Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/525
Título: Grandes empresas industriais de um país pequeno: Portugal. Da década de 1880 à 1ª Guerra Mundial
Autor: Neves, Pedro José Marto
Orientador: Bastien, Carlos
Data de Defesa: Jan-2007
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Neves, Pedro José Marto. 2007. "Grandes empresas industriais de um país pequeno: Portugal. Da década de 1880 à 1ª Guerra Mundial". Tese de doutoramento. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: O presente trabalho tem por objectivo detectar os primeiros sinais de modernidade empresarial no seio da indústria transformadora portuguesa, no período compreendido entre o início da década de 1880 e a 1ª Guerra Mundial. A definição dessa modernidade passou pelo estabelecimento de um padrão de referência, baseado nas grandes empresas que emergiram com a segunda revolução industrial. A análise recaiu sobre listas das 50 maiores empresas industriais portuguesas, para os anos de 1881 e 1917, hierarquizadas de acordo com o número de trabalhadores, que foram construídas para esse efeito. O estudo dessa amostra confirma a ideia de que a estrutura empresarial portuguesa, anterior à 1ª Guerra Mundial, baseada num pequeno mercado semi-periférico, era um terreno pouco fértil para a emergência de organizações industriais modernas. A maioria das empresas pertencia a sectores tradicionais, principalmente à indústria têxtil. Contudo, o conjunto das maiores empresas industriais portuguesas, à data daquele conflito armado, englobava realidades empresariais muito díspares entre si, sendo que se pode identificar um número restrito de casos que apresentavam algumas das características identificadas no padrão de modernidade empresarial. Dentro desse grupo restrito de empresas, os casos mais significativos são a Companhia União Fabril e a Nova Companhia Nacional de Moagem. A sua evolução evidenciou contornos semelhantes aos das grandes empresas industriais que estavam a emergir nos países mais desenvolvidos.
The aim of this work is to ascertain the first signs of company modernity in the heart of Portuguese manufacturing industry in the period between the beginning of the 1880‟s and World War One. Such modernity has been defined through the establishment of a standard of reference based on the large companies which emerged during the Second Industrial Revolution. The analysis drew on specially compiled lists of the 50 largest Portuguese industrial companies in the years between 1881 and 1917. They are classified hierarchically according to number of employees. The study of this sample confirms the notion that Portuguese company structure before World War One, based as it was on a small, semi-marginal market, was hardly fertile ground for the emergence of modern industrial organisations. Most companies belonged to traditional sectors, for the most part the textile industry. However, by the time hostilities broke out, the group of Portuguese industrial companies spanned a wide range of very disparate realities, with only a small number of them showing identifiable characteristics of modernity. Within this small group, the most significant examples are Companhia União Fabril and Nova Companhia Nacional de Moagem. In their evolution there is evidence of trends similar to those experienced by the large industrial companies which were emerging in more developed countries.
Descrição: Doutoramento em História Económica e Social
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/525
Aparece nas colecções:BISEG - Teses de Doutoramento / Ph.D. Thesis
DCS - Teses de Doutoramento / Ph.D. Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Pedro Neves.pdf2,66 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.