Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/2380
Título: Coccidiose em pequenos ruminantes
Autor: Paredes, Patrícia Isabel Garção
Orientador: Prates, Nuno Vicente M. Santos
Stilwell, Geoge Thomas
Palavras-chave: Coccidiose
Eimeria spp.
Prevalência
Maneio
Sistema produção
Coccidiosis
Prevalence
Management
Production system
Data de Defesa: 2010
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Paredes, P.I.G. (2010). Coccidiose em pequenos ruminantes. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Coccidiose é uma parasitose causadas por parasitas da subclasse Coccidia. No entanto, o termo é utilizado, maioritariamente, para referir parasitoses causadas por parasitas do género Eimeria, tal como ocorreu ao longo desta dissertação. Existe um grande número de espécies de Eimeria, estas apresentam grande especificidade em relação ao hospedeiro. A patogenicidade depende da espécie e poucas são consideradas suficientemente patogénicas, para que, por si só, desencadeiem manifestações clínicas da doença. Geralmente as infecções envolvem várias espécies. É uma doença intestinal que normalmente assume uma forma insidiosa e só se torna evidente nos animais infectados após o aparecimento de sinais clínicos como diarreia, debilidade, inaptência ou perda de peso, provocando grandes perdas económicas em todo o mundo. Tem o seu maior impacto em borregos com menos de três meses de idade e é comum em cabritos nos primeiros seis meses. É mais comum em sistemas de produção intensiva, sendo influenciada por vários factores, entre os quais, e o mais importante, o maneio praticado na exploração. E. crandallis e E. ovinoidalis são consideradas as espécies mais patogénicas em ovinos e em caprinos é a E. ninakohlyakimovae. Durante o período de estágio foram realizados dois estudos. O primeiro estudo pretendeu avaliar a prevalência de Eimeria spp. em explorações portuguesas de ovinos em regime extensivo, semi-intensivo e intensivo, seleccionadas por métodos não probabilísticos. Neste estudo verificou-se que os sistemas intensivos apresentavam maior percentagem de animais infectados, infecções do tipo misto eram mais prevalentes em explorações extensivas e infecções simples em explorações intensivas. E. bakuensis foi a espécie mais prevalente nos três sistemas de produção. E. ovinoidalis, uma das espécies mais patogénicas, foi mais frequente em explorações intensivas. O segundo estudo realizado pretendeu analisar o nível de excreção de oocistos de Eimeria spp. em cabritos entre as três e as treze semanas de vida em dois sistemas de produção distintos (uma exploração localizava-se em Portel e outra na Igrejinha), sendo que, em Portel os cabritos eram amamentados pelas fêmeas aleitantes e na Igrejinha eram amamentados artificialmente. Os resultados revelaram que E. caprina e E. christenseni apresentaram valores médios de excreção de oocistos superiores na exploração de Portel. O total médio de excreção de oocistos de Eimeria spp. atingiu o valor mais elevado às treze semanas, idade em que as espécies E. arloingi, E. caprina, E.caprovina, E. christenseni e E. hirci apresentaram os valores médios de excreção de oocistos mais elevados. Entre as quais, E. arloingi apresentou o valor mais elevado.
ABSTRACT - Coccidiosis in small ruminants Coccidiosis is a parasitism caused by parasites of the subclass Coccidia. Nevertheless, the term is used, generally, to refer to parasitism caused by parasites of the genre EimeriaThere is a great number of species of Eimeria which present a great host specificity. The pathogenecity depends on the species and few are considered pathogenic enough to, just for themselves, cause clinical manifestations of the disease. However the infections usually involve several species and regularly assumes a subtle form that only becomes evident in the infected animals after the occurrence of clinical signs, such as diarrhea, debility and weight loss, leading to important economical losses. Coccidiosis has its bigger impact in lambs with less than three months of age and it is common in goat kids in the first six months. It is more common in intense production systems, being influenced by many aspects, amongst which, and most important, the handling practiced in the explorations. E. crandallis and E. ovinoidalis are considered the more pathogenic species in sheep and in goats it is E. ninakohlyakimovae. Two studies were carried out during the training period. The first one had the purpose of evaluating the prevalence of Eimeria spp. in Portuguese sheep farms in extensive, semi-intensive and intensive systems, selected by non probabilistic methods. In this study it was concluded that the intensive systems presented a higher percentage of infected animals, being the single infections more frequent in intensive explorations and mixed infections more frequent in the extensive ones. E. bakuensis was the prevalent species in the three systems of production. E. ovinoidalis, one of the more pathogenic species, was more frequent in intensive explorations. The second study pretended to analyze the level of excretion of oocistos of Eimeria spp in kids between three and thirteen weeks of life in two distinct systems of production (in Portel and in Igrejinha), In the Portel farm the kids were fed by their dams and in the Igrejinha farm they were fed artificially. The results showed that E. caprina and E. christenseni presented excretion values of oocistos, superior in the Portel exploration. The total Eimeria spp. oocysts excretion excretion reached the maximum value at thirteen weeks, age in which E. arloingi, E. caprina, E.caprovina, E. christenseni and E. hirci reached the maximum medium values of excretion of oocyst. Amongst these, E. arloingi, presented the higher values.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/2380
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Coccidiose em pequenos ruminantes.pdf2,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.