Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/3935
Título: Construir no construido. Redescobrir a frente de água como estrutura de espaço público da cidade.
Autor: Lourenço, Tânia Vanessa Mendes da Costa
Orientador: Moreira, Margarida Paulo Pinto Cardoso
Palavras-chave: Frente Ribeirinha
Cidades com água
Cidade portuária
Alcantara
Riverfront
City water
Port city
Data de Defesa: Dez-2011
Editora: Faculdade de Arquitectura de Lisboa
Citação: LOURENÇO, Tânia Vanessa Mendes da Costa - Construir no construido. Redescobrir a frente de água como estrutura de espaço público da cidade. Lisboa : FA, 2011. Tese de Mestrado
Resumo: Ao longo de muitos séculos os portos demonstraram estar não só na base das relações comerciais das cidades, mas também serem elementos fundamentais, na forma e imagem da cidade, reveladores da sua identidade e cultura. Durante o século XIX, com a revolução industrial, e as inevitáveis consequências daí advindas, reveladas no forte crescimento das cidades com ocupação, em muito casos, massificada das frentes de água, conduziram a que a ligação, outrora existente, entre a urbe e a sua frente de água se deixasse de se verificar. No caso do porto de Lisboa as descontinuidades verificadas no tecido urbano provocadas por este crescimento, com a construção de equipamento de apoio ao comércio marítimo, de indústria, de abertura de novas vias de comunicação terrestres, etc., levaram, em definitivo, à rutura da ligação da cidade com a sua frente ribeirinha e consequente perda de uma identidade firmada ao longo de sete séculos. A desativação de muitas indústrias/armazéns e da própria funcionalidade, ultrapassada, do porto de Lisboa revelam-se, hoje em dia, em inúmeros edifícios desocupados, em espaços vagantes, ou outros com uma ocupação inadequada, que mais não fazem que dar a impressão de estarmos perante um “Não Lugar” (in Marc Augé “Não-lugares”) A consciência destas circunstâncias e a necessidade de devolver o rio à cidade tem levado, nas últimas décadas, a uma série de intervenções procurando restabelecer de novo essa ligação rio/cidade e em simultâneo criar novas oportunidades de desenvolvimento nesta frente ribeirinha. Requalificar esta área da cidade considerando que a água pode ser sítio público não só como lugar percorrível ou como via de transporte, mas podendo construir-se ela própria como um prolongamento da cidade, subvertendo o pensamento segundo o qual a cidade termina, literalmente onde a água começa. Tal fator constitui uma oportunidade para a requalificação e reintegração do porto na cidade
ABSTRACT - Over many centuries the ports proved to be not only on the basis of trade relations of cities, but also are key elements in the form and image of the city, revealing their identity and culture. During the nineteenth century with the industrial revolution and the inevitable consequences thereof, disclosed in strong growth with employment, in many cases, mass of waterfronts, which led to the connection, once existing between the city and its waterfront if it failed to verify. In the case of the port of Lisbon the discontinuities observed in the urban fabric caused by this growth, with construction equipment in support of maritime trade, industry, opening new land communications, etc.. led, ultimately, to break the link the city with its riverfront and consequently in a loss of identity signed over seven centuries. The decommissioning of many industry / warehouses and the feature itself, exceeded, the port of Lisbon are revealed today in many buildings vacant, wandering in space, with an occupation or other inappropriate and do no more than give the impression we are faced with a "No Place"(in Marc Augé “Não-lugares”). Awareness of these circumstances and the need to return the river to the city has taken in recent decades, a series of interventions seeking to reestablish that connection again river / city and simultaneously create new opportunities for development in this riverfront. Reclassify this area of the city considering that water can be a public place not only as a pedestrian walkway or as a means of transport but being able to build itself up as an extension of the city, subverting the thinking according to which the city ends literally where water begins. This factor is an opportunity for urban renewal and reinstatement in the port city.
Descrição: Tese de Mestrado em Arquitectura
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3935
Aparece nas colecções:BFA - Teses de Mestrado / Master Thesis
DPAUD - Tese de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Doc.Final e paineis.pdf52,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.