Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/5716
Título: Influência do tratamento da cetose subclínica em vacas leiteiras no início de lactação
Autor: Sousa, Edgar Agostinho Loureiro
Orientador: Dammert, Carsten
Stilwell, George Thomas
Palavras-chave: Cetose subclínica
cetose clínica
β-hidroxibutirato
corpos cetónicos
período pós-parto
subclinical ketosis
clinical ketosis
β-hydroxybutyrate
ketonic bodies
post partum period
Data de Defesa: 7-Mai-2013
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Sousa, E.A.L. (2013). Influência do tratamento da cetose subclínica em vacas leiteiras no início de lactação. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: O presente estudo foi realizado numa exploração agropecuária situada na Freguesia de Benavente, Distrito de Santarém que se caracteriza por ser uma exploração de regime intensivo de produção de leite. O estudo insere-se numa metodologia de estudo de caso e a amostra inclui 131 fêmeas selecionadas ao acaso entre novilhas e vacas adultas que concluíram a gestação durante o período do estudo. A recolha de dados iniciou-se com o parto através da medição da condição corporal (BCS). Posteriormente entre o décimo quinto (D15pp) e décimo oitavo dia pós-parto (D18pp) foi efetuada uma medição da concentração sanguínea de β-hidroxibutirato (BHB) e novamente avaliação BCS. As vacas leiteiras (VL) com concentrações sanguíneas de BHB acima de 1,4 mmol/l e sem sinais clínicos de cetose, eram sequencialmente incorporadas no grupo tratadas (GT), animais em que lhes era feito um tratamento, ou no grupo controlo (GC), animais que não era feito tratamento. O tratamento consistia na administração oral diária de 500 ml de propilenoglicol (PG), durante cinco dias e de um bolus endovenoso de 1L de soro glucosado 30% Braun® com 20 ml de Catosal® no primeiro e no terceiro dia de tratamento. Passados 5 dias após a primeira medição da concentração sanguínea de BHB esta voltava a ser mensurada nos animais pertencentes ao GT e GC. Os resultados obtidos indicaram que as vacas multíparas sem cetose subclínica (CSC) dão mais leite (91,5 ± 38,28; p = 0,0185) do que as vacas com CSC. As VL com CSC têm maior probabilidade de desenvolver cetose clínica (p = 0,0001). Não existem diferenças significativas (p = 0,42) entre as vacas tratadas e as vacas não tratadas na produção de leite. Também se verificou que nas VL tratadas a concentração sanguínea de BHB diminui significativamente (p = 0,038) mas que o tratamento não tem qualquer influência na prevenção da cetose clínica (p = 0,6817), deslocamento do abomaso à esquerda (DAE) (p = 1) e mastite (p = 0,4828). Considerando apenas a produção de leite, o tratamento de vacas com CSC não aparenta ter retorno económico nos 15 dias após o tratamento (p = 0,16). No entanto outros estudos devem ser realizados de forma a contabilizar outros fatores que não apenas os associados à produção de leite momentânea e comparar esta medida com outras medidas preventivas e o seu impacto económico nas explorações tendo em conta os custos não contabilizados neste trabalho
ABSTRACT - Influence of subclinical ketosis treatment in dairy cows in early lactation -This study took place on an intensive milk farm situated in Benavente, in the Santarém District. The study is based on case study methodology and included 131 females at random selected between heifers and mature cows that calved during the study period. Data collection was initiated at calving by measuring body condition score (BCS). Between the fifteenth (D15pp) and eighteeth days postpartum (D18pp) measurement of the blood concentration of β-hydroxybutyrate (BHB) was performed a new BCS assessment. Dairy cows with BHB blood concentrations above 1.4 mmol / L without clinical signs were sequentially incorporated in the treated group (TG) or control group (CG) that did not receive any treatment. The treatment consisted of daily oral administration of 500 ml of propylene glycol (PG) for five days and an intravenous bolus of 1L of 30% dextrose Braun ® with 20 ml of Catosal ® in the first and third day of treatment. Blood BHB was measured in all cows five days after first sampling. The results indicate that multiparous cows without subclinical ketosis (CSC) give more milk (91.5 ± 38.28, p = 0.0185) than cows with higher BHB. Cows with CSC are more likely to develop clinical ketosis (p = 0.0001). There were no significant statistical differences (p = 0.42) between treated and untreated cows for milk production. It was also found that blood BHB decreased significantly (p = 0.038) intreated cows but treatment has no effect in preventing clinical ketosis (p = 0.6817), left displaced abomasum (LDA) (p = 1) or mastitis (p = 0.4828). Considering only milk yield, treatment of CSC appears to have no economic return for the first 15 days after treatment (p = 0.16). However other studies must be performed in order to account for factors other than just those associated with milk production, to compare this preventive measure with other preventive measures and the economic impact of treatment taking into account other costs not accounted for in this study.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/5716
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Influencia do tratamento da cetose subclinica em vacas leiteiras no inicio de lactaçao.pdf809,26 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.