Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/3667
Title: A fronteira eficiente da situação líquida : para um horizonte de investimento de um único período
Author: Câmara, António Guimarães de Sousa da
Advisor: Adelino, José Neves
Defense Date: 1991
Publisher: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citation: Câmara, António Guimarães de Sousa da. 1991. "A fronteira eficiente da situação líquida : para um horizonte de investimento de um único período". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Abstract: 0 processo de investimento consiste na distribuição de recursos por classes de activos e, consequentemente, na afectação de fundos dentro de cada uma dessas categorias. A teoria tradicional da selecção de carteiras eficientes não entra em consideração com as responsabilidades do investidor, pelo que o problema tem sido estudado quase exclusivamente através da relação risco-rendibilidade dos activos. O tema das carteiras eficientes em ambiente de situação líquida, no qual se coloca a ênfase no estudo da relação risco- rendibilidade da situação líquida do investidor, é uma abordagem moderna do problema, sendo a questão central da dissertação. A maioria dos agentes económicos tem passivos para satisfazer num dado momento futuro. Mais importante do que isso, os diversos investidores têm responsabilidades que são sensíveis a diferentes factores económicos e que têm datas de vencimento diferenciadas. Para fazer face a estas responsabilidades futuras de uma forma eficiente é essencial tomar uma decisão eficaz sobre as proporções da riqueza actual a investir nas diferentes classes ou categorias de activos, como sejam as acções e as obrigações. Este assunto toma a designação de distribuição por activos em ambiente de situação líquida e refere-se concretamente à determinação das percentagens a investir em cada uma das categorias. O objectivo desta dissertação é discutir um subsistema de um modelo de distribuição integrada por activos. O subsistema a que nos referimos é conhecido por fronteira eficiente da situação líquida. Um determinado investidor tem, por um lado, uma carteira de activos e, por outro, passivos para satisfazer. 0 valor actual da sua carteira menos o valor actual das suas responsabilidades é igual ao valor actual da sua situação líquida. Uma carteira de activos é eficiente em ambiente de situação líquida se a ela estiver associada uma estrutura da situação líquida com uma variância mínima para uma dada taxa de rendibilidade esperada e uma taxa de rendibilidade esperada máxima para uma dada variância. 0 risco associado à detenção de uma carteira altera-se visivelmente quando esta é avaliada de acordo com esta moderna abordagem, pois é necessário entrar em consideração com a variabilidade das responsabilidades e com a covariabilidade entre activos e passivos. O processo tradicional de avaliação de investimentos, através da rendibilidade e do risco dos activos, apenas é adequado quando as responsabilidades são constantes. Para que a construção da fronteira eficiente seja um processo praticável pretende-se encontrar um modelo para gerar a rendibilidade e o risco das acções, outro modelo para gerar a rendibilidade e o risco das obrigações e um terceiro modelo para calcular essas estatísticas para as responsabilidades. Sugere-se a aplicação das regras modificadas de Markowitz e de Tobin para combinar esses três modelos, isto é, para desenhar a fronteira eficiente da situação líquida. A informação que é necessária para resolver um problema de distribuição por activos é discutida, de acordo com a literatura desta área, no primeiro capítulo. No segundo capítulo, vão-se apresentar sumariamente alguns modelos vocacionados para avaliar acções. Estes modelos permitem efectuar as estimativas necessárias para determinar a rendibilidade e o risco das acções. No terceiro capítulo, introduzem-se alguns modelos vocacionados para avaliar obrigações. Estes modelos permitem gerar as estimativas de rendibilidade e risco para os activos deste sector. Apresenta-se a regra de Markowitz para combinar um modelo de acções com um modelo de obrigações, ou seja, para se desenhar a fronteira eficiente dos activos. Ainda no terceiro capítulo, introduz-se o conceito de responsabilidade como um fluxo de caixa certo e independente da taxa de juro. Isto permite adaptar o modelo de Markowitz a um ambiente de situação líquida. Em ambiente de situação líquida a taxa sem risco é substituída pela imunização. As estratégias de imunização e outras próximas dela serão discutidas no capítulo terceiro. Apresenta-se, também nesse capítulo, uma adaptação do modelo de Tobin a um ambiente de situação líquida. No quarto capítulo, apresentam-se algumas propostas para gerar a rendibilidade esperada e o risco das responsabilidades dos fundos de pensões. Algumas propostas de como se pode desenhar a fronteira eficiente da situação líquida são apresentadas no quarto capítulo. Por fim, no quinto capítulo, apresentam-se as conclusões do trabalho e propõem-se algumas formas para aprofundar o tema discutido. Durante todo o trabalho os modelos de equilíbrio serão contrapostos aos modelos que não fazem apelo a relações de equilíbrio. Sugere-se a utilização dos primeiros para a distribuição normal por activos e a dos segundos para a distribuição estratégica por activos.
Description: Mestrado em Gestão
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3667
Appears in Collections:BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DM-AGSC-1991.pdf8,94 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.