Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/5696
Título: Contribuição para a caracterização do parasitismo em suínos de raça Ibérica e javalis silvestres das Comunidades Autónomas da Extremadura e Castilla y León (Espanha) e dos factores de risco associados
Autor: Neves, Marisa de Guadalupe Carriço
Orientador: Reina Esojo, David
Carvalho, Luís Manuel Madeira de
Palavras-chave: Parasitas
porco Ibérico
javali
factores de risco
Extremadura
Castilla y León
Espanha
Iberian pig
Wild boar
parasitic agents
risk factors
Extremadura
Castille and León
Spain
Data de Defesa: 15-Abr-2013
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Neves, M.G.C. (2013). Contribuição para a caracterização do parasitismo em suínos de raça Ibérica e javalis silvestres das Comunidades Autónomas da Extremadura e Castilla y León (Espanha) e dos factores de risco associados. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: De Novembro de 2011 a Abril de 2012, o principal objectivo foi conhecer a parasitofauna dos suínos da raça ibérica e javalis, zoonóticos e não zoonóticos, pertencentes às Comunidades Autónomas da Extremadura e Castilla y León (Espanha). O estudo parasitológico do porco Ibérico com base em amostras de fezes recolhidas antemortem e analisadas por métodos coprológicos qualitativos, quantitativo, coprocultura e Método de Baermann, em lotes de produção de 55 explorações pecuárias revelou que todas elas estavam infectadas pelo menos por um parasita, destacando a alta prevalência de Balantidium coli (94,5%), Subordem Strongylida (65,5%) e Família Eimeriidae (56,4%) e uma moderada presença de Metastrongylus spp. (23,6%), Trichuris suis (18,2%) e Ascaris suum (12,7%). Identificámos, em cinco de seis explorações estudadas, larvas L3 de Oesophagostomum spp. (83,3%). Os factores de risco obtidos a partir da análise dos inquéritos efectuados nas suiniculturas e que mais influenciam a presença de parasitas nessas explorações, são os relativos às medidas de biossegurança e às características das pocilgas (OR>1). O estudo da parasitofauna do porco Ibérico procedente de amostras biológicas recolhidas postmortem em matadouros, revelou que todos eles estavam infectados pelo menos por um parasita, destacando a alta prevalência de protozoários, Sarcocystis spp. (90,0%), B. coli (89,0%) e Família Eimeriidae (68,0%), uma moderada presença de Metastrongylus spp. (53,0% nos pulmões e 25,0% nas fezes), Toxoplasma gondii (25,9% mediante iELISA e 33,9% mediante nPCR) e T. suis (24,0%) e uma baixa prevalência de A. suum (8,0%), Subordem Strongylida (8,0%) e Echinococcus granulosus (3,0%) e a ausência de Trichinella spp. Os animais do sexo feminino foram mais susceptíveis à infecção por T. suis, os jovens a T. suis e Subordem Strongylida. Os procedentes dos municípios de Cáceres e Salorino, parecem mais susceptíveis a Metastrongylus spp., Família Eimeriidae, Subordem Strongylida e T. suis, os procedentes dos municípios de Brozas e Salorino a Sarcocystis spp. Os animais de raça 75% ibérica são mais susceptíveis a B. coli, Família Eimeriidae, Metastrongylus spp., Subordem Strongylida e T. suis e os criados em sistemas semiextensivos são mais susceptíveis a T. suis e Subordem Strongylida (p<0,05). Mediante nPCR, detectou-se, pela primeira vez na Europa, ADN de T. gondii a partir de linfonodos mesentéricos. Detectaram-se, pela técnica de McMaster, maiores cargas parasitárias para a Família Eimeriidae, seguido de Metastrongylus spp. e T. suis e menores para a Subordem Strongylida e A. suum. A espécie predominante pertencente ao género Metastrongylus é M. apri, seguida de M. salmi e de M. pudendotectus no caso do porco Ibérico e M. apri, M. pudendotectus e M. salmi no caso do javali. A carga média parasitária foi de 25 e 55 parasitas por indivíduo para o porco Ibérico e javali, respectivamente. O rácio fêmea/macho detectado foi de 2,23 e 1,5, no porco Ibérico e javali, respectivamente. No estudo da parasitofauna dos javalis proveniente de amostras biológicas postmortem recolhidas em montarias, constatámos que este animal é um reservatório de parasitas para o porco Ibérico (e vice-versa), nomeadamente B. coli, Subordem Strongylida, Família Eimeriidae, Metastrongylus spp., T. suis, Macracanthorhynchus hirudinaceus e A. suum, pois além da relação filogenética elevada, partilham o mesmo ecossistema. Os resultados obtidos serão importantes para melhorar o programa de desparasitação e diminuir os factores de risco relacionados com a infecção dos suínos de raça ibérica em extensivo.
ABSTRACT - Between November 2011 and April 2012, the main objective was to gather information regarding the parasitofauna of Iberian pigs and wild boars, including both zoonotic and non-zoonotic agents, in Extremadura and Castile and León (Spain). The parasitological assessment of the parasitofauna of Iberian pigs through the analysis of fecal samples, collected antemortem from production lots of 55 swine farms, submitted to qualitative and quantitative laboratory techniques, fecal cultures and the Baermann technique, revealed that all the piggeries were infected by at least one parasitic agent, with emphasis on the a high prevalence of Balantidium coli (94,5%), Suborder Strongylida (65,5%) and Family Eimeriidae (56,4%) and moderate prevalence of Metastrongylus spp. (23,6%), Trichuris suis (18,2%) and Ascaris suum (12,7%); in five of six swine farms studied, we identified Oesophagostomum spp. L3 larvae (83,3%). The analysis of the data obtained from the inquiry forms, filled by farm owners/managers, revealed that the main risk factors which influence the presence of parasitic agents on those swine farms, are related with biosecurity measures and the characteristics of the pigpens (OR>1). The study of the individual parasitofauna of Iberian pigs, through the examination of biological samples collected postmortem in slaughterhouses, showed that all specimens were infected by at least one parasitic species, with highlight to the high prevalence of protozoa, such as Sarcocystis spp. (90,0%), B. coli (89,0%) and members of Family Eimeriidae (68,0%), moderate presence of Metastrongylus spp. (53,0% in lungs and 25% in faeces), Toxoplasma gondii (25,9% with ELISA and 33,9% with nPCR) and T. suis (24,0%), low prevalence of A. suum (8,0%), Suborder Strongylida (8,0%) and Echinococcus granulosus (3,0%) and an absence of Trichinella spp. Female animals were more prone to T. suis infections, as well as the young ones, which are also more susceptible to parasitic agents of Suborder Strongylida. Animals from Cáceres and Salorino seem more vulnerable to Metastrongylus spp., Family Eimeriidae, Suborder Strongylida and T. suis, and those from Brozas and Salorino to Sarcocystis spp. Pigs 75% Iberian are more prone to B. coli, Family Eimeriidae, Metastrongylus spp., Suborder Strongylida and T. suis, and those raised under semi-extensive production systems are more susceptible to T. suis and Suborder Strongylida (p<0,05). By means of nPCR, it was detected, for the first time in Europe, T. gondii DNA, from mesenteric lymph nodes. We also detected, with the McMaster technique, higher parasite loads for Family Eimeriidae, followed by Metastrongylus spp. and T. suis, and lower for Suborder Strongylida and A. suum. The predominant species of the genus Metastrongylus is M. apri, followed by M. salmi and M. pudendotectus, referring to the Iberian pig, and M. apri, M. pudendotectus and M. salmi in the wild boar. The determined average parasitic load was 25 and 55 parasites per individual in the Iberian pig and wild boar, respectively; the observed male/female ratio 2,23 for the Iberian pig and 1,5 for the wild boar. The study of the parasitic fauna of wild boars obtained by means of analysis of postmortem biological samples, revealed this animal constitutes a reservoir for parasitic agents of the Iberian pig, namely, B. coli, Suborder Strongylida, Family Eimeriidae, Metastrongylus spp., T. suis, Macracanthorhynchus hirudinaceus and A. suum, which is not surprising since they share a close phylogenetic relationship and the same ecosystem. The obtained results will be relevant as a means of improving the deworming programs and diminishing the risk factors associated with the infection of Iberian pigs raised under extensive production systems.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/5696
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.