Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/4956
Título: Wine reputation : are there Differences between red and white wine?
Autor: Pereira, Débora Alexandra Encarnado
Palavras-chave: reputation
quality
corporate character
wine
human values
Data de Defesa: Dez-2011
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Pereira, Débora Alexandra Encarnado. 2011. "Wine reputation : are there Differences between red and white wine?". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: Reputation is a relevant concept in different areas and to different subjects such as personalities, organizations, products and countries (Bromley, 2001). Adjusting existing theory to wine sector, we justify this research with this product’s importance to Portugal’s economy. Therefore we identified the need for understanding existing differences in wine consumption and perception using the Corporate Character Scale (Davies, Chun, Da Silva, & Roper, 2004). Because human values unify the assorted interests of all sciences concerned with human behaviour (Schwartz, 1992), we assessed the relationship between respondents’ values and their associations to wine. With that purpose we used a quantitative approach with a convenience sampling method (non probabilistic), and collected 107 usable questionnaires from wine consumers. We concluded that red wine is not thought to have higher quality than other types of wine or even to taste better, particularly among elder respondents. About money spent per bottle, in average, it is not related to the type of wine people prefer. White wine is not considered a lady’s wine. Nowadays we cannot relate women’s identification with the sense of freedom and wine consumption. Being an adventurer and self-confident is not related to white wine preference.
A Reputação é um conceito relevante em diferentes áreas e face a diferentes temas, tais como personalidades, organizações, produtos e países (Bromley, 2001). Ajustando a teoria existente ao sector do vinho, justificamos a pesquisa com a importância do vinho na economia portuguesa. Assim, identificámos a necessidade de entender diferenças no consumo e percepção do vinho utilizando a Escala de Personalidade de Davies, Chun, Da Silva, & Roper (2004). Porque os valores humanos unificam o diverso leque de interesses de todas as ciências relativas ao comportamento humano (Schwartz, 1992), pretendemos explorar a relação entre os valores dos respondentes e as suas associações ao vinho. Para isso, utilizámos uma abordagem quantitativa com amostra por conveniência (não probabilística), recolhendo 107 questionários válidos de consumidores. Concluímos que o vinho tinto não é considerado como tendo qualidade superior face a outros ou sequer que tenha melhor sabor, particularmente entre as pessoas mais velhas. Em relação ao valor médio por garrafa que a pessoa despende, essa questão não está relacionada com o tipo de vinho preferido. O vinho branco não é associado ao sexo feminino. Também não foi encontrada uma relação significativa entre consumo de vinho pelo sexo feminino e o seu sentimento de liberdade. Da mesma forma, a associação aos valores de aventura e auto-confiança não se relaciona com a preferência por vinho branco.
Descrição: Mestrado em Marketing
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/4956
Aparece nas colecções:BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM-DAEP-2011.pdf1,33 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.