Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/5823
Título: Educação sexual nas escolas do concelho de Oeiras : perceção de professores e alunos
Autor: Dias, Sandra Coelho Gil
Orientador: Matos, Maria Margarida Nunes Gaspar de
Palavras-chave: Adolescência
Educação para a saúde
Educação sexual
Professores
Puberdade
Data de Defesa: 2013
Citação: Dias, Sandra Coelho Gil (2013) - Educação sexual nas escolas do concelho de Oeiras : perceção de professores e alunos. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Resumo: No presente trabalho pretendemos analisar como é implementada a educação sexual em meio escolar, após as alterações legislativas introduzidas pela Lei n.º 60/2009, que estabelece o regime de aplicação da educação sexual em meio escolar, e a Portaria n.º 196-A/2010, que a regulamenta, contando, para tal, com a colaboração de professores e alunos. São objetivos deste trabalho: (1) identificar as conceções de professores e alunos relativamente à educação sexual em meio escolar (ESME); (2) identificar e caracterizar atividades desenvolvidas no âmbito da educação sexual em meio escolar (ESME) e (3) identificar as perceções de professores e jovens sobre os comportamentos sexuais dos adolescentes. A investigação decorreu em oito escolas do concelho de Oeiras, sendo a amostra constituída por 252 professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico (CEB) e 313 alunos do 12.º ano de escolaridade. Os dados foram recolhidos através de dois questionários de autopreenchimento – um para professores e outro para alunos –, tendo sido utilizadas questões e escalas de vários estudos realizados com a população portuguesa. Apesar de os professores assumirem uma posição favorável à ES e de a maioria (82,9%) referir não sentir dificuldades ou constrangimentos em abordar nas aulas temas neste domínio, apenas 35,7% dos inquiridos coordenou e/ou participou em atividades desenvolvidas na escola no âmbito da ES, ao longo do último triénio. Um número muito significativo de docentes que refere não ter recebido formação específica em ES ao longo do seu percurso académico e somente 17,9% investiu em formação específica. Já 90,7% dos alunos participantes refere ter tido experiências de ESME ao longo do seu percurso escolar, sobretudo no 3.º CEB (69%), asseguradas por professores de Ciências da Natureza/Ciências Naturais e/ou Biologia (72,2%), considerando 48,9% que ficou Bem a Muito bem esclarecido relativamente aos temas de ES abordados. Segundo os alunos, as palestras foram a metodologia privilegiada (71,2%), por oposição à resolução de problemas (6,4%). A maioria (60%) dos alunos reconhece aptidão aos professores para a abordagem formal de temas relacionados com a sexualidade, referindo, no entanto, os pares (99,7%) e a Internet (66,8%) como principais fontes de informação no domínio da sexualidade.
Descrição: Mestrado em Ciências da Educação na especialidade de Educação para a Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/5823
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ED SEXUAL NAS ESCOLAS DO CONCELHO DE OEIRAS.pdfDocumento principal3,33 MBAdobe PDFVer/Abrir
Anexos.pdfAnexos1,01 MBAdobe PDFVer/Abrir
Questionário para professores .pdfQuestionário para professores719,74 kBAdobe PDFVer/Abrir
Questionário para Alunos .pdfQuestionário para alunos523,58 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.