Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/5032
Título: O papel da internacionalização na encruzilhada da economia portuguesa: da síndrome despesista à internacionalização hard
Autor: Baltazar, António Pedro da Conceição
Orientador: Sousa,António Rebelo de
Palavras-chave: Estratégia
Economia portuguesa
Pequenas e Médias Empresas (PME’s)
Internacionalização da empresa
Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP’s)
Internacionalização hard
Strategy
Portuguese economy
Small and Medium Enterprises (SME’s)
Enterprise internationalization
Portuguese-Speaking African Countries (PCAS’s)
Hard internationalization
Data de Defesa: 19-Dez-2012
Editora: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Resumo: A encruzilhada atual da economia portuguesa é um complexo exercício estratégico onde, qual sístole e diástole, se busca reduzir o peso do Estado, restringir o consumo interno e o crédito a ele associado; simultaneamente, pretende-se dinamizar a internacionalização empresarial, sobretudo as Pequenas e Médias Empresas (PME’s), através do incremento das exportações. Nesta dissertação procurámos abordar uma aparente sucessão de contradições, designadamente: o conceito teórico de estratégia que, quando aplicado à atuação da generalidade das PME’s, demonstra ser um simples procedimento tático e circunstancial, uma vez que se verifica a inexistência de planeamento de longo prazo, que é contrária à essência da própria estratégia; a coabitação paradoxal dos efeitos teóricos positivos da síndroma despesista com a repercussão prática na componente psicológica do investidor; a longa ligação histórica aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP’s) e o fraco contributo destes para as exportações portuguesas; a seleção dos sectores económicos onde Portugal deve competir internacionalmente deriva das orientações estratégicas das associações empresariais e não do Estado. Porém, para que se verifique uma internacionalização hard, em determinados sectores, designadamente a agricultura, só com a intervenção estratégica do Estado é possível desenvolvê-la, por não estar ao alcance da maioria das PME’s.
The current cross-way of the Portuguese economy is a complex strategic exercise where, whose systole and diastole, one seeks to reduce the weight of the State and restrain domestic consumption by hindering access to the associated credit to it; simultaneously, it is intended to boost the internalization of the enterprise, namely the small and medium sized (SME’s), through increasing exports. In this dissertation, we sought to approach an apparent succession of contradictions, namely: the concept of strategy that, when applied to the majority of SME’s, proves to be a simple tactical and circumstancial procedure, since there is a lack of long-term planning, that puts into question its own essence; the paradoxical coexistence of positive theoretical effects of the spending syndrome with the practical impact on investor’s psychological component; the long historic connection to the Portuguese-Speaking African Countries (PSAC’s) and the weak contribution of these to the Portuguese exports; the selection of economic sectors where Portugal must compete internationally because of the strategic orientations of business associations and not by the State. However, the hard internationalization in certain sectors, notably in agriculture, only with the strategic State intervention is possible to develop it, for not be within reach of SME’s.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Estratégia
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/5032
Aparece nas colecções:BISCSP – Teses de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ABSTRACT AB.pdf108,58 kBAdobe PDFVer/Abrir
DISSERTAÇÃO FINAL AB.pdf1,92 MBAdobe PDFVer/Abrir
RESUMO - AB.pdf108,31 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.