Doublesynch group had superior PD percentage comparing to Ovsynch group (20,0% vs 13.3%, respectively). But animals subject to TAI protocols had positive PD inferior to negative (30.8%) and positive (40,0%) controls groups. However, data didn’t had statistically significant differences (p=0,377), according to Fisher’s exact test, most likely because of the small sized sample in each group (n = 13/15). So, it can’t be conclude, according to the statistical treatment, that Doublesynch protocol has any benefits comparing to Ovsynch. Further studies, with a much more cows, and a more complete experimental design, must be performed to analyze eventual differences between these two TAI protocols.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/6165
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.