Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/3405
Título: Ecologismo radical em Portugal? A "Animal" e a "Quercus"
Autor: Pereira, Sara Cristina Queijinho
Orientador: Casanova, Catarina
Palavras-chave: Ecologismo
Radical
Capitalismo
Industrialismo
Acção Directa
Não-violência
Anarquismo
Radical Ecologism
Capitalism
Industrialism
Direct Action
Non-violence
Anarchism
Data de Defesa: 16-Jun-2011
Editora: Instituto Superior de Ciências Sociais e políticas
Citação: PEREIRA, Sara Cristina Queijinho - Ecologismo radical em Portugal? A "Animal" e a "Quercus" [Em linha]. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, 2011. Dissertação de Mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10400.5/3405>.
Resumo: A presente investigação tem como tema de fundo uma ideologia que se afirmou recentemente: o ecologismo radical (anos 60, 70). Será que existem organizações com esse perfil em Portugal? Fruto de um sentimento de crise generalizado, o ecologismo radical levanta a consciência pública para os perigos que pode implicar o sistema económico dominante vigente. Os ecologistas radicais defendem que o capitalismo desenfreado e o industrialismo são a causa da crise global que vivemos hoje. Apresentam alternativas de pensamento e acção para inverter a situação. Defendem que o domínio da natureza, antes de mais implica, o domínio do ser humano uma vez que este último faz também parte da própria natureza. Recorrem a greves, lock-outs, manifestações, acções de desobediência civil, libertam animais utilizados em experimentação, sabotam actividades que prejudicam o ambiente, destroem propriedade privada, entre outros. A acção directa, na sua vertente não-violenta, tornou-se um meio aceitável e visível para os ecologistas fazerem valer os seus ideais. Os anarquistas também marcam presença neste movimento. A perspectiva ecológica, compreendida na sua radicalidade, tal como a própria perspectiva anarquista, implica a abolição do capitalismo, a possibilidade de uma sociedade mais humana, justa, igualitária, democrática e capaz de estabelecer uma relação harmoniosa entre o ser humano e o meio ambiente. O movimento ecologista radical promove a mudança e a transformação social e tem inúmeras escolas de pensamento e muitos grupos de acção que vão desde os ecologistas profundos, ecofeministas, ecologistas espirituais aos bio-regionalistas...que produzem debates acesos resultando numa enorme variedade de aproximações que buscam por um mundo habitável. O background teórico deste trabalho debruça-se resumidamente sobre esta questão (ver Parte I). Na Parte II apresentarei o objecto de estudo (a organização ANIMAL e a Quercus) e a metodologia utilizada para a recolha de dados. Foram aplicados inquéritos por questionário e entrevistas com o objectivo de se traçar o perfil destas organizações. Na Parte III são descritos os resultados e na Parte IV os resultados são discutidos em articulação com o background teórico anteriormente exposto. A Parte V, expõe as considerações finais.
The main theme of the present investigation is radical ecologism in Portugal. Are there any organizations with such profile? Result of a widespread sense of crisis, radical ecologism raises public awareness about the dangers that involve the current economic dominant system. According to radical ecologists, unbridled capitalism and industrialism are the cause of the global crisis which we live today. Radical ecologists introduce alternative lines of thought and action in order to reverse the present situation. These ecologists advocate that the domination of nature, first of all, implies the domination of humans and the latter are part of the former. This movement uses strikes, lock-outs, demonstrations, civil disobedience actions, releasing animals used in experimentation, sabotaging activities that harm the environment, destroying of private property and so on. Direct action, in its nonviolent form, became an acceptable and visible way for radical ecologists to promote ideals. Anarchists are also present in this movement. The ecological perspective, understood in its radical perspective, just as the anarchist perspective, implies the abolition of capitalism, the possibility of a more human, just, egalitarian and democratic society where a harmonious relationship is established between humans and the environment. The radical ecologist movement promotes social change and transformation and has numerous schools of thought and many action groups ranging from deep ecologists, ecofeminists, spiritual ecologists to bio-regionalists…which produce heated debates resulting in a great variety of approaches that search for a liveable world. Such theoretical background is described in Part I of this investigation. Part II of this work presents the study object (the organizations ANIMAL and Quercus) and the methodology used for data collection. Questionnaire surveys were administrated and interviews with the aim of drawing the profile of such the organizations were conducted. Part III describes the results and Part IV presents our findings in relation to the theoretical background previously described. In Part V the closing remarks can be found.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Ciência Política
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/3405
Aparece nas colecções:BISCSP – Teses de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
1-Capa.pdf24,69 kBAdobe PDFVer/Abrir
2-Agradecimentos, Resumo, Abstratc, +índice.pdf40,91 kBAdobe PDFVer/Abrir
3-Dissertação.pdf4,36 MBAdobe PDFVer/Abrir
4- Capa ANEXOS.pdf17,38 kBAdobe PDFVer/Abrir
5-Capa ANEXOS vários.pdf15,57 kBAdobe PDFVer/Abrir
6-Anexo I.pdf32,82 kBAdobe PDFVer/Abrir
7-Anexo II.pdf5,5 kBAdobe PDFVer/Abrir
8-Anexo III.pdf73,81 kBAdobe PDFVer/Abrir
9-Anexo IV.pdf2,17 MBAdobe PDFVer/Abrir
10-Anexo V.pdf2,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.